Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Atualize já

PEC dos Combustíveis libera gastos de R$ 17,7 bi fora das regras fiscais

Ações 08.02.2022 08:49
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. PEC dos Combustíveis libera gastos de R$ 17,7 bi fora das regras fisca
 
PETR4
+1,67%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Combustíveis no Senado abre caminho para o governo federal gastar em 2022 até R$ 17,7 bilhões fora das principais regras de sustentabilidade das contas públicas em vigor.

Caso a proposta seja aprovada, os recursos devem ir para bancar, em ano eleitoral, a criação de um auxílio-diesel para caminhoneiros, um subsídio para as tarifas de ônibus urbanos e a ampliação do vale-gás, excluindo todas essas despesas das amarras fiscais, assim como ocorreu com o pagamento do auxílio emergencial durante a pandemia de covid-19.

A proposta foi apresentada pelo senador Carlos Fávaro (PSD-MT), aliado do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e foi apelidada pela equipe econômica de "PEC Kamikaze" por promover, além da desoneração do combustível, a criação de auxílios com aumento de gastos para a União em 2022 e 2023.

O texto institui um auxílio-diesel para caminhoneiros autônomos, proposta defendida pelo presidente Jair Bolsonaro, mas em uma proporção maior ao projetado pelo governo. A proposta é de até R$ 1,2 mil por mês para 750 mil motoristas autônomos, criando uma despesa de R$ 10,8 bilhões neste ano.

A PEC autoriza o governo federal a repassar até R$ 5 bilhões para Estados e municípios aplicarem no transporte coletivo, com o objetivo de subsidiar o aumento nas tarifas para os passageiros. Além disso, os senadores querem ampliar o vale-gás de 50% para 100% do preço do botijão. O orçamento do programa é de R$ 1,9 bilhão, ou seja, o governo precisaria dobrar os recursos.

Um dispositivo da PEC retira as despesas com esses subsídios do teto de gastos (que limita o crescimento à inflação do ano anterior), da meta de resultado primário (receitas menos despesas, exceto o pagamento de juros), que neste ano permite rombo de até R$ 79,3 bilhões, e da regra de ouro (que proíbe o governo de se endividar para pagar despesas correntes).

ASSINATURAS

Até agora, 31 senadores assinaram a autoria da PEC. O apoio não significa que esses parlamentares votarão favoravelmente ao texto. Normalmente, integrantes do Senado assinam iniciativas de colegas para viabilizar a tramitação, que só começa com 27 assinaturas. Em medidas polêmicas, porém, as assinaturas sinalizam apoio para a discussão.

Para financiar os subsídios, a PEC destina os recursos de dividendos pagos pela Petrobras (SA:PETR4) à União e as receitas do governo federal com leilões do pré-sal. Os repasses seriam feitos por meio do Fundo Social, que já existe. O argumento dos senadores é de que, com receita nova, não seria necessário deixar os gastos sob o teto.

O Ministério da Economia se movimenta contra a PEC, ao calcular que poderia causar um rombo de R$ 100 bilhões nos cofres públicos. O governo não encaminhou uma proposta própria, mas colocou a digital, por meio da Casa Civil, em uma PEC diferente, protocolada na Câmara.

Na justificativa da PEC de sua autoria, o senador Carlos Fávaro afirmou: "Por se tratar de medida extraordinária, com duração até dezembro de 2023, financiada com fonte própria que nunca foi utilizada para realização de nenhuma despesa primária, não faz nenhum sentido estar subordinada ao teto de gastos, nem a qualquer outra medida de limitação de realização de despesas, seguindo o mesmo princípio adotado para o Auxílio Emergencial no âmbito da Emenda Constitucional nº 109".

Para o líder do PSDB no Senado, Izalci Lucas (DF), o benefício da PEC supera o custo fiscal. "Não pode ficar do jeito que está. Todo mundo tem que pagar o preço, o governo federal, os Estados e também a Petrobras", afirmou. "A Economia nunca é a favor. Não apresentam nada e, se o Senado não faz, nada acontece." O líder do PL, partido de Bolsonaro, Carlos Portinho (RJ), é favorável à redução de impostos, mas criticou os subsídios criados pela proposta. "Não é sustentável", afirmou. "Temos de buscar soluções de longo prazo."

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

PEC dos Combustíveis libera gastos de R$ 17,7 bi fora das regras fiscais
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (12)
Fernando Borelli
Fernando Borelli 08.02.2022 11:52
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Política é uma cousa, roubar é outra muito diferente. Essa gente não aprende e vai invadir igrejas. É isto que alguns defendem? É vergonhoso!
Rosildo da Silva
Rosildo da Silva 08.02.2022 11:52
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Pastor MalaCheia em vez de ensinar e difundir os ensinamentos bíblicos e cristão; mas, não, o negócio é empanturrar os bolsos de dinheiro e se aliar a genocida contra o povo. Vergonha!
Soco Soco
Soco Soco 08.02.2022 11:03
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
É só alterar a política de preço da Petrobras e parar de distribuir dividendos para fundos estrangeiros.
Lucas Nascimento
Lucas Nascimento 08.02.2022 11:02
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Ou seja dinheiro será usa pelo o governo para comprar votos
Paulo Rogério Almeida
Paulo Rogério Almeida 08.02.2022 10:41
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
O Brasil da política e não a política do Brasil, pois o 1° é de um mundo paralelo que legisla em causa própria, independente de partido A ou B já que não existe ideologia, está no centro da corrupção, da fome, da seca, do desemprego, da injustiça, das macas pelos corredores, do sistema de educação em muitos casos ineficaz. Eficiência e produtividade para político é subtrair, burlar, amealhar o alheio e ficar rico. Sassá Mutema cresceu e se multiplicou de 4 em 4 anos.
carlos tomiello
carlos tomiello 08.02.2022 10:07
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Miliciano mais SOCIALISTA que o próprio luladrão, o fim disso será calote na dívida pública???
Marcos Barreto
Marcos Barreto 08.02.2022 10:07
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Bozo abrindo as comportas em mais uma atitude populista eleitoral.
Rafael Rodrigues
Rafael Rodrigues 08.02.2022 10:02
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Vale tudo pro Bozo levar a melhor em 2022. Vale combustível, vale gás, vale caminhoneiro. Cadê o Posto Ipiranga?
Luiz Luiz
Lorival 08.02.2022 9:56
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
a estratégia do bolsonaro é enganar o gado reacionário extremista dizendo que é de direita e agradar os pobres com populismo eleitoreiro socialista
Wallacy Freitas
Wallacy Freitas 08.02.2022 9:56
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Vale tudo para ser reeleito. Bozo traidor, Paulo Guedes incompetente.
André Luis Pereira dos Santos
André Luis Pereira dos Santos 08.02.2022 9:41
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Burro feito a Dilma e ladrão como Lula. Bozo é campeão em 2022 nas Olimpíadas da Sacanagem Fiscal.
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail