Garanta 40% de desconto
⚠ Alerta de Balanço! Quais ações estão prontas para disparar?
Veja as ações no nosso radar ProPicks. Essas estratégias subiram 19,7% desde o início do ano.
Não perca a lista completa

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta sexta-feira

Publicado 28.04.2023, 07:04
Atualizado 28.04.2023, 08:00
© Reuters

Investing.com -- A Amazon alerta sobre uma desaceleração em sua divisão crucial de computação em nuvem, enquanto os futuros das ações dos EUA caem após uma nova leva de outros resultados corporativos. O foco se voltará para o indicador de inflação preferido do Federal Reserve ainda hoje, mas, enquanto isso, os investidores estão digerindo os principais dados econômicos da Europa. No Brasil, governo define nova estratégia de valorização do salário mínimo.

1. Os futuros das ações dos EUA caem em meio à enxurrada de lucros, perspectivas nebulosas para a AWS

As ações dos EUA caíram na sexta-feira, com os investidores avaliando uma série de lucros corporativos, incluindo os resultados da gigante da tecnologia Amazon.

Às 7h55 (de Brasília), o contrato Dow futuros caía 0,40%, o S&P 500 futuros era negociado em baixa de 0,39%, e o Nasdaq 100 futuros caía 0,31%.

As ações da Amazon (NASDAQ:AMZN) caíram mais de 2% nas negociações após o expediente, revertendo os ganhos anteriores. Enquanto isso, a fabricante de chips Intel (NASDAQ:INTC) previu que suas margens melhorariam no segundo semestre de 2023, dando um impulso às ações pós-mercado.

Em outro lugar, as receitas trimestrais da Snap (NYSE:SNAP) - a empresa por trás do aplicativo de mensagens fotográficas Snapchat - ficou abaixo das estimativas após alterações em sua plataforma de publicidade, enviando ações para o vermelho em negociações prolongadas. O site de mídia social de compartilhamento de imagens Pinterest (NYSE:PINS) também viu suas ações caírem mais de um décimo de seu valor depois que uma queda nos gastos com publicidade levou a um crescimento menor de receita do que o previsto no segundo trimestre.

O conglomerado de jogos e mídia Sony (NYSE:SONY) informou na sexta-feira que espera que os lucros diminuam em relação a um recorde de alta em seu atual período fiscal, devido à fraqueza em seus negócios de serviços financeiros.

Ainda hoje, as grandes empresas petrolíferas Exxon Mobil (NYSE:XOM) e Chevron (NYSE:CVX) estarão entre os maiores nomes que completam uma semana movimentada de lucros corporativos.

Inicialmente, a Amazon viu suas ações subirem após a divulgação dos resultados do primeiro trimestre, que mostraram que a receita de sua principal unidade de computação em nuvem, a Amazon Web Services - um dos principais impulsionadores do lucro geral do grupo - havia crescido mais do que o esperado, chegando a US$ 21,4 bilhões. As vendas líquidas gerais do grupo, de US$ 127,36 bilhões, também superaram as estimativas.

Mas os ganhos foram revertidos depois que o diretor financeiro Brian Olsavsky alertou, em uma ligação com analistas, que os clientes que usam a AWS estavam reduzindo os gastos devido a "condições econômicas difíceis". Como resultado, as taxas de crescimento das vendas em abril foram "cerca de 500 pontos-base inferiores ao que vimos no [primeiro trimestre]", acrescentou Olsavsky.

Os analistas do site Morgan Stanley observaram que as perspectivas de crescimento de curto prazo da AWS agora parecem incertas, embora tenham permanecido positivas em relação às perspectivas de longo prazo.

Os resultados da Amazon vieram após os relatórios de outros gigantes da tecnologia dos EUA nesta semana, incluindo a Alphabet (NASDAQ:GOOGL), controladora do Google, a Microsoft (NASDAQ:MSFT) e a Meta Platforms (NASDAQ:META), proprietária do Facebook. Essas empresas têm cortado despesas, principalmente por meio de grandes cortes de empregos, em uma tentativa de compensar a redução dos gastos dos clientes preocupados com as perspectivas econômicas mais amplas.

2. O principal indicador de inflação do Fed se aproxima

Uma medida de inflação que é observada de perto pelo Federal Reserve deve ser divulgada ainda hoje, com os investidores interessados em descobrir o quanto a política monetária agressiva recentemente adotada pelo banco central dos EUA está impactando o crescimento dos preços.

Prevê-se que o índice de despesas de consumo pessoal, excluindo itens voláteis como alimentos e energia, tenha aumentado 0,3% em março, em linha com o mês anterior. Em uma base anual, a previsão é de que o leitura desacelere para 4,5%, de 4,6% em fevereiro.

O Fed elevou as taxas de juros em um ritmo sem precedentes no ano passado, em uma tentativa de conter a inflação descontrolada.

Mas o aumento nos custos dos empréstimos está começando a dar sinais de que está afetando o crescimento geral. A atividade econômica dos EUA desacelerou mais do que o previsto para 1,1% no primeiro trimestre, de acordo com dados do Departamento de Comércio divulgados na quinta-feira, devido, em grande parte, ao aumento das taxas e à alta inflação.

3. Crescimento da zona do euro desacelera

A economia da Zona do Euro cresceu menos do que o projetado no primeiro trimestre, uma vez que os preços teimosamente elevados e as taxas de juros em alta pesaram sobre a atividade geral.

Ajustado sazonalmente, Produto Interno Bruto na área monetária aumentou 0,1% nos primeiros três meses de 2023, acelerando em relação à estagnação no quarto trimestre, mas abaixo das estimativas dos economistas de um aumento de 0,2%. Em uma base anual, o PIB desacelerou mais do que o previsto para 1,3% no período de janeiro a março, abaixo do nível anterior de 1,8%.

O setor industrial da Alemanha, a maior economia da zona do euro, não cresceu, apesar das esperanças de uma expansão marginal, embora isso tenha sido parcialmente compensado por um salto na produção em França, Itália e Espanha.

Os investidores estão observando atentamente os dados de hoje da região, antes da última reunião de definição de políticas do Banco Central Europeu na próxima semana. Espera-se que o BCE aumente o taxas no início de maio, embora o tamanho desse aumento ainda esteja em debate, assim como quaisquer aumentos futuros.

4. Preços do petróleo instáveis

Os preços do petróleo oscilaram, já que os investidores digeriram os dados que mostram a estagnação da atividade econômica na Alemanha, que se somou ao decepcionante crescimento dos EUA no primeiro trimestre.

Às 7h55 (de Brasília), os contratos futuros do petróleo dos EUA ganhavam 0,36%, a US$ 75,02 por barril, enquanto o contrato do Brent subia 0,46%, para US$ 78,58.

Ambos os índices de referência estão em vias de registrar quedas de mais de 3% esta semana, elevando suas quedas para perto de 10% nas duas últimas semanas, com preocupações sobre como uma possível desaceleração global, particularmente nos EUA, o maior importador mundial de petróleo, poderia impactar a demanda de petróleo bruto.

5. Governo brasileiro define novo salário mínimo

O governo brasileiro anunciou novo patamar e estratégia para política de valorização do salário mínimo. O ministro do Trabalho, Luiz Marinho, disse que a referência será o Produto Interno Bruto (PIB) cheio de dois anos anteriores, mais a inflação. Marinho e outros ministros estiveram com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta semana para avaliar o tema. Outra proposta, defendida pela Fazenda, era uma indexação pelo PIB per capita.

De acordo com o ministro, o reajuste deste ano será por medida provisória, com valor fixado em R$1320. Enquanto isso, a política de valorização permanente deve ocorrer por meio de projeto de lei, que vai precisar tramitar no Congresso.

A expectativa é de que o texto com o reajuste seja assinado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) até a próxima segunda, 1º de maio, Dia do Trabalhador.

Às 7h55 (de Brasília), o ETF EWZ (NYSE:EWZ) estava estável no pré-mercado.

Balanços trimestrais: a última temporada teve resultados abaixo do esperado? O que esperar desta? Confira no vídeo:

Últimos comentários

Salário mínimo, PIB caindo e inflação galopante com o desgoverno corrupto.
Desgoverno Lula quer implementar a Censura, para que somente a narrativa deles tenha vez . É o Brasil se venezuelando…triste!!
Agora o Bozo está dedicado a importação de Diamantes. Rachadinhas não tá compensando mais fazer a rentabilidade é bem menor.
Alow PF, vamos investigar o avião cheio de cocaina que o Bozo doidão estava. Agora sabemos que ele é drogado.
Foi mal, tava doidona 😅
RELINC🐴HA ESQUERD🐀👹ALHA
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.