Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Guinada Estrangeira na Bolsa Brasileira

br.investing.com/analysis/guinada-estrangeira-na-bolsa-brasileira-200440886
Guinada Estrangeira na Bolsa Brasileira
Por Sebastião Buck Tocalino   |  23.03.2021 18:05
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 

Reza o bom senso, na hora de comprarmos algo, nos indagarmos se está caro ou barato. Fora os consumidores compulsivos, qualquer pessoa mais controlada pensaria nisto. No entanto, caro ou barato é coisa muito relativa. Depende de prioridades pessoais e, também, do patrimônio disponível de cada um. Quando o negócio é aberto para participação de estrangeiros, a concepção de custo fica ainda mais complexa. Além do câmbio, é importante observarmos a disparidade do poder aquisitivo entre pessoas ou instituições de diferentes países e diferentes contextos econômicos. Se alguém converter em euros, os reais que gastaria para tomar um café com croissant no Brasil, não conseguirá tomar o mesmo café com croissant numa cidade de porte semelhante na Europa. Há muito mais a ser considerado que apenas o câmbio entre moedas.

A paridade, ou melhor, a disparidade do poder de compra em termos internacionais, provoca grandes discrepâncias no valor relativo de bens e serviços em diferentes países. O mesmo se aplica ao custo de ativos financeiros.

Em se tratando do nosso mercado de ações, é importante ter em mente que os estrangeiros respondem por mais da metade do volume financeiro negociado nos pregões da bolsa brasileira.

 Participação dos investidores estrangeiros na B3 em março/21
Participação dos investidores estrangeiros na B3 em março/21


Se o Brasil é a 9ª maior economia do mundo, é bom examinarmos alguns acontecimentos interessantes na 1ª maior economia: os Estados Unidos.

Desde 2008, o Fed (banco central dos EUA) vem criando uma abundância de dólares para evitar uma grande crise, ou adiá-la. Esta criação de dólares pode ser visualizada através da carteira de ativos do Fed. O banco central cria dinheiro, mas, para transferi-lo aos bancos comerciais, precisa comprar ativos destes (preferencialmente títulos do Tesouro americano). No gráfico abaixo, vemos a carteira de ativos do Fed (representando a criação de dólares), que é atualizada toda 4°feira; o estoque de dinheiro M2, que representa o capital disponível para consumo e investimentos (atualizado mensalmente só até dez/2020); e o excedente de reservas dos bancos americanos (que parou de ser divulgado em set/2020).

 EUA: QE e M2 - Excesso de Reserva dos Bancos
EUA: QE e M2 - Excesso de Reserva dos Bancos


Um ano atrás, no pânico de março de 2020 (Covid-19), o Fed zerou qualquer imposição de reservas financeiras aos bancos nos EUA. Evidenciando sua ansiedade em inundar os mercados com dólares, para estancar qualquer crise de confiança na economia e nos mercados financeiros! Mesmo assim, o excesso de reservas dos bancos americanos continuou a ser publicado até 17 de setembro de 2020 (com dados referentes a 10 de setembro de 2020).

Até a última publicação, havia US$ 2,8 trilhões em reservas de bancos comerciais, depositados junto ao Fed. Só para entendermos melhor esta quantia, o Produto Interno Bruto brasileiro, em 2019 (último resultado anual publicado), foi de US$ 1,8 trilhões. Mesmo sendo o quinto maior país da Terra em dimensões territoriais, com a sexta maior população do planeta, e a nona maior economia do mundo, o Brasil teve um Produto Interno Bruto em 2019 que representa apenas 65% do excedente de reservas financeiras dos bancos americanos em setembro de 2020. Pense nisso! No ano anterior à pandemia, tudo o que produzimos em nosso país... nem sequer alcançou dois terços do capital estacionado voluntariamente pelos bancos americanos. Sentiu o drama? Talvez não... Leia novamente. Excesso é só a quantia que ultrapassa o requisito de prudência financeira para bancos nos EUA!

Parte destes US$ 2,8 trilhões podem ter sido convertidos, pelo menos parcialmente, em compras de ativos nos mercados financeiros americanos e internacionais. Mas não sabemos quanto exatamente, nem onde, ou em que tipos de ativos...

Quem leu meu último artigo, deve se lembrar que o estoque de dinheiro M2 é o capital que levita a bolsa americana.

O índice Tocalino pode ser comparado ao índice de ações Wilshire 5000 ajustado pelo agregado monetário M2. Para visualizarmos isto, basta indexar ambos ao nível de 100 pontos em julho de 1990.

Índice Tocalino x Wilshire 5000
Índice Tocalino x Wilshire 5000


Ou podemos, mais simplesmente, multiplicar o Índice Tocalino pelo estoque de dinheiro M2, para então comparar o produto ao desempenho dos índices de ações americanas Wilshire 5000 e S&P 500. No gráfico abaixo, eu sobrepus o S&P 500 ao Wilshire 5000, apenas para demonstrar que ambos seguem o mesmo curso.

 Índice Tocalino x Wilshire 5000 x S&P 500
Índice Tocalino x Wilshire 5000 x S&P 500


Para entender melhor meu indicador, leia o artigo "Índice Tocalino e a Bolsa nos EUA".

Quando dividimos o índice de ações nos EUA pelo estoque de dinheiro M2, ou multiplicamos o Índice Tocalino por M2, vemos uma intimidade bastante óbvia entre o índice americano de ações e o Índice Tocalino. Isto sugere que, na verdade, temos uma bolha de M2! Este estoque monetário compreende o dinheiro prontamente disponível para o consumo (M1), mais uma quantidade de dinheiro disponível para investimentos. Entretanto, M2 vem sendo muito mais usado para investimentos em carteira (negócios com ativos financeiros), do que no consumo ou na formação de capital fixo (expansão da capacidade produtiva, que gera mais bens e serviços para a sociedade).

O pré-requisito de reservas bancárias nos EUA foi zerado, em março de 2020. Apesar disto, o excesso de reservas (reservas acima do requisito oficial, ou seja, todo o capital parado, uma vez que a imposição foi reduzida a nada) só deixou de ser divulgado pelo Fed em 17/set/2020 (relativo ao nível de 10/set/2020). Fica assim a dúvida: Por que a publicação destas reservas foi interrompida em setembro do ano passado? Seis meses depois de abolido o requisito oficial do banco central.

Será que só a partir de setembro de 2020 é que houve uma flagrante mudança de atitude dos bancos americanos, em relação às suas reservas financeiras ociosas?

Estas reservas financeiras não estavam em dólares, propriamente ditos. Ficavam em títulos da dívida pública dos EUA, depositados no Fed.

Antes do grande fiasco financeiro americano de 2008, reservas bancárias eram apenas dinheiro ocioso dos bancos comerciais. Depositadas no banco central como um colchão de segurança, para o caso de uma crise. Depois daquele vexame financeiro com as hipotecas imobiliárias subprime, os bancos começaram a receber juros sobre suas reservas financeiras. O intuito era encorajá-los a serem mais conservadores. Desestimulando peripécias audaciosas em alavancagens especulativas. Isto incentivou-os a manter reservas além da oficialmente requisitada! Vem daí o excesso ou excedente de reservas. Este excedente era uma fonte de rendimentos livre de riscos para os bancos!

Mas é interessante considerar esta potencial mudança de atitude dos bancos americanos, implícita na interrupção dos dados divulgados pelo Fed, a partir de 17/set/2020. Coincidência ou não, a omissão da transparência aconteceu uma semana antes do fluxo estrangeiro mudar na bolsa brasileira!

De 1/Jan/2020 até 23/set/2020, o fluxo de investidores estrangeiros na B3 (SA:B3SA3) vinha sendo NEGATIVO. Em menos de 9 meses, os estrangeiros venderam R$ 86 BILHÕES em ações brasileiras. A evasão estrangeira da bolsa brasileira acontecia num ritmo médio de - R$ 10 bilhões por mês!

No entanto, depois do Fed parar de publicar os excessos de reservas dos bancos americanos, o fluxo estrangeiro voltou a ser positivo para a bolsa brasileira.

De 24/set/2020 até 18/mar/2021 (a última divulgação oficial da B3), os estrangeiros compraram cerca de R$ 72 BILHÕES em ações brasileiras! Num ritmo médio comprador de + R$ 12 Bilhões por mês!

Fluxo Estrangeiro em Ações de Jan/20 a Mar/21
Fluxo Estrangeiro em Ações de Jan/20 a Mar/21


Parece que os grandes bancos americanos estão mesmo reorganizando as carteiras por lá. Será que parte daquelas reservas, outrora estacionadas em títulos do Tesouro americano, estão buscando oportunidades no Brasil? Tudo indica que sim.

Aqueles dólares compram reais brasileiros bastante desvalorizados. E os gringos voltam a incluir mais ativos brasileiros em suas carteiras, procurando maior diversificação. Esta hipótese reforça a perspectiva de rotação de carteiras, que abordei no artigo anterior (analisando oportunidades interessantes). Favorecendo mercados emergentes e países produtores de commodities.

No próximo gráfico, fiz uma razão entre o índice Russell 2000 (com ações das menores empresas nos EUA) e o índice Nasdaq 100 (com ações das 100 maiores empresas não-financeiras da bolsa eletrônica Nasdaq) e tracei uma longa linha de tendência, que já sobrevive por mais de três décadas.


A linha de tendência de baixa, desde a década de 1980 até hoje, talvez seja rompida neste ano. Até os dois fundos duplos, nos anos 2000 e 2020, parecem endossar esta hipótese. Isto indicaria um desempenho mais fraco para as ações das maiores empresas americanas (blue chips), em relação às ações de menor capitalização (small caps).

Digamos que 50% daquelas reservas bancárias de US$ 2,8 trilhões sejam aplicadas nos EUA e o restante pudesse ser alocado em todos os países do globo. Uma abordagem muito conservadora para o Brasil, pois seria improvável uma diversificação tão equilibrada e abrangente! Mas, consideremos que essas aplicações no exterior tenham destinos e volumes proporcionais à contribuição de cada país para o produto interno bruto mundial.

Em 2019, o PIB mundial foi de US$ 87,7 trilhões. Ao excluirmos a fatia dos EUA, vemos que o resto do mundo apresentou um PIB de US$ 66,3 trilhões (87,7 – 21,4 = 66,3). Com nossos US$ 1,8 trilhão, o Brasil contribuiu para 2,7% do PIB mundial sem os EUA (1,8 : 66,3 = 2,7%). Se 2,7% da metade das reservas bancárias americanas (US$ 1,4 trilhões) tiverem o mercado brasileiro como destino, isto resultaria em US$ 38 bilhões de dólares. Ao cambio de R$ 5,52, esta quantidade de dólares daria cerca de R$ 210 bilhões (38 x 5,52 = 209,76). Subtraídos os R$ 72 bilhões, já ingressos na B3 desde setembro passado (210 – 72 = 138), restariam-nos ainda R$ 138 bilhões!

O mercado brasileiro ainda teria um potencial para receber R$ 138 bilhões dos EUA?

Claro que estas contas são apenas imaginação de minha parte. Mas acredito que não sejam impossíveis. Principalmente se houver mais criação de dinheiro mundo afora. Algo muito provável, no curso atual das coisas! E também só coloquei nesta conta o potencial oriundo dos EUA. Como se todo o capital estrangeiro na B3, desde setembro até este momento, viesse dos EUA. Ignorando outros estrangeiros e suas movimentações, passadas ou futuras, no mercado financeiro brasileiro.

Sabemos que, se os EUA criarem mais dinheiro, essa medida também será adotada por vários outros países. E se os americanos aumentarem seus investimentos no Brasil, europeus e asiáticos poderão fazer o mesmo.

O Brasil pode estar diante de uma nova fase promissora. Talvez melhor que a de jan/2016 a fev/2020, ou até mesmo de set/2002 a mai/2008. Volatilidade haverá, sem dúvida! Com chacoalhões geopolíticos internacionais, ou as tradicionalíssimas palhaçadas da nossa administração pública tupiniquim – constantes, governo entra, governo sai, independentemente do partido no poder! Mas, se assim for, as quedas mais voláteis do Ibovespa podem ser excelentes oportunidades para um aumento de posição em ações brasileiras.

Nossos juros básicos estão em nova trajetória de alta, como o COPOM sinalizou na semana passada (com uma primeira alta de 75 pontos base). Contudo, creio que esta tendência de alta dos juros poderá coexistir com a alta das ações brasileiras e do real, no câmbio internacional. Como já disse antes, apesar de qualquer volatilidade no câmbio e eventuais guinadas do dólar, minha aposta é de que o real (BRL) terá melhor desempenho diante de várias moedas internacionais!

Acredito que este calhambeque brasileiro vai pegar no tranco, outra vez. Beneficiando-se de uma maior liquidez financeira internacional. Como nas décadas de 1970 e de 2000, a década de 2020 pode nos presentear com maior investimento estrangeiro! Estas situações passadas não representavam necessariamente mérito de governos militares ou petistas. Mas, invariavelmente, a administração pública brasileira se apropria destas bonanças econômicas, como se fossem conquistas suas. Por vaidade ou brado eleitoreiro, poderão repetir o devaneio nos próximos anos.

Que bom se tivéssemos políticos menos egocêntricos, comprometidos em capitalizar de forma responsável e sustentável nossa economia para o futuro da nação. Infelizmente, do jeito que são nossos governos e políticos, seguimos sempre reféns de crises internacionais ou beneficiários de liquidez estrangeira.

Deixo aqui apenas uma importantíssima ressalva: esta é apenas a minha análise e o meu julgamento dos dados que pesquisei. Cabe a cada um fazer suas próprias pesquisas, análises e conclusões. Como sempre afirmo, posso estar completamente errado. Afinal... eu não tenho bola de cristal!

Copyright © Sebastião Buck Tocalino
A bolsa estimula a cidadania!

Guinada Estrangeira na Bolsa Brasileira
 

Artigos Relacionados

Richard Camargo
2022 é o Ano do Metaverso?   Por Richard Camargo - 18.01.2022 3

O Metaverso é o assunto do momento, uma nova realidade no espaço virtual que vai alterar nosso modo de viver, consumir, estudar e trabalhar. Mas afinal, o Metaverso veio para...

Guinada Estrangeira na Bolsa Brasileira

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (52)
Roger Bamdra
Roger Bamdra 14.05.2021 4:34
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Prévio de confiança do lado empresa ainda o fim pode revertido só com economia de estabilidade do vechio contininente má aos política e muito importante
Kelsen Athayde
Kelsen Athayde 23.04.2021 12:57
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Excelente artigo!
André Luiz Beraldo
André Luiz Beraldo 28.03.2021 17:29
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Parabéns pelo artigo, adorei, espero que continue compartilhando conosco suas analises.
Onofre Queiroz
Onofre Queiroz 27.03.2021 11:39
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Muito bem fundamentada sua análie.
julio napoli
julio napoli 27.03.2021 10:57
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Parabéns pela análise!
Claudio A Brito
Claudio_Brito 27.03.2021 10:45
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Análise muito bem fundamentada.Parabéns
Rogerio Soares
Rogerio Soares 26.03.2021 0:07
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
análise emocional sem fundamento as perspectivas políticas de instabilidade total.
Danilo Mayol
Danilo Mayol 26.03.2021 0:07
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
So apostam aqui dinheiro dado como perdido. Seria o mesmo que comprar acoes da OI
Jorge Efrain Rey de Oliveira
Jorge Efrain Rey de Oliveira 25.03.2021 13:48
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Muit bom artigo Sebastião! Quando eu crescer quero ser igual você! E que Deus abençoe nossa nação (e que tua análise esteja certa). Um abraço, Jorge
Ricardo Paraguassu
Ricardo Paraguassu 24.03.2021 15:17
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Perfeito inovespa forte e bem atrativo ao capital estranheiro ,os gringos querem investir em saneamento , possibilidade de expansao com a imposicao do marco regilatorio de cobertura nacional em 100% , infraestrtura em expansao , e ibov para 150k
Danilo Mayol
Danilo Mayol 24.03.2021 15:17
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Em uns 10 anos chega la...
Nathan Silva
Nathan Silva 24.03.2021 13:03
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Eu acho que a bolsa tem mostrado força apesar dos problemas. Se manter perto do topo nesse cenário acho muito positivo.
Wanderson Resende
Wanderson Resende 24.03.2021 12:46
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Parabéns! Análise bem embasada e com apresentação bem didática.
paulo barba
paulo barba 24.03.2021 12:28
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
o máximo que pode acontecer com esse desgoverno é atrair especuladores de curto prazo , ninguém vai querer investir em um hospício desse
Ricardo Mendes Ribeiro
Ricardo Mendes Ribeiro 24.03.2021 12:01
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Excelente texto, aprendi bastante sobre esse tema, uma ótica bem abrangente.Parabéns
Ariel Baldoni
Ariel Baldoni 24.03.2021 11:59
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Artigo de excelência! Uma perspectiva fora da curva, otimista e bem embasada! Espero que esteja certo em sua análise e que venham tempos melhores! Que os yankees e o resto do mundo vejam o potencial de nossa economia e tragam seus dólares para cá! 🤞🏽
paulo barba
paulo barba 24.03.2021 11:19
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
pode até ser possível essa análise se materializar , mais só quando tivermos um presidente que não seja tão retardado
Ricardo Miranda Gimenes
Ricardo Miranda Gimenes 24.03.2021 11:19
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
"Mais" ?
Fabio Curty
Fabio Curty 24.03.2021 11:19
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Volta pra foice de SP e UOL, mercado de capitais não é pra socialista.
Nalckson Fabrizio
Nalckson Fabrizio 24.03.2021 11:19
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
TIPO O LULLADRÃO? OU O DITADÓRIA QUE QUEBROU SP ? O AMOEBA ESQUERDALHA? O CIRO CORONÉ AGRESSOR? KKKKKK "TAOKAY" 🤣🤣
paulo barba
paulo barba 24.03.2021 11:19
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
o Doriana seria o cara mais certo , mais não tem chance nenhuma se queimou por ser liberal demais não agradou o gado
Fabio Piloto
Fabio Piloto 24.03.2021 11:19
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
paulo barba liberal denais ou mentiroso oportunista demais? Chupou o saco do Bolsobaro só para gamhar a eleição e depois só politicagem rasteira da pior espécie! Pior voto da minha vida!
Adilson Curi
Curi 24.03.2021 11:08
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Parabens sebastião. belo raciocinio e com estudo e fundamento obrigado  Adilson
Glauber Coelho
Glauber Coelho 24.03.2021 11:04
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
texto muito bem elaborado. E complementado com gráficos de uma forma espetacular.
Leo Mamede
Leo Mamede 24.03.2021 10:56
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Análise fantástica!!Minha única ressalva/dúvida fica por conta do último gráfico (Russel 2000/ Nasdaq 100).A razão entre ambas permanacem em tendência de baixa, mas conforme as empresas menores vão crescendo saem do índice e passam a performar em outros, muitas dessas empresas na própria Nasdaq100.Faz sendido ou estou enganado??
Ps Pazar
Ps Pazar 24.03.2021 10:54
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Sebastião, parabéns, fez uma ginástica de raciocínio muito boa!! Gostei bastante!
Elcio Luis
Elcio Luis 24.03.2021 10:41
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Muito bom o desenvolvimento de sua hipótese. Ajuda-nos a abrir a mente para novas perspectivas.
Luis Carlos Fanton
Luis Carlos Fanton 24.03.2021 10:40
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Boa Tocallino.!
Carlos Sauerbier
Carlos Sauerbier 24.03.2021 10:37
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Parabéns. Muito boa explanação.
Leonidas Neto
Leonidas Neto 24.03.2021 10:23
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Excelente
Marcelo Bispo
Marcelo Bispo 24.03.2021 10:22
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Gostei da sua análise e do embasamento por traz dela.Parabéns!
Gedelcio Santos
Gedelcio Santos 24.03.2021 10:21
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Excelente análise!
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: ATENÇÃO: Quaisquer opiniões expressas pelo autor são naturalmente subjetivas e sujeitas a polêmica. Esta não é uma recomendação de investimento! Os dados visualizados aqui procedem de outras fontes, a princípio fidedignas, de boa reputação e acessíveis ao mercado. De Olho Na Bolsa não faz indicações de compra ou venda, ou de negócios de qualquer espécie, e não está autorizada a atuar como consultoria de valores mobiliários. Não nos responsabilizamos por decisões tomadas com base nas informações aqui reunidas. INVESTIMENTOS EM AÇÕES ENVOLVEM RISCOS! Para sua maior segurança, procure sua corretora. Ela poderá ajudá-lo a avaliar riscos e oportunidades em negócios com valores mobiliários.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail