🔥 Ações selecionadas por IA com InvestingPro Agora com até 50% de descontoGARANTA JÁ SUA OFERTA

Juros são o dilema de nossa Bolsa no momento

Publicado 10.10.2023, 15:01
USD/BRL
-
B3SA3
-
VALE3
-

O que tem dado o tom no mercado financeiro nos últimos dias é a taxa de juros. Nossa Bolsa de Valores precisa muito que a taxa de juros caia para que os investidores comecem a tirar o capital da renda fixa para a renda variável. E porque isso também é importante para alguns segmentos da economia, como o de varejo e o de construção civil, que dependem de boas condições de financiamento – dinheiro mais barato – para aumentarem suas vendas. 

Mas existe um outro cenário, na contramão do nosso. A economia dos Estados Unidos tem demonstrado força e não desaquece. Assim, o que deveria ser uma boa notícia acaba pressionando o FED – o Banco Central dos Estados Unidos – a subir o juro por lá com o objetivo de reduzir o consumo e, consequentemente, derrubar a inflação. 

O FED parou de elevar suas taxas na última reunião, mas com esse cenário é possível que venham mais aumentos pela frente. Caso contrário, a inflação não vai ceder. E por conta disso, nossa Bolsa de Valores sente muito, tanto que o volume negociado vem diminuindo, o que é um tanto preocupante. Há questões pontuais como um feriado há poucos dias na China, que ajudou a prejudicar a cotação da Vale (BVMF:VALE3), cujo peso na B3 (BVMF:B3SA3) é enorme, entre outros, mas o que vem acontecendo para os lados do “Tio Sam” realmente influencia bastante. 

É fácil entender o porquê. Conforme a taxa de juros sobe nos Estados Unidos e cai por aqui, o investidor passa a se interessar mais e mais pelo mercado da maior economia do mundo em detrimento do nosso.  Mas isso não afeta apenas o Brasil, e sim o mundo todo. Consigo acreditar que nossa taxa de juros continuará a cair, mas até quando? Qual o ponto ideal? Quanto o BC vai conseguir cortar, enquanto o FED faz movimento contrário? Até qual percentual conseguiremos baixar, sem que haja evasão de capital da nossa Bolsa para a deles? 

Vamos supor que nossa taxa chegue a 9%, e a dos Estados Unidos a 6%. O que você, investidor, prefere? Ter retorno de 6% em dólar ou de 9% em Real? Então, por mais que o Banco Central queira cortar juros aqui, temos a taxa americana como forte concorrente. Isso faz com que nossos títulos públicos percam atratividade aumentando ainda mais a quantidade de investimentos por lá. 

Sendo assim, dificilmente vamos conseguir cortar muito, porque é impensável, para o Brasil, ter uma taxa de juros próxima à taxa americana e ainda querer que o dinheiro permaneça aqui. Atualmente, nossa Bolsa se encontra em torno de 115 mil pontos. Por causa deste cenário, não acredito que ela subirá muito nos próximos meses. Diferente do que eu pensava quando ela estava abaixo de 100 mil, pois tratava-se de uma precificação muito baixa. Com o DI futuro subindo, e nossa Selic caindo, não vislumbro outra consequência que não seja nossa Bolsa continuar a patinar nos próximos meses.  

Últimos comentários

Carregando o próximo artigo...
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.