Libere dados premium: até 50% de desconto InvestingProGARANTA JÁ SUA OFERTA

Dívida bruta chega a marca recorde de 90% do PIB em fevereiro

Publicado 31.03.2021, 09:56
© Reuters. Banco Central em Brasília

BRASÍLIA (Reuters) - A dívida pública bruta do setor público brasileiro atingiu o patamar recorde de 90% do PIB em fevereiro, impulsionada mais uma vez pelo crescimento da colocação de títulos em mercado pelo Tesouro para cobrir o déficit das contas públicas e também pelo aumento do valor, em reais, do estoque da dívida externa como resultado da desvalorização cambial.

O nível da dívida bruta, indicador fiscal acompanhado mais de perto por analistas, é o maior da série do Banco Central, iniciada em 2006, mostraram dados divulgados nesta quarta-feira pela autoridade monetária, e se compara a uma dívida de 89,4% em janeiro.

No mês passado, o setor público voltou a registrar déficit na sua conta primária --que não inclui receitas e despesas com juros--, após um superávit recorde em janeiro, mês em que tradicionalmente o saldo é positivo.

O déficit primário foi de 11,700 bilhões de reais, bem abaixo do rombo registrado em fevereiro do ano passado (20,901 bilhões de reais) e também inferior ao projetado por analistas em pesquisa da Reuters (23,950 bilhões de reais).

Dados do Ministério da Economia mostraram que as receitas da União cresceram em fevereiro acima das despesas, alavancadas pela recuperação da economia e por arrecadações extraordinárias.

A perspectiva para as contas, no entanto, segue envolta em incertezas, diante do aumento de medidas de fechamento da economia em meio ao agravamento da pandemia no país, da crescente demanda por despesas para o enfrentamento da crise e do imbróglio em torno do Orçamento de 2021, que ainda não foi sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro.

No acumulado em 12 meses, o rombo primário equivale a 9,23% do PIB, recuo em relação ao indicador de janeiro, que estava em 9,39% do PIB.

Já as despesas com juros seguiram em alta em fevereiro, totalizando 29,197 bilhões de reais, aumento de 700 milhões de reais sobre fevereiro do ano passado, sob o impacto da aceleração da inflação --que corrige parcela da dívida em títulos-- e do crescimento do próprio estoque da dívida.

© Reuters. Banco Central em Brasília

A dívida mobiliária (em títulos) em mercado do governo geral aumentou em 116 bilhões de reais em fevereiro sobre janeiro, para 4,494 trilhões de reais, contribuindo para o aumento da dívida bruta total. Já o estoque da dívida externa teve alta de quase 30 bilhões de reais com a desvalorização cambial, a 858,4 bilhões de reais.

(Por Isabel Versiani e Camila Moreira)

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.