Garanta 40% de desconto
🚨 Os mercados estão em baixa. Descubra ações subvalorizadasDescubra ações agora mesmo

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta sexta-feira

Publicado 02.02.2024, 07:10
Atualizado 02.02.2024, 08:04
© Reuters

Por Peter Nurse e Jessica Bahia Melo

Investing.com – Os investidores ficarão atentos ao relatório oficial de empregos de janeiro nos Estados Unidos, em busca de pistas sobre a trajetória futura da taxa de juros do Federal Reserve (Fed, banco central americano), enquanto a temporada de balanços trimestrais continua. No Brasil, a arrecadação com super-ricos surpreende o governo.

CONFIRA: Calendário Econômico do Investing.com

1. Mercado de trabalho dos EUA em foco com "payroll" de janeiro

O aguardado relatório de empregos não-agrícolas dos EUA será publicado hoje e trará um panorama sobre a situação do mercado de trabalho americano, que pode ser decisiva para definir quando o Federal Reserve iniciará o ciclo de redução dos juros.

A previsão é que a economia americana tenha gerado 187 mil novas vagas de trabalho em janeiro, abaixo dos 216 mil do mês anterior, com a taxa de desocupação passando de 3,7% para 3,8%.

O resultado viria após um aumento surpreendente nos pedidos de seguro-desemprego e um desempenho fraco na geração de empregos.

Um payroll abaixo do esperado poderia sinalizar que os 5,25 pontos percentuais de elevação dos juros promovidos pelo Fed desde 2022 estão finalmente afetando a economia, o que poderia colocar um corte de juros em março no radar.

Os investidores têm postergado as expectativas sobre o início da queda dos juros nos EUA este ano, mas novos indícios de enfraquecimento do mercado de trabalho justificariam a projeção atual de mais de 1,4 ponto percentual de redução até o fim do ano.

Os futuros das ações americanas operavam em alta moderada na sexta-feira, antes da divulgação dos dados cruciais de emprego, com o índice Nasdaq, de forte peso tecnológico, se destacando após os resultados expressivos da Meta Platforms (NASDAQ:META) e da Amazon (NASDAQ:AMZN) no pregão anterior.

Anúncio de terceiros. Não é uma oferta ou recomendação do Investing.com. Leia as nossas diretrizes aqui ou remova os anúncios .

Às 7h59 (horário de Brasília), o contrato Dow futuros estava estável, o S&P 500 futuros avançava 0,5%, e o Nasdaq 100 futuros subia quase 1%.

Os três principais índices fecharam em alta de cerca de 1% na quinta-feira, se recuperando após as perdas pós-Federal Reserve, impulsionados por balanços trimestrais majoritariamente positivos em diversos setores.

Os investidores terão um importante indicador econômico para analisar na sexta-feira, o relatório mensal de empregos, enquanto os balanços trimestrais seguem sendo divulgados, de empresas como Chevron (NYSE:CVX), Exxon Mobil (NYSE:XOM), Bristol-Myers Squibb (NYSE:BMY) e AbbVie (NYSE:ABBV).

CONFIRA: Calendário da temporada de balanços

2. Meta e Amazon se destacam, enquanto a Apple decepciona

Três das ações de tecnologia e crescimento de megacapitalização que lideraram a alta dos mercados na maior parte do ano passado apresentaram seus balanços após o fechamento do mercado na quinta-feira, com reações distintas.

As ações da Meta Platforms e da Amazon dispararam no after market, adicionando um valor combinado de US$ 280 bilhões no mercado acionário, depois que os gigantes da tecnologia surpreenderam os investidores com seus resultados trimestrais, enquanto o valor da Apple caiu em US$ 70 bilhões após seus números.

A Meta registrou um crescimento de 25% na receita do trimestre encerrado em dezembro, impulsionada por publicidade robusta e vendas de dispositivos, e a dona do Facebook anunciou seu primeiro dividendo.

A Amazon impressionou, pois o crescimento da nuvem atingiu as expectativas, enquanto o aumento dos gastos on-line se acelerou durante o período crucial de compras de fim de ano.

Anúncio de terceiros. Não é uma oferta ou recomendação do Investing.com. Leia as nossas diretrizes aqui ou remova os anúncios .

Em contraste, a Apple (NASDAQ:AAPL) projetou uma queda nas vendas do iPhone e estimou uma receita total de US$ 6 bilhões abaixo das previsões, indicando que seu produto de assinatura está perdendo espaço no importante mercado chinês.

3. Nvidia dispara com demanda por chips de IA

A expectativa pelo impacto da inteligência artificial nos resultados das empresas se refletiu na procura pelas ações da Nvidia (NASDAQ:NVDA) neste mês.

A maior fabricante de chips do mundo em valor de mercado viu sua capitalização bater um recorde de US$ 296,52 bilhões em janeiro, chegando a cerca de US$ 1,52 trilhão, superando os ganhos de US$ 248,23 bilhões registrados em maio de 2023.

A Nvidia tem uma posição dominante no mercado de chips avançados de IA e planeja iniciar a produção em massa no final deste ano de um chip de IA desenvolvido para seus clientes chineses, a fim de atender às rigorosas regras de exportação dos EUA.

COTAÇÕES: Commodities de energia

4. Petróleo caminha para forte queda semanal

Os preços do petróleo avançaram na sexta-feira, mas ainda caminhavam para fortes quedas semanais após relatos infundados de que um cessar-fogo entre Israel e o Hamas estava sendo negociado.

Às 8h, os contratos futuros do petróleo dos EUA eram negociados com alta de 0,47%, a US$ 74,17 por barril, enquanto o contrato do Brent tinha valorização de 0,43%, para US$ 79,04 por barril.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados, conhecidos como Opep+, mantiveram sua política de produção de petróleo inalterada na quinta-feira, assegurando que a oferta permaneça limitada no primeiro trimestre do ano.

Anúncio de terceiros. Não é uma oferta ou recomendação do Investing.com. Leia as nossas diretrizes aqui ou remova os anúncios .

O grupo se reunirá em março para decidir se manterá ou não os cortes voluntários na produção de petróleo em vigor no primeiro trimestre.

No entanto, ambos os contratos caminhavam para quedas semanais de cerca de 5%, já que o fim da guerra entre Israel e o Hamas, apoiado pelo Irã, reduziria as tensões no Oriente Médio, amenizando os receios sobre interrupções no fornecimento nessa importante região produtora de petróleo.


5. Arrecadação com ‘super-ricos’ no Brasil

A arrecadação do governo federal com os chamados ‘super-ricos’ vem surpreendendo, na visão do secretário do Tesouro Nacional, Rogério Ceron, que informou à Folha de S. Paulo que, com os dados preliminares, não espera bloqueio orçamentário em março e não enxerga motivo para discussão de alteração na meta fiscal.

O governo estabeleceu a meta de zerar o déficit fiscal neste ano, o que o mercado avalia com bastante ceticismo. Ceron destacou como ponto positivo a vinda de recursos de paraísos fiscais (offshores) fora do Brasil e de fundos exclusivos – sendo que o governo projeta arrecadar R$20 bilhões neste ano com essas medidas. A meta mensal foi alcançada, segundo o secretário, mas os dados ainda não foram fechados.

Às 8h (de Brasília), o ETF (NYSE:EWZ) subia 0,93% no pré-mercado.

Melhore seus investimentos com nossas inovadoras escolhas de ações InvestingPro+ baseadas em IA. Use o cupom INVESTIR para obter um desconto por tempo limitado em nosso plano de assinatura anual e investirmelhor1 para o plano de 2 anos. Clique aqui para saber mais e não se esqueça de usar o código de desconto ao finalizar a compra!

Anúncio de terceiros. Não é uma oferta ou recomendação do Investing.com. Leia as nossas diretrizes aqui ou remova os anúncios .

Últimos comentários

Realmente o Haddad tem acertado bastante
4 com texto caixa alta e a 5 quase não se percebe. tenha fibra diretor.
Além de arrecadar com os super ricos tem sugado até a alma dos super pobres com seus impostos e taxas.
quem estipula impostos e taxas é o governo não a pessoa física. quem mantém a pobreza é o estado
e acharam que esse governo ia baixar impostos? Ou é santa ignorância ou santa idioti*e
toooop notícia bem esclarecida.
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.