📖 Guia da Temporada de Balanços: Saiba as melhores ações escolhidas por IA e lucre no pós-balançoLeia mais

O que o mercado fez no feriado

Publicado 10.07.2024, 09:11
USD/BRL
-
IBOV
-

O mercado financeiro nem percebeu que ontem foi feriado em São Paulo. O Ibovespa encerrou o 9 de Julho celebrado no Estado cravando sete altas consecutivas, na maior sequência positiva em um ano. A bolsa brasileira segue sem saber o que é cair neste início de semestre.

Já o dólar levou praticamente o mesmo período para voltar a se aproximar da marca de R$ 5,40, depois de ir além dos R$ 5,60. É o menor valor em mais de dez dias. Passado os ajustes dos investidores após o estresse nos ativos locais, o foco dos mercados se volta para…o Federal Reserve.

Fala, Powell

No sempre aguardado testemunho do presidente do Fed no Congresso dos Estados Unidos, Jerome Powell mostrou ontem disposição em cortar a taxa de juros em breve. Porém, ele disse que é preciso “mais dados bons” para fortalecer o cenário de que a inflação ao consumidor norte-americano está se movendo em direção à meta de 2%.

Aliás, o CPI de junho nos EUA será conhecido amanhã. À espera dos números, as apostas não se moveram muito em relação à expectativa de que os cortes começam em setembro. No entanto, Powell enfatizou os sinais crescentes de esfriamento do mercado de trabalho, após o payroll da semana passada mostrar aumento do desemprego pelo terceiro mês.

Ou seja, a inflação não é a única variável para a qual o Fed está de olho. A atividade econômica e o emprego também entram nesta equação. O resultado é que a taxa de juros nos EUA não deve começar a cair tarde demais - nem muito pouco. A dúvida é se caberá uma queda adicional ainda neste ano ou uma antecipação do início do ciclo para julho.

Agenda do dia

São essas as perguntas que os deputados devem fazer hoje a Powell, em nova sessão no Capitólio, desta vez, na Câmara dos Representantes, a partir das 11h. Trata-se do grande evento desta quarta-feira (10). Por aqui, merece atenção os dados de junho do IPCA (9h).

A previsão é de que a inflação oficial ao consumidor brasileiro acumule taxa acima de 4% em 12 meses, distanciando-se da meta perseguida pelo Banco Central. Ainda assim, deve haver uma desaceleração na leitura mensal, em meio ao alívio nos preços dos alimentos.

Na China, o índice de preços ao consumidor perdeu força, com taxa anual de 0,2% ante leitura de 0,3% nos dois meses anteriores, contrariando a previsão de aceleração para 0,4%. Em base mensal, houve deflação pela terceira vez neste ano, em meio à frágil recuperação da economia. Já os preços ao produtor chinês (PPI) caíram novamente, estendendo a sequência negativa para 21 meses.

Publicação Original

Últimos comentários

Carregando o próximo artigo...
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.