Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Atualize já

Últimas Notícias

Infracommerce homologa aumento de R$ 400,8 milhões no capital social

Economistas esperam corte da Selic no 2º semestre de 2023; mercado projeta antecipação

Dados Econômicos 22.09.2022 16:35
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
 
BAC
+4,15%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
CSGN
-2,54%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
B3SA3
+4,32%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
ITUB4
+0,00%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
SANB11
+0,63%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 

Por José de Castro

(Reuters) - O juro básico da economia brasileira deve permanecer em 13,75% até o fim do primeiro semestre de 2023 antes de finalmente começar a ser reduzido, disseram economistas, avaliando que o comunicado do Copom divulgado na noite de quarta-feira reforçou leituras de espaço para alívio monetário na segunda metade do ano que vem.

"Com a desaceleração da economia, não só pela política monetária, mas também pelo juro mais alto lá fora, é improvável que a inflação não ceda", disse o economista-chefe da Neo Investimentos, Luciano Sobral, que vê espaço para corte de 3 pontos percentuais nos juros no segundo semestre do ano que vem, levando a Selic a 10,75%.

"O cenário que o BC está buscando parece esse: juro parado no primeiro semestre e depois reduções."

Na noite de quarta-feira, o Banco Central decidiu manter a Selic em 13,75% ao ano, pausando às vésperas da eleição presidencial um agressivo ciclo de aperto monetário, com 12 altas seguidas da taxa.

A interrupção do aperto no país se deu no mesmo dia em que o Federal Reserve promoveu a terceira alta seguida de 0,75 ponto percentual da taxa de juros dos Estados Unidos e indicou mais altas significativas à frente.

Mesmo parando a alta da Selic, a decisão da autoridade monetária no Brasil foi permeada de elementos "hawkish" --ou seja, por uma postura mais dura sobre a inflação--, como a dissidência de dois diretores que votaram por alta de 0,25 ponto. O Comitê de Política Monetária (Copom) ponderou que não hesitará em retomar as altas nos juros se a redução da inflação não transcorrer como o esperado.

"No geral, o tom do comunicado foi 'hawkish', mas não acreditamos que os participantes do mercado deixarão de precificar mais cortes na curva de juros", disseram em relatório Solange Srour e Rafael Castilho, do Credit Suisse (SIX:CSGN).

"Isso porque o Banco Central decidiu interromper o ciclo de aperto... e suas projeções de inflação não mostram um cenário desafiador para a inflação."

O movimento das taxas dos contratos de juros futuros negociados na B3 (BVMF:B3SA3) em geral referendava percepção dos economistas sobre a queda da taxa. O DI janeiro 2024 --que capta as expectativas para os rumos da Selic entre hoje e o fim de 2023-- caía 12 pontos-base, enquanto o DI janeiro 2023 cedia cerca de 4,5 pontos-base.

A curva nesse trecho, que já estava invertida, aprofundava essa tendência nesta quinta-feira, com o spread saindo de -0,65 ponto percentual para -0,715 ponto. Isso por si só já indica projeções de mais cortes dos juros em 2023. Mas a curva mostra quedas mais firmes nos vértices do segundo semestre, evidência de que o mercado coloca mais fichas em reduções da Selic nos últimos seis meses do próximo ano, ainda que também revele apostas em corte antecipado, ainda no primeiro semestre.

ATA

Para David Beker, chefe de economia e estratégia do Bank of America (NYSE:BAC) para Brasil, a decisão e a comunicação do Copom vieram em linha com a expectativa da casa para o fim do ciclo de aperto, com a tônica "hawkish" também como esperado. Com isso, ele vê a Selic em 13,75% até dezembro deste ano, mas indo a 10,50% ao fim de 2023.

O Itaú Unibanco (BVMF:ITUB4) lembrou que na ata da reunião do Copom, a ser divulgada na próxima semana, será possível obter mais informações sobre o racional do BC, mas afirmou não esperar que o colegiado revise a estratégia de manter os juros altos por bastante tempo, "por pelo menos algumas reuniões".

Com base na última revisão de cenário para Brasil, de dez dias atrás, o Itaú espera alívio monetário apenas no segundo semestre do ano, ao término do qual a Selic ficaria em 11,00%.

O Santander Brasil (BVMF:SANB11) vê o Banco Central lidando com os riscos inflacionários daqui para frente ao tornar "autonomamente" sua postura monetária mais contracionista ao longo do tempo, deixando o próximo movimento da Selic atrasado em relação ao ritmo gradual de declínio das expectativas de inflação.

Com isso, o banco privado calcula que no segundo trimestre de 2023 o país viverá seu maior nível de restrição monetária em quase 20 anos. A Selic ainda seria mantida em 13,75% logo após esse período, contudo, devido a elementos cíclicos que podem gerar riscos de resiliência inflacionária no médio prazo --sobretudo ausência de folgas tanto na economia como no mercado de trabalho.

Passado esse período, a Selic seria reduzida e terminaria o ano em 12,00%.

Economistas esperam corte da Selic no 2º semestre de 2023; mercado projeta antecipação
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (15)
Lamir M B Carvalho
Lamir M B Carvalho 23.09.2022 8:47
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
A queda na inflação do Brasil será de forma estrutural, por termos um bom equilíbrio energético, sermos um país produtor de commodities (principalmente alimentar, que supre as necessidades básicas do cidadão), além das reformas que as equipes do governo brasileiro trabalharam para reduzir o custo Brasil, como a redução da burocracia, redução de impostos, investimentos nas malhas rodoviárias, ferroviárias e hidroviárias (unindo portos aos centros produtores, reformas trabalhistas e, outras mais, que estão capitaneando investimentos para o setor produtivo, que se traduz num aumento crescente do PIB brasileiro. Em suma, maior oferta, menor inflação. O que podemos ainda ser pontualmente afetados é a inflação de alguns produtos importados ou àqueles que potencialmente poderão ser destinados à exportação.
luiz bruno
luiz bruno 22.09.2022 20:57
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Esses economistas, devemos ser os mês.o que projetaram o PIB 2022 lá baixo e depois revsaram...!
Allan KI
Allan KI 22.09.2022 19:49
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
com a Selic nesse patamar por mais um ano vai quebrar metade dos mutuários que fizeram financiamento habitacional com taxa de 2% a.a....
Zelensk Zenith
Zelensk Zenith 22.09.2022 19:48
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Avante!🇧🇷22
rafaelluis ferrari
rafaelluis ferrari 22.09.2022 18:44
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
se o ladrão ganhar a bolsa vai pra 60k
Ronaldo Santos
Ronaldo Santos 22.09.2022 18:44
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
e se o psicopata ganhar?
rafaelluis ferrari
rafaelluis ferrari 22.09.2022 18:42
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Bolsonaro no primeiro turno, PT nunca mais
Fernando Esteves
Fernando Esteves 22.09.2022 18:42
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
faltam 10 dias para o fim da Bozolandia
Inocêncio da Silva
Inocêncio da Silva 22.09.2022 18:33
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
É o capitão do povo, que vai vencer demovo!!! Brasil não aceita mais retrocessos!!!
Ivan zinho
Ivan zinho 22.09.2022 18:27
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
DO JEITO QUE ESSES CARA ERRAM EM TODAS, MELHOR ACREDITAR QUE A SELIC VAI CAIR 0.25 PONTOS NO MÊS QUE VEM.
Manuel Netto
Manuel Netto 22.09.2022 18:27
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Numa curva exponencial de grana e felicidade geral na qual comprarei Oi4 e ficarei PODRE de rico!!
Marcos Zembruski Duarte
Marcos Zembruski Duarte 22.09.2022 18:26
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Aqui nao é base de pesquisa , ba eleição de 2018 , aqui dava 8 a 1 para o demente , e o Hadad fez 45% dos votos .Lula rumo a vitória com certeza .Mas aceitem o resultado , para não ficarem com cara de palhaço como o Trump.
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail