Garanta 40% de desconto
🚀 6 ações que subiram +25% no 1º tri selecionadas pela nossa IA. Quais ações vão subir no 2º tri?Não perca a lista completa

Nubank (ROXO34): Do prejuízo ao lucro, o que mudou na fintech investida de Buffett

Publicado 23.02.2024, 14:25
Atualizado 23.02.2024, 14:25
© Reuters

Investing.com – A plataforma de serviços financeiros digitais Nu Holdings (NYSE:NU), uma das empresas mantidas no portfólio da Berkshire Hathaway (NYSE:BRKa), do megainvestidor Warren Buffett, saiu do prejuízo em 2022 para o lucro em 2023, expandindo a rentabilidade não somente pela aquisição de clientes, mas pela expansão para outros mercados.

Às 14h23 (de Brasília), as ações negociadas na NYSE caíam 2,22%, a US$10,13, enquanto os Brazilian Depositary Receipts (BDRs) (BVMF:ROXO34) ganhavam 3,19%, a R$8,40. As negociações mistas nos mercados refletem também a visão de analistas, que tinham projeções otimistas para os lucros do banco.

A fintech reportou um lucro líquido US$ 360,9 milhões no trimestre, com contra um lucro de US$ 58 milhões no mesmo período do ano anterior. Em 2023 como um todo, o lucro somou R$1 bilhão, contra o prejuízo de US$9,1 milhões no ano fiscal de 2022.

“Estamos desbloqueando a oportunidade ainda não totalmente explorada da nossa carteira de empréstimos com e sem garantia, aumentando nossa participação no segmento de alta renda no Brasil e fortalecendo nossa presença no México e na Colômbia a partir do lançamento de novos produtos e recursos”, apontou o Nubank em release de resultados.

Expansão na AL e novos produtos

A fintech mirou na expansão no Continente e em receitas advindas de novos produtos. Por exemplo, até dezembro, em torno de 35% dos clientes ativos do cartão de crédito do Nubank eram usuários ativos do Pix parcelado, aproveitando a modalidade de transferência rápida lançada pelo Banco Central. Além disso, o banco diz expandir o portfólio, que contém cartão de crédito, conta, empréstimos pessoais, apólices de seguros e investimentos.

Após o balanço, entre os pontos mencionados por analistas esteve o aumento no número de clientes em 4,8 milhões, para 93,9 milhões de clientes. No Brasil, são 87,8 milhões, o que fez do Nubank a quarta maior instituição financeira do país. A base internacional também segue em alta, com quase 1 milhão de clientes no trimestre, somando 5,2 milhões no México, o que a fintech considera como um mérito da estratégia da Cuenta Nu, a versão mexicana da NuConta. Na Colômbia, outro país foco do Nu, o total de clientes passou de 800 mil.

Visão dos analistas

Analistas apresentaram visões mistas sobre seu balanço, pois muitos haviam estimado números muito otimistas em relação aos lucros. De acordo com a Guide Investimentos, a fintech teria apresentado lucros ligeiramente abaixo das projeções, diante da estratégia voltada para a expansão no México.

William Castro Alves, estrategista-chefe da Avenue, enxergou o balanço como misto frente às estimativas de Wall Street. “As receitas por usuários ativos cresceram 23,3%, para US$ 10,6. Os depósitos cresceram 38% na comparação anual e a taxa de inadimplência permaneceu estável em 6,1% (considerando dívidas vencidas a mais de 90 dias)”, destaca o estrategista, que menciona ainda o aumento das despesas operacionais.

O Itaú BBA enxergou o balanço como positivo, diante do aumento do lucro e um Retorno sobre o Patrimônio Líquido (ROE, na sigla em inglês) de 23%, que teria ficado ligeiramente abaixo das projeções do banco, diante de uma alíquota de impostos mais alta, mas com desempenho de negócios melhor do que os analistas esperavam.

“O crescimento dos empréstimos acelerou para 14% em termos trimestrais para a carteira total de empréstimos e 22% em termos trimestrais para a parte que rende juros, à medida que os produtos de crédito ao consumidor continuaram a ganhar força”, afirmam os analistas Pedro Leduc, Mateus Raffaelli e William Barranjar, que também mencionam o marco no número de clientes. Considerando os resultados operacionais sólidos, o Itaú BBA possui classificação outperform para as ações do Nubank listadas no mercado americano, com preço-alvo de US$12.

Larissa Quaresma, analista da Empiricus Research, acredita que o resultado teve excelente, qualidade embora a expectativa já fosse alta. “Teve um crescimento forte de receita por cliente, crescimento bem importante na margem financeira e isso se deve ao crescimento da carteira de crédito que foi superforte, em torno de 30% e, em segundo lugar, ao aumento da participação do parcelamento no cartão. Isso aumenta a receita proveniente de juros dada uma mesma carteira de crédito no cartão”, detalha a analista.

A analista da Empiricus vê tendências positivas tanto na margem financeira quanto na inadimplência, sendo o terceiro trimestre seguido de diminuição nos índices de atrasos entre 15 a 90 dias, além de uma estabilidade nos índices de atrasos superiores a três meses. “Então a gente começa a ver uma inversão de ciclo muito importante para o Nubank”, mencionando ainda a adesão forte do banco digital ao programa de renegociação de dívidas do governo Desenrola.

O aumento das despesas em marketing é visto como um esforço do Nubank em aumentar a penetração no segmento de alta renda. “Essa é uma empreitada que a gente vê com certo ceticismo, mas considerando a capacidade de execução do Nubank em outras empreitadas passadas, talvez até mais difíceis do que essa, a gente concede o benefício da dúvida”.

A Empiricus mantém a recomendação neutra para a ação, considerando o valuation. “A ação hoje está negociando a 10 vezes seu valor patrimonial é está praticamente no mesmo preço da abertura de capital (IPO, na sigla em inglês) de dezembro de 2021, que foi quando a gente odiou a ação, mas a empresa está num momento operacional muito melhor hoje. Ela é muito mais saudável e rentável do que era no momento do IPO”, completa Quaresma.

O que diz o InvestingPRO

As Protips do InvestingPRO consideram o Nubank com negociação em um índice de preço por lucro (P/L) baixo em relação aos resultados no curto prazo, e menciona o alto retorno neste ano. As Protips são uma nova ferramenta do InvestingPRO, que fornece insights rápidos e descomplicados sobre as companhias, visando otimizar e dar mais embasamento para a tomada de decisões dos investidores. Confira as outras Protips sobre o Nubank e clique aqui para saber mais sobre as Protips.

Protips ROXO34

O preço-justo para os BDRs é de R$6,99, um potencial de baixa de 17,2%.

Preço-justo ROXO34

Para as ações negociadas na NYSE, o preço-justo é de US$8,36.

Preço-justo NU

Dados financeiros completos do histórico de balanços do Nubank estão disponíveis no InvestingPRO, assim como modelos de investimentos previstos no peço-justo. Também é possível acessar gráficos de comparação com pares locais e internacionais para avaliar se vale a pena ou não investir na fintech. Nossos leitores têm desconto especial de 10% nos planos de um e dois anos do Pro e Pro+ com o cupom INVESTIR. Não esqueça de aplicar o cupom na hora de finalizar a compra. Caso tenha alguma dúvida sobre a plataforma ou sobre o desconto, entre em contato com a equipe.

Últimos comentários

Dinheiro público!!
Aplicações indexadas ao Índice S&P 500 terão uma rentabilidade positiva bastante expressiva e histórica...
Simples roubando os cliente
que o diga Americanas
Como acreditar em balanços rsss
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.