Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Segundo Semestre: Mercado dos EUA nas Máximas, Brasil em Recuperação

Por William AlvesResumo do Mercado05.07.2021 16:05
br.investing.com/analysis/tonica-da-semana-pare-olhe-escute-200443097
Segundo Semestre: Mercado dos EUA nas Máximas, Brasil em Recuperação
Por William Alves   |  05.07.2021 16:05
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 

Caramba, já faz um mês que não dou as caras por aqui… Mil desculpas. Foi um looping de muito trabalho + férias + aniversário da esposa que acabou me deixando off. Mas bora lá botar o papo em dia.

PUT YOU MONEY WHERE YOUR MOUTH IT IS

Começando sem enrolação: antes de falar o que estou vendo de mercado, deixe-me fazer um update de carteira. Eu postava a minha carteira aqui, mas tive que parar por motivos de compliance. Ainda assim, vou abrir o que dá:

  • Tenho hoje 47% alocados no exterior e 53% alocados no Brasil;
  • Nível de caixa em ambos os mercados é de cerca de 20%;
  • No exterior tenho uma carteira com 15 ativos sendo 3 ETFs, apenas 1 Reit (algo que me arrependo) e 11 ativos. Em termos setoriais tenho uns 60% alocados em cases mais focados em crescimento/tecnologia; nos outros 40% tenho empresa farmacêutica, varejo, REIT focado na reabertura econômica, energia, consumo básico. Sim, minha diversificação não é das melhores e sei que o risco da carteira é elevado.
  • No Brasil, tenho dinheiro usado como seed money na antiga gestora que trabalhava e alocado em alguns clubes lá… Coisa de 13% que sei que são bem diversificados. Na minha carteira pessoal, o volume de caixa no Brasil está um pouco maior e a carteira concentrada em 8 ativos. Tenho varejo, bancos, construção, mineração, indústria e vestuário.

Antes que me perguntem, a queda do dólar não me abala e na verdade sigo vendo como uma oportunidade para aumentar exposição dolarizada da carteira.

Mas investir nos EUA nas máximas… Vamos a US então.

MERCADO AMERICANO

O mercado americano nesta semana pareceu um final feliz típico de filme de Hollywood. Na semana do dia mais importante do ano temos bolsas nas máximas para comemorar a independência americana!

O problema é que esse filme não acaba…

Enquanto muitos esperavam uma correção, vimos o mercado americano atingir novas máximas sustentadas por dados que mostram que a economia americana segue reabrindo em ritmo forte. Essa semana que passou tivemos: o índice de confiança do consumidor mais forte que o esperado, atingindo nível máximo em 16 meses, bem como indicadores do mercado de trabalho americano. Na sexta tivemos o Payroll, que mostrou a criação de 850 mil postos de trabalho, número bem acima dos 706 mil esperados. Mais uma vez, um dos setores que mais se beneficia da reabertura econômica foi o destaque em termos de criação de empregos. Abaixo a abertura dos empregos por setor.

Empregos
Empregos

O mercado seguiu vendo a volatilidade em níveis baixos, petróleo atingindo novas máximas e os juros de 10 anos cedendo ainda mais, rompendo a barreira dos 1,5% e fechando a semana em 1,43%. E aí, com esse cenário bom, temos S&P, Nasdaq e Dow Jones nas máximas.

Mas…

PARE, OLHE, ESCUTE…

Chegamos ao fim do semestre… Meio ano já se foi. Você irá piscar os olhos e já estará vendo decorações de natal espalhadas por aí. Sim, os dias e a vida parecem passar muito rápido, essa me parece ser uma percepção comum. Então convém, de vez em quando, parar para ver onde estamos. O gráfico abaixo do S&P Global Market Intelligence traz um resumo das performances de diferentes classes de ativos.

Retorno
Retorno

A bolsa americana (medida pelo S&P 500) encerrou o semestre com uma valorização de 15%. Excetuando os investimentos atrelados a commodities (medidos no gráfico acima pelo S&P GSCI Crude Oil e o S&P GSCI), e a bolsa canadense (S&P TSX60), que também tem forte relação com algumas commodities, podemos dizer que o investimento na bolsa americana foram o que trouxe mais retorno até então. Para fins de comparação, a bolsa brasileira apresentou uma alta de 6,5%, menos da metade. Mais uma vez, investir nos EUA se mostrou uma alternativa acertada, não somente pelo aspecto de segurança de investir num mercado mais consolidado, mas também pelo aspecto de retorno per se.

Como pano de fundo, tivemos uma economia global que sai da crise do COVID, cresce, em especial em seu setor industrial – a explicação disso é que o setor de serviços sofre influência de setores que ainda não voltaram totalmente ao normal, como hospedagem e hotelaria, restaurantes e bares, viagens entre outros. O gráfico abaixo mostra os PMI’s (Purchasing Managers Index, algo como Índice de Compras dos Gerentes) que buscam medir o desempenho da atividade de diferentes economias. Números acima de 50 indicam expansão da atividade (economia cresce). Os EUA se destacam, por estarem com uma economia mais aberta e verem ambos os segmentos crescerem.

PMI
PMI

LÁ VEM O TREM?

Pare, olhe, escute é o sinal que vemos perto da linha do trem. Uma bela dica para não sermos atropelados. No mercado, vemos poucos indicativos de onde viria esse trem, mas é sempre importante estarmos preparados. É exatamente nos momentos de alta e de “bonança” que devemos pensar nisso. Vivemos o que chamamos de bull Market, mas mesmo mercados de alta passam por correções. O S&P 500 atingiu o seu ponto mais baixo em 23 de março de 2020, o que significa que estamos três meses no segundo ano de mercado em alta. Quando olhamos a história, desde 1945, mercados de alta viram quedas de 10% durante o segundo ano, considerando ponto de máxima a mínima, de acordo com BMO Capital Markets. Essas reduções variaram de 5,1% a 16%. O gráfico abaixo apresenta os dados compilados.

Reduções
Reduções

Como sempre, não há como saber quando e nem se uma realização de 10% virá, mas é sempre bom estarmos preparados. Na maioria das vezes, como cantava Marina, “nada é melhor do que não fazer nada". Falo isso em termos de carteiras… Mas é sempre bom estarmos preparados.

Tradicionalmente, o segundo ano de uma alta na bolsa americana tende a ser mais ameno. Bolsas antecipam movimentos econômicos e buscam sempre olhar para o futuro. Então, essa forte atividade econômica que temos visto atualmente já foi precificada em parte. Com isso, fica cada vez mais difícil para as empresas surpreenderem positivamente e isso explica um retorno mais ameno. Mas, nesse sentido, temos tido boas novidades. Na última safra de balanços um número recorde de empresas do S&P 500 disse que seus ganhos do segundo trimestre seriam melhores do que os analistas esperam. Das empresas do S&P 500, 103 ofereceram um guidance, perspectivas maiores de lucros para o segundo trimestre, de acordo com dados da FactSet.

Q2
Q2

E, corroborando a isso, pesquisas de percepção e sentimento dos CEOs se mostram em patamares elevados.

CEO
CEO

Após as altas recentes, é normal o investidor se sentir um pouco reticente com o que há por vir. Se há uma certeza no mercado de renda variável é a de que ela varia. Mesmo assim, o que quis mostrar é que existe um bom fundamento por trás dessa alta e desse otimismo que tem sustentado o mercado. O câmbio (relação Real por Dólar) parece apresentar uma boa janela de oportunidades para quem quer começar a investir em ativos dolarizados, afinal existem mis de 6 mil ativos para buscar alocação no mercado americano.

Seguindo…vamos para o Brasilzão

BRASIL

Há pouco mais de 1 mês, tinha escrito que o Brasil vinha buscando o distanciamento de outros emergentes. Recapitulando, se fosse um jogo de futebol, na primeira partida (primeiro semestre), no primeiro tempo, tomamos uma lavada do mundo… Muita expectativa em cima do Brasil que decepcionou…. Vacinas atrasaram, conflitos políticos, reformas que não avançaram, quase o mesmo de sempre quase. Mas no segundo tempo (segundo trimestre) o time voltou outro e empatamos a partida! O gráfico de comparação abaixo ajuda a evidenciar isso.

ETF
ETF

O que mudou? E será que seguirá nos ajudando?

Eu diria que um misto de coisas….

(i) Vacinação. A vacinação andou e segue andando. Isso sustenta algum otimismo para o segundo semestre que se inicia.

Vacinação
Vacinação

(ii) Calmaria. O mundo vive um momento de calmaria, vide o VIX nas mínimas, com ativos de risco performando bem, vide as bolsas americanas e europeia em máximas. Não dá para contar com isso, mas é assim que iniciamos o segundo semestre, o que é positivo para o Brasil.

(iii) Economia. De fato os indicadores econômicos do Brasil surpreenderam positivamente e isso fez com que todo mundo revisasse projeções de crescimento. Veja que o último PMI voltou a surpreender na ponta positiva.

Brasil PMI
Brasil PMI

As exportações seguem bombando, o que é muito bom e, de quebra, ajuda a segurar o câmbio, atenuando assim preocupações inflacionárias.

Exportações
Exportações


Até a situação fiscal deu uma folga com o crescimento, claro, arrecada-se mais …

DL/PIB
DL/PIB

E para a tristeza da imprensa, o mercado de trabalho também surpreendeu positivamente, com uma criação de postos de trabalho maior que a esperada.

Empregos BR
Empregos BR

Acredito que ainda podemos ver isso acontecer no segundo semestre. É a bala de prata do governo para buscar reeleição. Então, acredito que podemos seguir surfando um bom momento econômico em linha com a reabertura e crescimento do mundo.

(iv) Política. Tivemos uma certa calmaria política, inclusive voltando a falar em reformas. Bem verdade que a reforma tributária conseguiu a proeza de não agradar gregos nem troianos, mas ao menos voltamos a falar delas. No campo político é que, a meu ver, reside o maior risco. Estamos a 6 meses de um ano em que vamos decidir presidente, governadores, congressistas e senadores. Me preocupa sob dois pontos: potencial de tomada de medidas populistas às vésperas da eleição; dicotomia muito grande de planos e visões que tornam um evento super binário para o mercado… Aquela ideia do 8 ou 80.

O QUE FAZER COM O MEU DINHEIRO

Essa é uma resposta que só você pode responder, mas dando aqui meus pitacos… Penso que, mesmo com cenário político citado acima, ainda há oportunidades na bolsa brasileira, sempre há. Mas pretendo ficar fora de toda e qualquer estatal de agora em diante, sob pena de perder muito retorno. Faz parte. Não estou com estômago para surfar esse tipo de volatilidade.

Penso que a queda recente do ouro tem aberto uma oportunidade “de ouro” (rs) para quem quer fazer um balanceamento de carteira com algum ativo mais de segurança. Fazendo no mercado internacional é mais fácil, inclusive.

Sob o aspecto de alocação me parece fazer TOTAL sentido aproveitar o câmbio a R$ 5,00 para dolarizar parte do patrimônio, afinal não sabemos o que vem pela frente. Fora isso, quem dolariza agora a R$ 5 pode esperar para montar posição no exterior, se aproveitando de qualquer susto que certamente virá nos mercados globais nesse segundo semestre. É momento de dolarizar e depois: Pare, Olhe e Escute!

Era isso… Aquele Abs

Segundo Semestre: Mercado dos EUA nas Máximas, Brasil em Recuperação
 

Artigos Relacionados

Segundo Semestre: Mercado dos EUA nas Máximas, Brasil em Recuperação

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (4)
lol metal
lol metal 14.07.2021 22:10
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
cara e fera
Glauber Coelho
Glauber Coelho 06.07.2021 9:40
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
bom relatório! obrigado e até a próxima.
Paulo Almeida
Paulo Almeida 05.07.2021 22:35
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Boa Willl
Paulo Vicente
Paulo Vicente 05.07.2021 19:18
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Sempre ótimas análises. Muito obrigado e sucesso!
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail