Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Commodities nesta Semana: Petróleo Quer se Firmar a US$40; Ouro Busca US$1800

Por Investing.com (Barani Krishnan/Investing.com)Commodities22.06.2020 09:10
br.investing.com/analysis/commodities-week-ahead-oil-pins-hopes-on-40-gold-sharpens-target-on-1800-200435766
Commodities nesta Semana: Petróleo Quer se Firmar a US$40; Ouro Busca US$1800
Por Investing.com (Barani Krishnan/Investing.com)   |  22.06.2020 09:10
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 

O petróleo ficará preso em um briga de força nesta semana entre uma possível segunda onda de covid-19 e a previsão de alta na demanda de combustíveis nas economias que estão tentando se reabrir totalmente após os confinamentos provocados pela pandemia.

O barril de Brent acima de US$ 42 e o do {{8849|West Texas Intermediate} um pouco acima de US$ 40 podem ser considerados caros se levarmos em conta que a retomada da demanda de combustíveis nas últimas oito semanas ainda é incipiente, no melhor dos casos. Sem falar que o petróleo britânico já se valorizou 170% desde as mínimas de abril. Já o petróleo americano, enquanto isso, disparou impressionantes 300% no mesmo período, apesar de os estoques petrolíferos nos EUA terem atingido máximas históricas um pouco abaixo de 540 milhões de barris.

WTI Diário
WTI Diário

Evidentemente existe o outro lado da moeda, que considera que o petróleo esteja bastante barato. Essa teoria se apoia na estimativa da Vitol, maior operadora independente de petróleo do mundo, que afirmou na semana passada que o consumo global de petróleo estava subindo 1,4 milhão de barris por dia a cada semana de junho, fazendo com que o crescimento deste mês fosse de mais de 5,5 milhões de barris.

A Trafigura, outro nome de destaque nas negociações de petróleo, afirmou que a commodity havia retornado a 90% dos níveis normais e sua expectativa era que os preços do barril se consolidassem em torno de US$ 40.

Brent Diário
Brent Diário

Aumenta o medo de uma segunda onda viral

Mas essas convicções podem ir de encontro com o medo cada vez maior de que uma possível segunda onda da pandemia esteja a caminho.

Um novo modelo estatístico da Universidade de Washington estima que haverá 200.000 mortes por covid-19 nos EUA até 1 de outubro.

Isso se deve ao fato de que mais de 2,1 milhões de americanos já foram infectados pelo coronavírus e o número de mortes já ultrapassa 116.000. Ao menos 22 estados registram alta nos casos, enquanto avançam na reabertura de suas economias. No Arizona, a infecções dispararam 54% em uma semana.

O assessor de comércio da Casa Branca, Peter Navarro, afirmou no domingo que o governo Trump estava se preparando para uma segunda onda de covid-19 no segundo semestre, na medida em que 29 estados e territórios americanos registraram um aumento de novos casos confirmados em sua média de sete dias depois que muitos acabaram com as restrições nas últimas semanas.

O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, enquanto isso, declarou que os Estados Unidos não podem se fechar novamente, independente do impacto da covid-19. O presidente Donald Trump disse no sábado que estava incentivando os trabalhados na linha de frente do combate ao coronavírus a reduzir o ritmo de testes, argumentando que o aumento de testes elevava a descoberta de casos.

Ao redor do mundo, a Coreia do Sul e a China registraram novos surtos, e o estado australiano de Victoria ampliou os protocolos de controle por mais quatro semanas. A Nova Zelândia também enfrenta uma elevação nos casos em suas instalações de isolamento por conta do retorno de nacionais do exterior.

“Os choques econômicos que vamos sofrer vão muito além das prescrições paliativas dos trilhões de dólares injetados no mercado”, afirmou Laurie Garrett, historiadora especializada em pandemias e vencedora do prêmio Pulitzer. “Ou a gente para essa pandemia, ou teremos um colapso econômico."

Jeffrey Hailey, estrategista de mercados da corretora nova-iorquina OANDA, concorda.

“Embora o petróleo continue impressionando com sua resiliência, estará vulnerável a correções se aumentarem as manchetes negativas sobre a covid-19”, escreveu Hailey em sua nota sobre o petróleo na segunda-feira.

Petróleo pode testar a faixa de US$ 43-44

O próximo alvo técnico do Brent será US$ 43,40, podendo ultrapassá-lo, se conseguir fechar o gap aberto no gráfico no início de março e disparar para US$ 45, segundo Hailey.

O WTI, enquanto isso, formou um topo duplo a US$ 40,40 por barril, nível que deve oferecer alguma resistência inicialmente. Depois disso, o alvo técnico está na região de US$ 44; depois disso, temos a média móvel de 200 dias a US$ 45, segundo o analista.

O Goldman Sachs (NYSE:GS) disse que a recuperação de prazo mais longo no petróleo pode depender, ironicamente, do retorno da produção de shale oil nos EUA, que sofreu um drástico corte nas últimas semanas para eliminar o excesso de oferta no mercado.

“A próxima pernada de alta no petróleo (acima de US$ 51/barril no WTI em 2021, acima do consenso) é um alvo de médio prazo. Acreditamos que a produção de shale precisará ser retomada em 2021, impulsionada em parte pela subestimada inflexão na contribuição consideravelmente menor da oferta de produtores não membros da Opep com projetos de prazo maior além de 2021”, disseram os analistas do Goldman Sachs em uma nota sobre energia.

Ouro nas máximas de 5 semanas

No ouro, o metal amarelo atingiu as máximas de 5 semanas na segunda-feira, cruzando a marca de US$$ 1.775 por onça, depois que os investidores recorreram ao metal em busca de proteção contra uma segunda onda de coronavírus.

Ouro Futuros Diário
Ouro Futuros Diário

O movimento do ouro também foi influenciado por uma previsão do Goldman Sachs de que o metal atingiria US$ 2.000 nas próximas 12 semanas. O banco de Wall Street também elevou sua previsão de três meses no ouro de US$ 1.600 para US$ 1.800 Sua estimativa de seis meses foi alterada para US$ 1.900, ante os US$ 1.650 anteriores.

“A demanda de investimento no ouro tende a crescer nos estágios iniciais da recuperação econômica, impulsionada pelas preocupações com a desvalorização (cambial) e taxas de juros reais menores”, escreveram os analistas do Goldman Sachs em uma nota separada sobre os metais preciosos.

A TD Securities concordou com essa visão.

“A contínua normalização do crescimento deve ser encarada com bons olhos pelos investidores do ouro, já que uma reversão nos fluxos do porto seguro deve ser compensada pela demanda de investimentos, com taxas reais significativamente suprimidas”, disseram os analistas da TD Securities.

* Aviso de isenção: Barani Krishnan não possui posições nos ativos sobre os quais escreve.

Commodities nesta Semana: Petróleo Quer se Firmar a US$40; Ouro Busca US$1800
 

Artigos Relacionados

Cepea
Café: Colheita de Robusta Começa a Ganhar Ritmo Por Cepea - 12.05.2021

A colheita de café robusta da temporada 2021/22 deve ganhar força nos próximos dias no Espírito Santo. Segundo pesquisadores do Cepea, até o início de maio, o alto percentual de...

Commodities nesta Semana: Petróleo Quer se Firmar a US$40; Ouro Busca US$1800

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (2)
Pedro Hurwicz
Pedro Hurwicz 22.06.2020 13:25
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Informe em sua publicação os efeitos sobre preço da Petrobras
Edson felipe Lacerda silva
Edson felipe Lacerda silva 22.06.2020 10:21
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
O. T. A. A. D. O. i. Z. A. N. O. P A. i. S. i. V. O. F. O. R. A. D i. A
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail