Libere dados premium: até 50% de desconto InvestingProGARANTA JÁ SUA OFERTA

EXCLUSIVO-Europa se prepara para apagões da rede móvel, dizem fontes

Publicado 29.09.2022, 13:13
EDF
-
BOUY
-
ORAN
-

Por Mathieu Rosemain e Supantha Mukherjee e Elvira Pollina

PARIS/ESTOCOLMO/MILÃO (Reuters) - A decisão da Rússia de interromper o fornecimento de gás através da principal rota de fornecimento da Europa após o conflito na Ucrânia aumentou as chances de apagões na rede móvel europeia. Na França, a situação é agravada pelo fechamento de várias usinas nucleares para manutenção.

Atualmente, não há sistemas de backup suficientes em muitos países europeus para lidar com cortes generalizados de energia, disseram quatro executivos de telecomunicações, aumentando a perspectiva de apagões de telefones celulares.

Países da União Europeia incluindo França, Suécia e Alemanha, estão tentando garantir que as comunicações possam continuar mesmo que os cortes de energia acabem esgotando as baterias de reserva instaladas nas milhares de antenas de celular no seu território.

A Europa tem quase meio milhão de torres de telecomunicações e a maioria delas tem baterias de backup que duram cerca de 30 minutos para operar as antenas móveis.

FRANÇA

O governo francês, as operadoras de telecomunicações e a Enedis, unidade da concessionária estatal EDF (EPA:EDF), conversaram sobre o assunto.

A Federação Francesa de Telecomunicações (FFT), um grupo de lobby que representa Orange, Bouygues (EPA:BOUY) Telecom e SFR da Altice, citou que a Enedis não tem como proteger as antenas dos cortes de energia.

A distribuidora se recusou a comentar o conteúdo das conversas com o governo sobre o assunto. Mas disse em comunicado à Reuters que todos os clientes regulares são tratados em pé de igualdade no caso de interrupções excepcionais.

Disse ainda que conseguiu isolar seções da rede para atender clientes prioritários como hospitais, instalações industriais importantes e militares e que cabe às autoridades adicionarem a infraestrutura das operadoras de telecomunicações à lista de clientes prioritários.

"Talvez melhoremos nosso conhecimento sobre o assunto, mas não é fácil isolar uma antena móvel do resto da rede", disse um oficial do Ministério das Finanças francês a para das conversas.

As empresas de telecomunicações na Suécia e na Alemanha também levantaram receios sobre possível falta de eletricidade, disseram várias fontes familiarizadas com o assunto.

O regulador de telecomunicações sueco PTS disse que está trabalhando com operadoras e outras agências governamentais para encontrar soluções. O órgão está financiando a compra de postos de combustível transportáveis ​​e estações base móveis que se conectam a telefones celulares para lidar com faltas de energia mais longas, disse um porta-voz.

O lobby italiano de telecomunicações defende que a rede móvel seja excluída de qualquer corte de energia e vai levantar isso com o governo da Itália.

As fabricantes de equipamentos de telecomunicações Nokia e Ericsson estão trabalhando com operadoras para mitigar o impacto da falta de energia, disseram fontes a par do assunto. As empresas se recusaram a comentar.

As operadoras de telecomunicações europeias devem revisar suas redes para reduzir o uso extra de energia e modernizar seus equipamentos usando projetos de rádio mais eficientes, disseram os quatro executivos de telecomunicações.

© Reuters. Refugiado ucraniano a bordo de um trem para Varsóvia, usa o celular dentro de um vagão antes de partir da estação de trem Przemysl Glowny, na Polônia
23/03/2022
REUTERS/Hannah McKay

Para economizar energia, as operadoras estão usando softwares para otimizar o fluxo de tráfego, fazer as torres "dormirem" quando não estiverem em uso e desligar diferentes bandas de espectro, disseram as fontes a par do assunto.

A Deutsche Telekom usará sistemas móveis de energia de emergência que dependem principalmente de diesel no caso de falhas de energia prolongadas, disse.

(Reportagem adicional de Inti Landauro)

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.