Últimas Notícias
Garanta 40% de desconto 0
🔎 Confira as ProTips completas de NVDA e descubra riscos e retornos DESCONTO de 40%

Produção de petróleo sob partilha no Brasil terá pico de 2,3 mi bpd em 2029, diz PPSA

Publicado 22.11.2023 11:20 Atualizado 22.11.2023 11:26
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. FPSO Anita Garibaldi, da Petrobras, em Aracruz (ES). REUTERS/Ricardo Moraes
 
PBR
0,00%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
LCO
+0,57%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
NG
-1,64%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A produção de petróleo nos contratos de partilha de produção no Brasil alcançará o pico de 2,3 milhões de barris por dia em 2029, versus os atuais 921 mil bpd, antes de começar a declinar, apontou nesta quarta-feira a estatal PPSA, que representa o país nos contratos de partilha de produção.

Nos anos seguintes, segundo a PPSA, se não houver novos contratos, "a produção entrará em declínio gradualmente", atingindo 1,8 milhão de bpd em 2033, segundo o mais novo levantamento, que contempla projeções em 10 anos para os contratos de partilha e para as jazidas compartilhada de Mero, Atapu e Tupi.

De 2023 a 2032, os contratos acumularão um total de 6,5 bilhões de barris produzidos, dos quais 1,3 bilhão pertencerão à União (20%), disse a PPSA.

A produção de gás natural para exportação nestes contratos apresenta crescimento a partir de 2025 e se mantém praticamente estável entre 2026 e 2032.

PRODUÇÃO DA UNIÃO

A produção diária de petróleo da União, por sua vez, alcançará o pico de 564 mil bpd em 2029, mais de 11 vezes a produção atual de 51 mil bpd. O pico será alcançado antes que a produção comece a declinar atingindo 422 mil bpd em 2033, segundo o levantamento.

Neste período, os contratos irão gerar uma receita total de 1,15 trilhão de reais para os cofres públicos, considerando a comercialização, o pagamento de royalties (373 bilhões de reais) e os tributos recolhidos pelas empresas produtoras (315 bilhões de reais), disse a PPSA.

"Os projetos em regime de partilha estão em curva ascendente de produção. Atingiremos 564 mil barris por dia de produção para a União em 2029 só com os contratos comerciais", disse em nota a diretora técnica e presidente interina da PPSA, Tabita Loureiro.

A estatal projetou ainda pela primeira vez a produção da União de gás natural e observou que nos próximos anos, o governo terá cerca de 3 milhões de metros cúbicos por dia (m³/dia) para ofertar ao mercado, segundo Tabita.

A parcela de gás natural diária da União saltará dos 112 mil m³/dia, em setembro de 2023, para 1,8 milhão m³/dia em 2027, mantendo uma média de 3 milhões m³/dia pelos próximos seis anos. O pico é alcançado em 2029 com 3,5 milhões m³/dia.

INVESTIMENTOS

A PPSA também calculou que os investimentos realizados pela indústria atingirão 475 bilhões de reais até 2033, com pico em 2025 quando serão aplicados 104,42 bilhões de reais na produção de petróleo e de gás natural nos contratos de partilha de produção.

O estudo estimou, ainda, a demanda de 18 FPSOs (Unidade Flutuante de Produção, Armazenamento e Transferência) e 302 poços. Desse número, só os contratos comerciais representam 11 FPSOs e 215 poços.

Para o levantamento, a PPSA considerou o preço de 75 dólares por barril nos anos de 2024 e 2025 e de 70 dólares por barril de 2026 em diante.

 

(Por Marta Nogueira)

Produção de petróleo sob partilha no Brasil terá pico de 2,3 mi bpd em 2029, diz PPSA
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir esse gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por esse motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
 
Tem certeza que deseja excluir esse gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar esse comentário

Diga-nos o que achou desse comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail