Garanta 40% de desconto
🚀 6 ações que subiram +25% no 1º tri selecionadas pela nossa IA. Quais ações vão subir no 2º tri?Não perca a lista completa

PIB: Economistas esperam que economia tenha crescido em torno de 3% em 2023

Publicado 28.02.2024, 15:30
Atualizado 28.02.2024, 15:39

Investing.com – Com um agro pujante no primeiro semestre e um mercado de trabalho resiliente, mesmo com taxas de juros elevadas, ainda que em trajetória de queda, especialistas esperam que a economia tenha perdido fôlego no último trimestre do ano, rondando a estabilidade, mas estimam uma expansão do Produto Interno Bruto (PIB) próxima de 3% em 2023. O dado oficial será divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta. O consenso indica, para os últimos três meses do ano, uma leve alta de 0,1%.

Entre os fatores que teriam tornado possível essa pequena expansão, ou manutenção frente aos três meses anteriores, estariam a continuidade do ciclo de cortes na taxa básica de juros Selic e o programa de renegociações de dívidas Desenrola. Carla Argenta, economista-chefe da CM Capital, destaca que o segundo semestre deve ter sido de crescimento abaixo da taxa média mensal verificada nos primeiros seis meses do ano passado, que haviam sido alavancados pelo agronegócio. A tendência é de uma estabilidade, em sua visão, levando o dado anual a um crescimento de 3%, de acordo com sua estimativa.

José Francisco de Lima Gonçalves, economista-chefe do banco Fator, concorda com a projeção de consenso, próxima de 0,1%, e afirma que a redução nas taxas de juros não tem sido o suficiente para animar varejo de bens duráveis e semiduráveis. Pois, com fatores sazonais, o agronegócio perdeu força ao longo dos trimestres. No final do ano, a extração mineral foi um dos impulsos. Em serviços, o nível estava alto, mas parou de crescer, recorda o especialista.

No entanto, há visões mais otimistas. Julio Hegedus, economista-chefe da Mirae Asset Brasil, avalia ser possível um crescimento no quarto trimestre em torno de 0,4%, contra o anterior, com impulso do bom desempenho dos serviços e do varejo, pelo crescimento do consumo das famílias e diante de políticas parafiscais, além do Desenrola e da taxa Selic em queda. “Devemos considerar alguma transmissão do setor agropecuário, beneficiado pela mega safra no ano, com o saldo comercial atingindo um patamar recorde de US$ 98,8 bilhões”.

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), apresentou um crescimento de 2,45% em 2023, de acordo com a autoridade monetária. Já o último Boletim Focus com dados de 2023, divulgado em 05 de janeiro, apontava para uma expansão de 2,92% do PIB.

Expectativa para 2024

A tendência, a princípio, é de um PIB menos robusto por vir. Economistas consultados pelo Banco Central estimam uma expansão de 1,75% em 2024, de acordo com a publicação mais recente do Boletim Focus. “Para este ano, esperamos a continuidade da tendência do processo de arrefecimento da economia brasileira”, reforça a economista da CM Capital, ao projetar uma expansão de 1,5% em 2024.

O economista do Fator observa que as características de 2023 não se repetem em 2024, sendo que a economia vai depender mais do consumo das famílias, em sua visão. “Isso mostra uma situação firme do mercado de trabalho. O crescimento da renda e emprego, mesmo com juros elevados, ainda conseguiu sustentar o consumo das famílias de maneira relevante”. No entanto, como o crescimento desses indicadores não deve ocorrer da mesma forma, ele também enxerga um ritmo mais moderado para o PIB, próximo de 2%. Ainda, completa que o efeito dos juros em queda para o crédito das famílias tem sido irrelevante e que a formação bruta de capital fixo não deve apresentar grandes melhoras, mas só não deve cair porque o patamar atual já é extremamente preocupante.

Para o primeiro trimestre de 2024, Hegedus acredita que a economia deve continuar a se recuperar lentamente, pelos mesmos propulsores do final do ano de 2023, mas também pela gestão do ministro da Fazenda Fernando Haddad, vista como positiva e muito focada na agenda fiscal. O setor de serviços, em forte retomada desde a pandemia, também pode alavancar os dados.

“Devemos destacar também a política fiscal ativa e as eleições municipais como dois vetores a estimular a economia neste ano”. Hegedus também demonstra preocupação com o desempenho dos investimentos, pois avalia que boa parte dos empresários segue no aguardo da conclusão da Reforma Tributária para retomar seus investimentos. O economista elenca ainda fatores exógenos preocupantes, como a eleição nos Estados Unidos, sua situação fiscal delicada e fatores geopolíticos com guerras no Oriente Médio e continuidade do conflito na Ucrânia, com possíveis novos desdobramentos.

Precisa de ajuda para navegar nos mercados com crescimento do PIB mais fraco neste ano? InvestingPro é para você! Seja você busca conquistar orientações sobre investimentos ou procura por ferramentas que permitam escolher as ações do Ibovespa ou dos mercados globais corretas por conta própria, o InvestingPro tem algo a oferecer.

Você encontrará estratégias de IA, indicadores exclusivos, dados financeiros históricos, notícias profissionais e muitos outros serviços para sempre manter uma vantagem nos mercados e saber quais ações comprar e quais evitar. E os leitores de nossos artigos têm por tempo limitado um desconto especial nas assinaturas Pro e Pro+ de 1 e 2 anos, graças ao código promocional INVESTIR a ser inserido na página de pagamento.

Últimos comentários

Comedor de abóbora não sabe a diferença de crescimento nominal e real, por isso vota no ex-presidiário.
E pelo visto vc também não sabe
Esses comedores de abóbora não deveriam nem estar aqui nesse site. Se estão é porque provavelmente ouviram falar que esse site fala da Bolsa e devem ter achado que era sobre o Bolsa Família e afins.
o IBGE estimulará os investidores..kkk
Não se preocupem, a calculadora do IBGE nunca decepciona. Eu aposto em 3,1%, só pra vir acima da expectativa do mercado. Rsrs
Já viramos Cuba então? Kkkkk
PIB subindo, risco Brasil CDS caindo, desemprego caindo, renda subindo, inflação caindo, juro caindo e gado chorando 😭... É muito amor pelo ladrão Golpista!
Desde novembro 2023 o comércio só caindo, e nada de nelhira. As pessoas estão com medo de abrir a carteira.
O gado é tão burro que mistura inflação com PIB .. É muita paixão pelo ladrão Golpista. Abala os neurônios.
crescer 3% com uma inflacao de 15%, só o Dilmo e seus asseclas para comemorar.
Se crescer 0,1% descontada a inflação real é muito
BYD, GM, VW etc investindo o resto que se FORDa.
são os economistas maldadd e dilmãe que estão falando isso.
O gado diria. Quem acredita em economistas, eu so acredito no meu ladrão golpista de estimação... HAHAHAHAH
Notem que o agro sustentou o que pode vir a ser uma excelente notícia para um governo que demoniza os produtores, resumindo quem trabalha é que carrega esse bando de desocupados nas costas.
Você não sabe nem onde está parado
Na terra plana que os patotas acreditam que não é,,,,
Maior plano safra da história. Cala boca palhaço
Chooora Bolso e golpistas !!!
Golpistas fascistas n4zistas misógenos
Com juros estratosféricos abaixo dos 9,99% é no mínimo 3,69% com muito 💘 para celebrar.
come capim todos os dias?
Mas se não fosse o agro fascista esse PIB seira quanto , só que na hr de dizer o PIB a não ser quem trabalha com esses dados ,poucos saberão que foi por causa do agro do primeiro semestre
Dos 3% de crescimento esperado para 2023, o setor agropecuário contribuiu com 1,1pp, a indústria contribuiu com 0,3pp, e os serviços contribuíram com 1,6pp. Logo, sem o Agro, o PIB cresceria 1,9% no ano.
especialistas abstratos que ninguém conhece
qualidade de vida e poder de compra nada...
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.