📖 Guia da Temporada de Balanços: Saiba as melhores ações escolhidas por IA e lucre no pós-balançoLeia mais

Safra no cinturão da laranja deve cair 24% e ser a pior em 36 anos

Publicado 12.05.2024, 09:20
Safra no cinturão da laranja deve cair 24% e ser a pior em 36 anos
OJ
-

A safra 2024/2025 de laranja deve registrar uma queda brusca no país. A produção no chamado “cinturão citrícola”, formado por São Paulo e triângulo/sudoeste de Minas Gerais, deve ser a pior em 36 anos. A projeção consta de levantamento do Fundecitrus (Fundo de Defesa da Citricultura).

A produção de laranja na região deverá atingir 232,38 milhões de caixas de 40,8 quilos cada na próxima safra. Isso resultaria numa queda de 24,3% em relação à safra atual, de 2023/2024, e de 24,5% na comparação com a média das últimas 10 safras. Seria a pior produção desde 1988/1989.

O chamado cinturão citrícola é a principal região produtora do país. Responde por cerca de 80% das laranjas colhidas no Brasil. Como reflexo da colheita ruim, o preço do suco de laranja deve aumentar no país e ampliar a pressão global em relação à oferta da fruta.

O resultado deve afetar as exportações nacionais. O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de laranja. Responde por 75% do comércio mundial do produto. Ou seja, a cada 4 copos de suco de laranja vendidos no planeta, 3 vieram do Brasil.

De acordo com o coordenador da Pesquisa de Estimativa de Safra do Fundecitrus, Vinícius Trombin, as condições climáticas desfavoráveis foram fator determinante para a redução da produção. Ele cita as sucessivas ondas de calor, que afetaram o florescimento dos pés.

“O tempo seco e quente impactou a produção das laranjeiras, além de um cenário agravado com alta incidência de greening (doença do dragão amarelo) nas plantações. As temperaturas subiram muito desde a chegada do fenômeno El Niño que se instalou em junho do ano passado e provocou maior evapotranspiração e a redução da umidade do solo”, diz.

Foram registradas 3 ondas de calor no final de 2023 que afetaram a região num período fundamental para o desenvolvimento dos frutos. A 1ª em setembro, a 2ª em novembro e a 3ª em dezembro. As altas temperaturas causaram uma queda significativa de frutos recém-formados.

De acordo com a pesquisa, as chuvas registradas de dezembro de 2023 a fevereiro de 2024 causaram um florescimento extraordinariamente tardio. Ainda assim, as múltiplas floradas não conseguiram compensar a perda inicial, o que acarretou uma redução do número de frutos por árvore, em 29%.

Com essa redução, o Fundecitrus espera que as laranjas alcancem tamanhos maiores do que as colhidas na safra passada, em cerca de 5%. “A menor competição entre os frutos fará com que cresçam mais. Isso contribuirá para minimizar as perdas”, diz Trombin.

Leia mais em Poder360

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.