Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Tudo Indica que o Petróleo Deve Continuar Subindo nas Próximas Semanas

Por Investing.com (Andy Hecht)Commodities17.08.2020 11:08
br.investing.com/analysis/the-bullish-case-for-crude-oil-200436774
Tudo Indica que o Petróleo Deve Continuar Subindo nas Próximas Semanas
Por Investing.com (Andy Hecht)   |  17.08.2020 11:08
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 

Este artigo foi escrito exclusivamente para o Investing.com. Publicado originalmente em inglês em 17/08/2020

  • Cortes de produção estão surtindo efeito;
  • Produção norte-americana segue caindo;
  • A tendência é sua amiga, e ela é de alta; dólar fraco dá suporte aos ganhos no mercado futuro de petróleo.

O petróleo ainda é a commodity energética que move o planeta. Apesar de a contínua tendência de uso de produtos energéticos alternativos, com impacto ambiental menor do que os hidrocarbonetos, continuar estimulando a substituição do petróleo, este continua sendo um produto energético essencial.

Em abril de 2020, o preço dos contratos futuros com vencimento mais próximo na NYMEX atingiu seu nível mais baixo na história quando o contrato de maio alcançou a cotação negativa de US$ 40,32 por barril. Desde então, o mercado futuro vem registrando mínimas e máximas ascendentes. O elevado nível de contango ou prêmio para entrega futura refletiu a enorme sobreoferta diante da evaporação da demanda petrolífera durante a disseminação do novo coronavírus pelo mundo.

Entretanto, os produtores ajustaram sua oferta para equilibrar a equação fundamental do mercado petrolífero. O contrato de setembro atingiu a mínima de US$ 21,99 por barril no fim de abril, mais de US$ 62 por barril acima do contrato de maio. Esse contango sem precedentes refletia as condições de excesso de oferta no mercado.

Desde abril, a tendência do petróleo futuro tem sido de alta. Ao final da semana passada, não havia sinais de que a lenta caminhada ascendente estava em perigo. O petróleo costuma subir de escada e descer de elevador. A commodity energética continuava galgando patamares até 14 de agosto.

Cortes de produção estão surtindo efeito

Após o dramático declínio do petróleo de fevereiro a abril, na esteira da disseminação do coronavírus ao redor do mundo, a Opep, Rússia e outros produtores mundiais decidiram cortar sua produção diária combinada em quase dez milhões de barris por dia. Essa inédita redução perdurou até o fim de julho.

O repique resultante dos preços futuros da commodity energética até o nível de US$ 40 por barril na NYMEX e um pouco acima disso no Brent futuro fez com que os países produtores reduzissem os cortes para 7,7 milhões de barris diários em agosto.

O expressivo corte de produção alçou os preços do barril para o patamar de US$ 40 depois de percorrer um longo caminho para equilibrar os fundamentos de oferta e demanda no mercado.

Produção norte-americana segue caindo

Os Estados Unidos são o maior produtor mundial de petróleo. Em meados de março, sua produção diária atingiu o recorde de 13,1 milhões de barris. Nos últimos meses, o declínio nos preços levou a uma diminuição da produção.

De acordo com dados da EIA até 7 de agosto, os EUA estavam produzindo diariamente 10,7 milhões de barris, uma queda de 18,3% em relação à máxima. Segundo a Baker Hughes, o número de sondas operando naquele país permaneceu a 172 até 14 de agosto, ficando 598 unidades abaixo do mesmo período do ano passado.

A produção petrolífera norte-americana caiu juntamente com a produção de outros países.

Enquanto isso, a tendência no petróleo e nos estoques de produtos derivados nos EUA reflete a queda de produção nas últimas três semanas.

Estoques EIA - Barris
Estoques EIA - Barris

Fonte: EIA

A Administração de Informações Energéticas registrou três semanas consecutivas de queda no armazenamento petrolífero até 7 de agosto. Os estoques tiveram queda de 22,5 milhões de barris desde a semana encerrada em 24 de julho, ao passo que os estoques de gasolina tiveram um aumento marginal de 419.000 barris durante o período. Já os estoques de destilados registraram queda de 200.000 barris. A produção diária declinou 400.000 barris diários nas últimas três semanas.

Estoques API - Barris
Estoques API - Barris

Fonte: API

No mesmo período, o Instituto Americano do Petróleo reportou uma redução de 19,817 milhões de barris nos estoques. Os armazenamentos da gasolina caíram 1,966 milhão de barris, enquanto os de destilados tiveram alta de 1,062 milhão de barris. A queda nos estoques, a produção diária descendente e a substancial redução no número de sondas em operação contribuíram para a menor produção nos EUA.

A tendência é sua amiga, e ela é de alta; dólar fraco dá suporte aos ganhos no mercado futuro de petróleo

Desde abril, a tendência dos preços futuros no mercado petrolífero tem sido de alta. A commodity energética desceu de elevador desde o fim de fevereiro até o fim de abril, antes de subir de escada de volta para o patamar de US$ 40 no contrato futuro para setembro na NYMEX.

Petróleo diário
Petróleo diário

Fonte: CQG

Como destaca o gráfico diário acima, os indicadores de momentum de preço e força relativa no petróleo futuro estavam acima da leitura neutra no fim da semana passada. A volatilidade histórica um pouco acima do nível de 19% caiu em relação à máxima de mais de 171% em meados de março, com o estreitamento das faixas diárias de negociação.

O número total de posições compradas e vendidas em aberto no mercado futuro de petróleo era de 2.060 contratos e caiu para 1,957 milhões em julho. O número vem subindo levemente com o preço, o que geralmente é uma validação técnica da tendência de alta dos preços no mercado futuro.

Enquanto isso, o Índice Dólar caiu em relação ao seu patamar mais alto desde 2002 a 103,96 em março.

Índice Dólar semanal
Índice Dólar semanal

Fonte: CQG

O gráfico semanal do Índice Dólar, acima, mostra que ele atingiu a mínima de 92,475 durante a primeira semana de abril e permanecia no nível de 93,11 ao final da semana passada. O dólar fraco costuma dar suporte aos preços das commodities.

A desvalorização da moeda americana, o declínio da produção mundial e a redução dos estoques petrolíferos nos EUA são indicativos de alta dos preços da commodity energética. O contrato futuro para setembro na NYMEX era negociado perto da última máxima a US$ 42,23 por barril ao final da semana passada. Os atuais alvos de alta são US$ 43,52, máxima de 5 de agosto, US$ 48,97, pico de 3 de março, e US$ 54,55, topo cravado em 20 de fevereiro. Com os fatores técnicos e fundamentalistas apontando para cima, o petróleo deve continuar subindo de escada nas próximas semanas.

Tudo Indica que o Petróleo Deve Continuar Subindo nas Próximas Semanas
 

Artigos Relacionados

Arnaldo Luiz Corrêa
É Bom Manter os Pés no Chão Por Arnaldo Luiz Corrêa - 18.06.2021 1

As commodities sofreram expressiva perda durante a semana depois que o Federal Reserve manteve os juros inalterados, mas alertou que poderá subir a taxa de juros se perceber risco...

Tudo Indica que o Petróleo Deve Continuar Subindo nas Próximas Semanas

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (2)
Salatiel Jean Amaral
Salatiel Jean Amaral 21.08.2020 9:31
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
errrrrrooooouuuuu kkkk
Salatiel Jean Amaral
Salatiel Jean Amaral 21.08.2020 9:31
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
errrrrrooooouuuuu kkkk
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail