Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Trigo: Falta de Chuvas e Altas Temperatura Preocuparam Agentes do Setor em Agosto

Por CepeaCommodities22.09.2021 15:51
br.investing.com/analysis/trigo-falta-de-chuvas-e-altas-temperatura-preocuparam-agentes-do-setor-em-agosto-200444849
Trigo: Falta de Chuvas e Altas Temperatura Preocuparam Agentes do Setor em Agosto
Por Cepea   |  22.09.2021 15:51
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 

A falta de chuvas e as altas temperaturas preocuparam agentes do setor de trigo em agosto. Com exceção de parte do Rio Grande do Sul, o clima no último mês esteve bastante seco, enquanto muitas lavouras estavam nas fases de desenvolvimento e de floração. Esse cenário atrelado à elevação da paridade de importação e à demanda elevada, principalmente por parte do setor de ração, mantiveram em alta os preços domésticos do trigo. No entanto, no fim do mês, as cotações passaram a recuar, apesar da baixa disponibilidade de trigo em grão e da aquecida demanda por farelo. A pressão veio da proximidade do início da colheita da próxima safra no País – as atividades devem começar em setembro. Mesmo assim, as variações mensais permaneceram positivas. Agora, agentes de moinhos aguardam a entrada do trigo da nova safra no spot nacional para voltar a realizar negócios envolvendo maiores volumes. Além disso, mesmo com as geadas e o déficit hídrico nas lavouras, a produção desta safra pode ser recorde, o que gera expectativas de menores preços.

Em agosto, o preço médio do trigo no mercado disponível do Paraná foi de R$ 1.633,08/tonelada, expressiva alta de 6,5% frente ao de julho e de 34,8% na comparação com agosto/20. Em Santa Catarina, a média de agosto foi de R$ 1.610,72/t, avanços de 4,8% no comparativo mensal e de 26,9% no anual. Em São Paulo, a média foi de R$ 1.666,93/t, elevações de 4% frente à de julho e de 37,1% na comparação com a de agosto/20. No Rio Grande do Sul, a média de agosto fechou a R$ 1.530,69/t, aumentos de 3,3% frente à de julho e de 23,9% em relação à de agosto/20. No caso dos derivados, a maioria das farinhas apresentou alta nos preços em agosto, com valorizações de 1,5% para panificação, 0,9% para bolacha salgada, 0,48% para bolacha doce, 0,4% para massa integral e 0,13% para pré-mistura. Já as farinhas destinadas para massas em geral e massas frescas se desvalorizaram, 2,42% e 2,08%, respectivamente. Quanto ao farelo, as cotações avançaram de forma expressiva em agosto: 5,5 % para o produto a granel e 5,1% para o ensacado.

IMPORTAÇÕES – De acordo com dados da Secex, em agosto, foram importadas 594,13 mil toneladas de trigo, contra 595,33 mil toneladas em agosto/20. Em relação ao preço de importação, a média de agosto foi de US$ 276,3/t FOB origem, 23,1% acima da registrada no mesmo mês de 2020 (de US$ 224,5/t).

ESTIMATIVAS – O relatório de agosto da Conab mostra que a área brasileira com trigo em 2021 deve atingir 2,69 milhões de hectares, 15,1% acima da safra anterior. A produtividade da safra foi reduzida em relação aos dados indicados em julho, mas ainda deve ser recorde, estimada em 3,18 t/ha, e 19,7% acima da registrada em 2020. Assim, a produção pode somar 8,59 milhões de toneladas, significativo aumento de 37,8% em comparação à safra anterior e um recorde. A Conab prevê a importação de trigo entre agosto/21 e julho/22 em 6 milhões de toneladas, 0,12% abaixo da safra anterior (agosto/20 – julho/21). Com isso, a disponibilidade interna (estoque inicial + produção + importação) deve ser de 14,73 milhões de toneladas, 14,5% acima da safra anterior e a maior desde 2016. Do lado da demanda, estima-se consumo interno de 12,34 milhões de toneladas, 3,7% a mais que na última temporada. As exportações permanecem estimadas em 600 mil toneladas. Desta forma, o estoque final, em julho/22, deve ser de 1,79 milhão de toneladas, volume expressivamente superior às 146,9 mil toneladas de julho/21. O USDA, em relatório divulgado em agosto, estima que a produção brasileira seja de 7,7 milhões de toneladas, 23,2% acima da safra 2020/21.

Em termos mundiais, o USDA reduziu a estimativa de produção global da safra 2021/22, agora apontada em 776,9 milhões de toneladas, tendo em vista as menores ofertas de Rússia, Canadá, Turquia, Cazaquistão e Estados Unidos. Ainda assim, a produção segue acima da temporada 2020/21, com leve alta de 0,1%. Quanto ao consumo, o USDA indica aumento de 0,3% de 20/21 para 21/22, a 786,67 milhões de toneladas, mas queda de 0,5% em comparação ao relatório de julho, devido ao menor consumo causado pelos altos preços. Os estoques mundiais recuaram 3,4% frente aos da safra 2020/21, indo para 279,06 milhões de toneladas. A relação estoque/consumo permanece em queda, saindo de 36,9% para 35,5%. Em relação às exportações da safra 2021/22, o USDA prevê 199,81 milhões de toneladas, elevação de 0,8% em comparação à safra anterior. Os destaques nas exportações foram a Ucrânia (23,5 milhões de toneladas) e a Austrália (23,5 milhões de toneladas), com altas expressivas de 40,3% e de 18,8%, respectivamente, entre as temporadas 20/21 e 21/22. Os maiores exportadores continuam sendo a Rússia e a União Europeia, com 35 milhões de toneladas cada.

PREÇOS E SAFRAS EXTERNOS – Nos Estados Unidos, considerando-se as médias de julho e de agosto, o primeiro vencimento do contrato Setembro/21 do Soft Red Winter da Bolsa de Chicago (CME Group) se valorizou relevantes 9,11%, a US$ 7,2574/bushel (US$ 266,66/t). Na Bolsa de Kansas, o contrato de mesmo vencimento do trigo Hard Winter avançou 12,12%, a US$ 7,1144/bushel (US$ 261,41/t). Nos EUA, o USDA indicou que a colheita do trigo de inverno foi finalizada. Para o trigo de primavera, a colheita havia atingido 88% da área em 29 de agosto, acima da temporada passada (66%) e da média de 71% dos últimos cinco anos. Na Argentina, informações divulgadas pela Bolsa de Cereales apontam que as condições das lavouras foram prejudicadas pela falta de chuvas – na última semana de agosto, 58,9% da área apresentava condições hídricas adequadas. Até o fim do mês, 39% das lavouras argentinas estavam em condições normais, 31%, em excelentes, e 31%, em ruins.

Trigo: Falta de Chuvas e Altas Temperatura Preocuparam Agentes do Setor em Agosto
 

Artigos Relacionados

Scot Consultoria
Arrefecimento no Mercado do Boi Gordo   Por Scot Consultoria - 20.10.2021

Por Thayná Drugowick O ritmo lento no mercado interno mantém os preços da arroba pressionados nas praças paulistas. No comparativo diário o boi e vaca gordos recuaram R$1,00/@. Já...

Trigo: Falta de Chuvas e Altas Temperatura Preocuparam Agentes do Setor em Agosto

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail