Garanta 40% de desconto
🚀 6 ações que subiram +25% no 1º tri selecionadas pela nossa IA. Quais ações vão subir no 2º tri?Não perca a lista completa

Até quanto os títulos dos EUA podem cair diante da força do mercado de trabalho?

Publicado 04.10.2023, 15:09
Atualizado 09.07.2023, 07:31

Os mercados de ações e títulos sofreram quedas significativas na terça-feira, 3, após a divulgação de dados de emprego nos EUA, que reforçaram a perspectiva de que o Federal Reserve manterá as taxas de juros mais altas no país por um período prolongado.

No mercado de câmbio, a negociação do iene japonês foi marcada mais uma vez por uma considerável volatilidade, subindo de mínimas em quase um ano em relação ao dólar, em meio à especulação de que as autoridades japonesas podem estar tomando medidas para evitar uma desvalorização adicional da moeda.

O S&P 500 caiu 1,4%, enquanto o Nasdaq perdeu 1,9%, à medida que os investidores continuaram a ajustar suas carteiras para acomodar os maiores rendimentos dos títulos. A taxa dos títulos de 10 anos do Tesouro americano continua subindo, atingindo níveis em torno de 4,9% - uma nova máxima em 16 anos.

A divulgação do relatório de agosto do JOLTS (Pesquisa de Vagas e Rotatividade de Mão de Obra) ocorre apenas alguns dias antes do relatório de folhas de pagamento não agrícolas do Departamento de Trabalho dos EUA para setembro, programado para ser divulgado na sexta-feira. Economistas consultados pela Dow Jones antecipam que serão criados 170.000 empregos urbanos no mês de setembro.

“Os dados de emprego na sexta-feira devem ajudar a esclarecer se o mercado de trabalho está tão forte quanto o relatório JOLTS sugere, porque, nesta fase da ‘última milha’ do Federal Reserve para desanuviar a inflação restante, um relatório mais forte do que o esperado será a última coisa que o Fed deseja ver, sem mencionar os mercados financeiros”, disse Quincy Krosby, estrategista global-chefe da LPL Financial em Charlotte, Carolina do Norte.

Ações sentem alta de juros americanos

Os principais índices de ações tentaram brevemente uma recuperação no início das negociações de terça-feira. No entanto, esse esforço de rali foi abruptamente interrompido pela divulgação do relatório do JOLTS ontem. O relatório revelou um aumento significativo nas vagas de emprego, com 9,61 milhões registradas em agosto, em comparação com 8,9 milhões em julho, superando amplamente as expectativas de Wall Street, que previam 8,81 milhões.

Os maiores aumentos nas vagas de emprego foram observados nos setores de serviços profissionais/negócios (+509.000), finanças/seguros (+96.000) e governo estadual/local (+76.000). Parece que o aumento inesperado nas vagas de emprego nos EUA, com base nos dados do JOLTS de agosto, foi impulsionado principalmente por um aumento nas ofertas de emprego para trabalhadores qualificados, indicando uma demanda contínua por mão de obra.

O aumento nas vagas de emprego relatado nos dados do JOLTS de agosto foi principalmente impulsionado por pequenas empresas com menos de 10 funcionários. Essas empresas menores representaram a maioria do aumento nas vagas de emprego. As empresas de médio porte também relataram aumentos substanciais nas vagas de emprego, enquanto o aumento para grandes corporações foi relativamente modesto.

Portanto, os rendimentos dos títulos americanos seguiram em alta, enquanto as ações sofreram um forte impacto, já que o robusto relatório do JOLTS proporcionou mais um motivo para que os investidores antecipem um aumento nas taxas de juros do Federal Reserve em novembro. 

“Essa reversão reforça o argumento a favor de um aumento pelo Fed em novembro”, afirmou Jonathan Millar, economista sênior do Barclays (LON:BARC) em Nova York.

Além disso, este relatório representou a segunda evidência de dados econômicos robustos em apenas dois dias, vindo após os dados do Instituto de Gestão de Suprimentos (ISM) de segunda-feira sobre a manufatura. Juntos, esses recentes dados econômicos têm suscitado preocupações entre os investidores de que o Federal Reserve possa ser compelido a efetuar mais elevações nas taxas de juros nos próximos meses.

Os dados do JOLTS destacam a resiliência da economia, possivelmente fortalecendo o compromisso do Federal Reserve com uma política monetária mais rígida. O aumento das taxas de juros tem diminuído o atrativo das ações de crescimento, bem como das ações que pagam dividendos. Na segunda-feira, as ações do setor de serviços públicos sofreram quedas substanciais, pois os investidores optaram por vender ações com dividendos e direcionar seus investimentos para ativos mais seguros e com rendimentos mais elevados no atual ambiente de mercado.

“É necessário comparar o rendimento dessas ações com o que se pode obter de um ativo sem riscos, como títulos do governo”, observou Gregg Abella, diretor-executivo da Investment Partners Asset Management, uma gestora de recursos de Nova Jersey. “À medida que isso é recalibrado, é difícil prever onde está o ponto mais baixo.”

Os dados do JOLTS também corroboram as indicações dos dados mais recentes do PIB dos EUA, que enfatizaram o impacto dos gastos governamentais no crescimento econômico. Isso reforça ainda mais o argumento a favor de taxas de juros mais elevadas mantidas por um período prolongado, resultando em rendimentos mais altos e em uma maior fragilidade no mercado de ações.

Mercado de Títulos no Comando

As ações subiram nos últimos meses, devido ao otimismo generalizado em relação à inteligência artificial, bem como à crença de que o Federal Reserve, em última análise, será capaz de conduzir um “pouso suave” na economia americana. Entretanto, o abrupto aumento nas taxas de juros de longo prazo para os níveis mais elevados em 16 anos está gerando preocupações e questionando as expectativas dos investidores em relação a uma aterrissagem suave.

Esse aumento nas taxas ocorre em um momento em que a inflação começou a arrefecer e o Federal Reserve indicou que está se aproximando do fim de seu ciclo de elevações nas taxas de juros. Embora taxas de juros mais altas possam ajudar a combater a inflação, a velocidade e a magnitude do recente aumento poderiam potencialmente perturbar a estabilidade econômica e criar desafios para mutuários, incluindo consumidores e empresas.

Outro fator a ser considerado ao analisar os acentuados aumentos nos juros é que uma elevação sustentada nos rendimentos dos títulos do Tesouro dos EUA implica implicações significativas para o governo dos EUA. À medida que os rendimentos sobem, o governo enfrenta custos mais elevados de empréstimo, o que pode pressionar seu orçamento e perspectivas fiscais.

Isso representa mais um grande fator de risco que o Federal Reserve deve considerar quando seu Comitê Federal de Mercado Aberto se reunir em novembro para decidir sobre os próximos passos da política monetária.

Em conclusão, apesar dos esforços do Federal Reserve para abrandar a economia por meio de várias medidas políticas, a força persistente do mercado de trabalho é notável. O mais recente relatório do JOLTS para agosto demonstrou um acentuado aumento nas vagas de emprego nas empresas dos EUA, o que pode acabar sendo um ponto decisivo para que o Federal Reserve efetue pelo menos mais um aumento nas taxas antes do final deste ano. Com isso, as ações e os títulos sofreram quedas após a divulgação do relatório, pois o Federal Reserve pode não ser capaz de conduzir uma aterrissagem suave afinal de contas.

Últimos comentários

Antes treasuries em USD q em BRL
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.