Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Atualize já

Mercados Entrelaçados

Por Felipe MirandaCâmbio20.07.2022 14:10
br.investing.com/analysis/mercados-entrelacados-200450886
Mercados Entrelaçados
Por Felipe Miranda   |  20.07.2022 14:10
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 

Sempre que vivenciamos uma crise a gente ouve falar que o dólar perderá a sua dominância global.

Pouco depois do início da pandemia da Covid-19, em que em um primeiro momento vimos a moeda americana ganhar força em relação às outras moedas globais, surgiram teorias de que a abordagem tanto do governo americano como do Federal Reserve dificultaria a vida da sua divisa.

Não que as medidas tomadas não tenham sido necessárias naquele momento – na Grande Recessão de 2008, a reclamação foi que a cavalaria demorou a agir, então buscaram se prevenir dessa crítica.

Mas também não podemos dourar a pílula. A reação atrasada do Fed em subir os juros fez com que os preços na Terra do Tio Sam aumentassem em velocidade não vista em quase meio século.

CONFIRA: Monitor de juros do Federal Reserve

Agora, buscando recuperar o tempo perdido, já vemos ser discutida a possibilidade de Jerome Powell e seus comandados aumentarem a taxa básica de juros americana em 1 ponto percentual.

Ainda que esta tenha deixado de ser a aposta majoritária em questão de dias – segundo o CME Fed Watch Tool, o mercado precifica hoje uma maior chance de um aumento de 0,75 ponto percentual na reunião da quarta-feira que vem –, só o fato de ter sido ventilada a hipótese mostra que o Federal Reserve quer realmente combater a inflação que assola os Estados Unidos.

Quando comparamos com a nossa taxa Selic, parece até brincadeira de mau gosto. Mas, infelizmente, a comparação neste caso tem que ser feita mais com os pares desenvolvidos do que com economias emergentes.

E, em relação à União Europeia e ao Japão, os EUA estão muito mais adiantados.

Esta semana devemos ter o primeiro aumento por parte do Banco Central Europeu. Só que o aumento pretendido pela instituição comandado por Christine Lagarde deve levar a taxa básica da região para algo perto de 0%, uma vez que hoje se encontra no campo negativo. Isso mesmo com a União Europeia também sofrendo com os problemas causados pela inflação, exacerbados pela questão energética decorrente do conflito na Ucrânia.

E, sem falar que muitos de seus membros apresentam endividamentos que colocariam em risco suas economias, como no caso da Itália (em patamares maiores do que levou o país a uma grave crise no começo dos anos 2010).

Já na Terra do Sol Nascente, sem sinais de que o Banco Central vá aumentar os juros na reunião dos próximos dias, mantendo em patamares extremamente baixos.

Essa discrepância entre algumas das principais economias globais deve continuar fortalecendo o dólar.

O “Dollar Index”, que mede a performance da divisa americana ante uma cesta de moedas (euro, iene japonês, franco suíço, libra esterlina, dólar canadense e coroa sueca) já mostra uma alta de quase 11% do dólar no ano, atingindo patamares não vistos desde o começo dos anos 2000.

Por outro lado, esse fortalecimento do dólar pode aumentar a possibilidade de uma recessão global, já que uma boa parte dos lucros das empresas americanas vem de suas operações em outros países.

Estimativas de mercado apontam que, no primeiro semestre do ano, os lucros dessas companhias foram reduzidos em cerca de US$ 40 bilhões, ante uma perda de US$ 8 bilhões no mesmo período de 2021.

Nos últimos dias já tivemos divulgações de que algumas das principais empresas globais seguem revisando para baixo suas projeções para o ano por conta do dólar forte.

Primeiro foi a Microsoft (NASDAQ:MSFT) (BVMF:MSFT34) que pontuou isso semanas atrás. Ontem foi a vez da Johnson & Johnson (NYSE:JNJ) (BVMF:JNJB34) e da Netflix (NASDAQ:NFLX) (BVMF:NFLX34) informarem seus investidores que os próximos resultados serão impactados negativamente. Não importa o setor, o impacto estará lá.

E se engana quem acha que isso não tem implicações para nós, brasileiros.

Ainda que o dólar mais caro torne as nossas exportações mais atrativas para outros mercados, fato é que a nossa cesta de consumo é impactada negativamente por essa desvalorização cambial.

Também não podemos esquecer que a redução do consumo global também significa menor demanda por produtos brasileiros.

Não bastasse isso, temos todas as dificuldades do nosso lado fiscal e uma eleição que muitos consideram a mais desafiadora desde a redemocratização.

Mesmo com a alta recente, ainda acho que todo investidor deve ter uma parcela do seu patrimônio exposta ao dólar. E, para se proteger de uma desvalorização da moeda americana, a queda recente no ouro abre um bom ponto de entrada para quem não tem o ativo na carteira – com um peso menor do que o da divisa da Terra do Tio Sam.

Com um mundo cada vez mais entrelaçado, não adianta pensar apenas localmente. Ainda mais quando o assunto é investimentos.

Um abraço.

Mercados Entrelaçados
 

Artigos Relacionados

Mercados Entrelaçados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (3)
Tiago Santos Silva
Tiago Santos Silva 21.07.2022 3:06
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Aposto no Brasil e Blackrock/BTG nos EUA .. Mas muitas empresas americanas não estão baratas ... e o dólar ninguém consegue prever, até hoje não conheci um ... Só minha filha de 7 anos que aceitou um sorvete de R$ 4,60 por um nota de 1 dólar que havia deixado com ela já algum tempo, fiquei pensativo "essa menina nunca erra"" .. kkkkk
Francisco Pelosi
Francisco Pelosi 21.07.2022 3:06
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Filhos são filhos e de um mofo ou outro sempre acabamos protegendo e elogiando mas convenhamos, se a menina tivesse esperado uns 3 meses teria comprado o mesmo sorvete, só que com cobertura e duas casquinhas por 5,40.
Bruno Rossi
Bruno Rossi 21.07.2022 0:35
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Boa... 👏👏
Ueverson Rocha
Ueverson Rocha 20.07.2022 14:18
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail