Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Últimas Notícias

Eletrobras adota regras de conduta a empregado e conselheiro sobre capitalização

Mais do Mesmo

br.investing.com/analysis/mais-do-mesmo-200441806
Mais do Mesmo
Por Julio Hegedus Netto   |  07.05.2021 08:39
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 

Quinta-feira (dia 06) repetiu o restante da semana, com o mercado atento aos “atores” convidados para a CPI da Covid. Desta vez, tivemos o médico cardiologista e atual Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, neutro nas suas explanações, mas favorável ao senso comum, ao defender a ciência na forma de encarar a pandemia. Novas discussões rolaram sobre a decisão do Copom de quarta-feira, mas sem grandes novidades. Em complemento, o esforço de vacinação segue na “ordem do dia”, com anúncio de mais uma nova encomenda da Pfizer (NYSE:PFE) (SA:PFIZ34), desta vez, de 1oo milhões de doses, parte a chegar em setembro. Uma boa notícia num momento tão turbulento.

Sobre a CPI, novamente não tivemos grandes revelações. O depoimento do ministro Queiroga consolidou a estratégia do governo de “negar” o que foi feito de errado nos 14 meses de pandemia. Além disso, o ministro procurou se eximir de qualquer responsabilidade sobre o que aconteceu antes da sua gestão. Um ponto positivo foi ele reconhecer a preponderância da ciência no combate à pandemia e pouca atenção ao chamado “kit Covid”. Ficou claro que o ministro Queiroga não parecia à vontade para falar da cloroquina. Se mostrou sempre partidário da ciência.

Na semana que vem teremos os depoimentos de executivos da Pfizer e do ex-secretário da SECOM Fabio Wajngarten. Lembremos que foi ele a acusar o ministro Pazuello de “gestão temerária na batalha contra a pandemia”. “Estranhamente” poupou o presidente de maiores responsabilidades. Uma especulação era a de que o nefasto “gabinete do ódio” segue atuando à plena carga, meio como um “governo paralelo”.

Nestes próximos depoimentos, a polêmica sobre a compra de vacinas, maior gargalo do momento, deve trazer algum impacto aos andamentos da CPI. Mais à frente, dia 19, teremos o ex-ministro e Antônio Pazuello e, talvez, o ministro da Economia Paulo Guedes (caso convocado). No médio prazo, serão convocados gestores públicos de escalões inferiores, envolvidos em ações que possam comprometer o governo, como as compras de cloroquina e a reação tardia à crise de respiradouros em Manaus, dois temas explosivos. Aguardemos.

Sobre a decisão do Copom, o comunicado, depois da reunião, reforçou que o BACEN deve manter a “continuidade” na estratégia de “normalização parcial” da taxa Selic. O “tom” do comunicado, aliás, trouxe ruídos ao mercado.

Alguns viram esta postura como dovish, tranquilizadora e transparente, permanecendo o que já vem sendo feito e não gerando grandes ruídos; outros consideraram esta decisão agressiva, mais hawkish. Isso porque o comunicado disse que os diretores “não tinham compromisso com a posição de não trazer a Selic para a zona neutra”. Ou seja, as interpretações são bem diversas.

Ainda existiam aqueles que acham que o BACEN deve completar o ciclo de juro “o mais rápido possível”. O ciclo terminaria no primeiro semestre e seria dado “um tempo”. Já outros acham que a “normalização parcial” deve perdurar, atravessar este ano e se possível, o próximo.

Por ora, estamos prevendo a taxa Selic a 5,5% ao fim deste ano, em linha com o mercado. Haverá mais um ajuste de 0,75 p.p. em junho e mais outro, de 0,5 ponto percentual, na reunião de agosto. Creio que no segundo semestre, com as campanhas de vacinação bem avançadas, a retomada da economia ganhará em robustez.

Por outro lado, não podemos descartar mais um ajuste ao fim do ano, diante do risco de deterioração das expectativas, piora no front fiscal e aumento do “açodamento político” (CPI da Covid). Assim, nada surpreende se a taxa Selic fechar 2020 em torno de 6% e ir a 7% em 2021.

Isso, por certo, derrubará ainda mais o dólar, contra o real, já havendo quem projete a moeda americana, ao fim deste ano, abaixo dos R$ 5,00. Será positivo também para os índices de preço, com especial destaque para os IGPs. O objetivo aqui é trazer o IPCA, dos 6,1% atuais, em 12 meses, para algo mais próximo do centro da meta (3,75%).

Por fim, falando da pandemia, mais uma queda no dia 06, em 24 horas, 2.550 Óbitos, no total de 417 mil. Pela média móvel semanal são 2.252 óbitos diários e 73.380 novos casos. Segundo o cientista de dados Maurício Garcia, “são 14 unidades da federação com menos de 10 MM/dia (mortos por milhão) e apenas duas acima de 15 (RJ e PR)”.

Segundo ele, “preocupa, no entanto, a curva dos novos casos, praticamente no mesmo patamar de 2 semanas atrás, e preocupa muito o RJ, em forte repique de casos. França, Itália e Alemanha tiveram uma terceira onda, achando que já tinham liquidado a fatura na segunda. Só agora estão conseguindo algum controle. Na Índia predomina o caos completo, assustando o grande número de novos casos. Isso é alarmante pois é um ensejo para novas cepas”.

Uma boa nova foi o acordo com a Pfizer, para a entrega de 100 milhões de doses, 35 milhões em setembro. O problema, como sempre, será o timing, já que os dados servem como argumento, mas ainda não como realidade no Plano Nacional de Imunização.

Sobre a agenda de sexta-feira (07), passados os dados de recuo da produção industrial de março (-2,4%), saem hoje os dados do varejo, da Pesquisa Mensal do Comércio (IBGE) no mesmo mês. Destes saberemos mais sobre esta onda da pandemia, neste caso, causada pelo atraso da vacinação e pelas tensões políticas. Dados negativos do comércio varejista também podem ter como efeito colateral o aprofundamento do discurso do presidente contra medidas de isolamento social. Nos EUA, será um dia importante, pois teremos novos elementos para decifrar em que ritmo (ou intensidade) se encontra a economia norte-americana, se aquecida demais ou de menos. São divulgados o payroll e a taxa de desemprego, ambos de abril.

Bons negócios a todos!

Mais do Mesmo
 

Artigos Relacionados

Mais do Mesmo

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (1)
Cícero RP
Cícero RP 07.05.2021 10:19
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Julio vc errou o texto: "Assim, nada surpreende se a taxa Selic fechar 2020 em torno de 6% e ir a 7% em 2021." E não somente RJ, países da Europa, Índia mas também EUA e vários outros lugares do mundo as contaminacoes continuam apesar de vacinas. É o q disseram alguns cientistas: q as próprias vacinas gerarão novas cepas mais resistentes e transmissíveis, o q parece já está acontecendo!☠️😮🤦
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail