Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Petróleo muda de direção após Trump sinalizar cortes na produção

Commodities02.04.2020 14:23
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters.

Por Barani Krishnan

Investing.com - Donald Trump pode alcançar o que a Opep não conseguiu. Os tuítes do presidente dos EUA na quinta-feira (2), dizendo que ele esperava que a Arábia Saudita e a Rússia retomassem os cortes de produção, fizeram com que um mercado afetado pela destruição da demanda e um excesso de oferta saltasse cerca de 25% no início das negociações em Nova York. Porém, os analistas permaneceram céticos de que quaisquer cortes alcançados serão suficientes.

"Acabei de falar com meu amigo MBS (príncipe herdeiro) da Arábia Saudita, que falou com o presidente Putin da Rússia, e espero que eles cortem aproximadamente 10 milhões de barris, e talvez muito mais, o que, se acontecer, será ÓTIMO para a indústria de petróleo e gás! " Trump disse em seu primeiro de dois tuítes sobre o assunto.

Seu tuíte subsequente dizia: “...Pode chegar a 15 milhões de barris. Boas (ótimas) notícias para todos!”

O West Texas Intermediate, índice de referência para o petróleo dos EUA negociado em Nova York, subia US$ 4,52, ou quase 23%, a US$ 24,83 por barril às 16h12 (horário de Brasília), respondendo às observações de Trump. O índice atingiu uma alta na sessão de US$ 27,30 anteriormente. Na segunda-feira, o WTI atingiu mínimas de 18 anos, a US$ 19,27.

O Brent, o índice de referência global para petróleo negociado em Londres, subia US$ 5,117, ou 21%, a US$ 29,91 por barril. A alta da sessão foi de US$ 35,99.

Os preços do petróleo estão em seu pior ano devido à destruição da demanda causada pela crise do coronavírus e ao colapso do pacto de corte de produção entre a Arábia Saudita e a Rússia sob a Opep +. O WTI perdeu 66% no primeiro trimestre e o Brent, 61%.

Contudo, alguns analistas encontraram problemas nos números de corte de produção apontados por Trump.

"Obviamente, não há muitos detalhes aqui (são 10 milhões de barris POR DIA?)", disse Ellen Wald, presidente da Transversal Consulting e colunista de petróleo do Investing.com. “Está espalhado pela Opep+? Etc? ”

Outros estavam céticos em relação a o que qualquer acordo faria pela oferta e demanda de petróleo, pois o mercado está amplamente desequilibrado por um excesso diário de cerca de 20 milhões de barris.

"O mercado já estava em uma forte tendência de baixa, então isso definitivamente levou os preços ao alto", disse John Kilduff, sócio fundador do fundo de hedge de energia de Nova York Again Capital. "Isso não compensará a destruição da demanda que está por vir".

A Agência de Imprensa Saudita, em uma série de tuítes, confirmou as conversas entre Trump e o príncipe herdeiro saudita Mohammad bin Salman. A agência também disse que o pai do MBS, King Salman, havia solicitado ao grupo Opep+, que inclui o aliado Rússia, que se reunisse para uma nova discussão sobre como apoiar o mercado em meio à destruição da demanda causada pela pandemia de coronavírus.

"O Reino pede uma reunião urgente para os estados da Opep+ e outro grupo de países, com o objetivo de alcançar uma solução justa para restaurar o desejado equilíbrio dos mercados de petróleo", tuitou a agência de imprensa. "Este convite é parte integrante dos esforços constantes do Reino para apoiar a economia global nessas circunstâncias excepcionais e em apreciação ao pedido do presidente e de amigos dos EUA."

A resposta saudita a Trump veio um dia depois que o porta-voz do Kremlin Dmitry Peskov disse que o presidente Vladimir Putin não tem planos imediatos de ter um telefonema com a liderança saudita. Mas essas negociações podem ser iniciadas rapidamente, se necessário, acrescentou Peskov.

Putin falou com o rei Salman há mais de um mês, antes de decidir não estender a cooperação da Rússia sob o acordo da Opep+, que começou em 2016 e foi renovado duas vezes antes de ser suspenso no início de março.

A Arábia Saudita, enfurecida, aumentou sua produção, com o objetivo de atingir um recorde de 12,3 milhões de barris por dia deste mês em diante, ou 30% acima dos níveis de março. Também reduziu o preço de venda de seu petróleo bruto, em uma aparente tentativa de roubar clientes de exportadores de petróleo da Rússia e dos EUA.

A guerra de aumento de produção e redução de preços se mostrou desastrosa para os perfuradores de óleo de shale dos EUA, muitos dos quais produzem um barril de US$ 35 ou mais. Na quarta-feira, a Whiting Petroleum, uma das maiores perfuradoras em Bakken Shale, em Dakota do Norte, entrou com um pedido de proteção contra falência, tornando-se a primeira empresa grande a sucumbir à queda do preço do petróleo induzida pelo Covid-19. Especialistas do setor disseram esperar mais falências no setor de shale nos EUA, a menos que os preços se recuperem rapidamente.

Os tuítes de Trump na quinta-feira pareciam ser uma resposta à necessidade urgente de recuperação do mercado de shale. O presidente está programado para se reunir com os chefes de algumas das maiores empresas de petróleo dos EUA para discutir medidas para ajudar a indústria, que luta pela sobrevivência. O Wall Street Journal disse que os principais executivos da Exxon Mobil (NYSE:XOM) e da Chevron (NYSE:CVX) devem participar da reunião, juntamente com o CEO da perfuradora de shale Continental Resources (NYSE:CLR), Harold Hamm, que originalmente pediu a intervenção de Trump na Guerra de preços entre a Arábia Saudita e a Rússia.

Summer Said, correspondente do Jornal no Oriente Médio, tuitou separadamente que a Arábia Saudita estava considerando uma redução na produção de petróleo para menos de 9 milhões de barris por dia - o que levaria de volta a níveis abaixo de sua recente alta na produção - se outros participassem do esforço.

Said também tuitou que os sauditas querem que EUA, Canadá, México e outros produtores de petróleo do G20 participem dos cortes.

Petróleo muda de direção após Trump sinalizar cortes na produção
 

Artigos Relacionados

Embarques de trigo soft da França recuam em dezembro
Embarques de trigo soft da França recuam em dezembro Por Reuters - 21.01.2022

Por Forrest Crellin PARIS (Reuters) - As exportações de trigo soft da França fora da União Europeia no mês passado foram menores do que em novembro, uma vez que os embarques para...

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail