Garanta 40% de desconto
⚠ Alerta de Balanço! Quais ações estão prontas para disparar?
Veja as ações no nosso radar ProPicks. Essas estratégias subiram 19,7% desde o início do ano.
Não perca a lista completa

WeWork prevê sair da recuperação judicial até 31 de maio e assegura redução de US$8 bi em aluguel

Publicado 02.04.2024, 18:53
Atualizado 02.04.2024, 18:55
© Reuters. Logo da WeWork em escritório na cidade de Nova York, EUA
7/11/2023 REUTERS/Shannon Stapleton/Arquivo

(Reuters) - A WeWork (OTC:WEWKQ) anunciou nesta terça-feira que pretende sair da recuperação judicial nos Estados Unidos e no Canadá até 31 de maio e que tem negociado com proprietários reduções de mais de 8 bilhões de dólares nos compromissos de aluguel.

A empresa, que aluga espaços para escritórios compartilhados e já chegou a ser avaliada em 47 bilhões de dólares, entrou com pedido de recuperação judicial em novembro, após acumular prejuízos em seus contratos de aluguel de longo prazo na esteira de uma queda na demanda por escritórios durante a pandemia e uma mudança para o trabalho híbrido.

O plano pós-recuperação da empresa, que é apoiada pelo SoftBank, se baseia em uma redução significativa nos custos futuros de aluguel com seus proprietários.

A empresa disse nesta terça-feira que concordou em alterar cerca de 150 contratos de locação com melhores condições econômicas, como pagamentos de aluguel reduzidos, e está no processo de encerrar outros 150 contratos. A empresa manterá 150 aluguéis sem alterações, e ainda negocia com proprietários cerca de 50 locais adicionais.

As negociações de locação da WeWork permitirão que a empresa saia da recuperação judicial como um negócio mais enxuto, pronto para fornecer espaços de trabalho que beneficiarão tanto os empregadores quanto os proprietários durante um período de incerteza para os mercados imobiliários comerciais, de acordo com o diretor global de imóveis da WeWork, Peter Greenspan.

© Reuters. Logo da WeWork em escritório na cidade de Nova York, EUA
7/11/2023 REUTERS/Shannon Stapleton/Arquivo

"O aumento da necessidade por esses tipos de serviços e espaços só tem crescido, então é um bom momento para passar por este processo com os proprietários e repensar como monetizamos todo esse espaço de escritório que costumava ser preenchido com contratos de locação tradicionais e de longo prazo", disse Greenspan em entrevista.

Em novembro, a WeWork chegou a um acordo com mais de 90% de seus detentores de bonds para converter 3 bilhões de dólares de dívida em patrimônio líquido. Sob a reestruturação proposta, o SoftBank, que atualmente detém cerca de 70% da empresa, manteria uma participação acionária na empresa.

(Reportagem de Dietrich Knauth em Nova York, Ananta Agarwal e Nathan Gomes em Bengaluru)

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.