Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

A atual recuperação dos preços das commodities é sustentável?

Commodities 27.04.2022 16:23
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters.

Publicado no Investing.com Espanha

Investing.com - Desde que a invasão russa da Ucrânia começou, em 24 de fevereiro, os preços das commodities subiram acentuadamente, especialmente as provenientes da Rússia e da Ucrânia, incluindo trigo, petróleo e gás natural, além de outros metais como alumínio, paládio e cobre.

No entanto, os preços já haviam começado a subir bem antes do início do conflito, contribuindo para pressões inflacionárias que não víamos desde o início dos anos 1980. Portanto, a pergunta crucial para os investidores é: o rali é sustentável?

"No curto prazo, a resposta é não", diz Lisa Thompson, gerente de ações do Capital Group. "O mercado reagiu de forma exagerada e já estamos vendo os preços começarem a cair um pouco. No entanto, os preços atuais das commodities estão consideravelmente mais altos do que há um ano. E essa, sim, creio que é uma tendência duradoura.

"A longo prazo", acrescenta Thompson, "há uma série de fatores que tornam provável que os preços permaneçam elevados, incluindo demanda crescente, oferta restrita e forças de desglobalização, que foram destacadas na guerra na Ucrânia e na tensão relações entre a China e os EUA. Em um mundo onde o comércio livre e aberto está em declínio, os aumentos de preços são esperados."

Setor metalúrgico

Do ponto de vista do investimento, a situação atual tem consequências claras para o setor de mineração e metalurgia, que tem recebido pouca atenção nos últimos dez anos, ainda mais se excluirmos a forte alta de preços que ocorreu durante a crise financeira mundial de 2008.

O setor está subvalorizado há muitos anos e continua assim, apesar do recente rali das mineradoras, diz Douglas Upton, analista de investimentos em ações do Capital Group que cobre mercados de commodities há mais de 30 anos. Para ele, os preços de muitas matérias-primas vão se manter em patamares elevados nos próximos anos, fruto do baixo volume de investimentos no setor desde 2015. O problema se agravou pelo fato de hoje demorar mais no lançamento de novos projetos de mineração.

"Este é um processo de vários anos", explica Upton. "A descoberta, a autorização e o financiamento demoram muito mais hoje. Em termos de preço, isso aponta para altos e baixos mais altos até que novos investimentos comecem a dar frutos." Como aponta Upton, essa dinâmica não se aplica a alimentos e outras culturas, pois a produção nessas áreas pode aumentar muito mais rapidamente.

"Na minha opinião, todas as grandes mineradoras estão subvalorizadas", diz. "O mercado não está pensando o suficiente sobre as consequências da redução do nível de investimento nessa área. As avaliações de consenso e as previsões de lucros apontam para que os preços das commodities caiam nos próximos anos, aproximando-se de suas médias históricas. Acho que não vai ser o caso ".

Um exemplo: considere a capitalização de mercado das sete maiores mineradoras do mundo. Mesmo somar todas as sete, não chega nem perto do valor de mercado de uma empresa da nova economia, como a Tesla (SA:TSLA34)(NASDAQ:TSLA). A montadora precisa de certos materiais refinados, como níquel, para fabricar suas baterias de íons de lítio. Tanto que o CEO da Tesla, Elon Musk, já apontava muito antes de a Rússia invadir a Ucrânia que o acesso ao níquel era um de seus maiores problemas de produção.

Apesar de sua importância na economia mundial, as mineradoras passam despercebidas.

Além da falta de investimento, outro fator que pode elevar os preços das commodities no longo prazo é o impulso global por fontes de energia sustentáveis, acrescenta Upton. Especificamente, a eletricidade tornou-se um recurso altamente valorizado. A expansão da rede elétrica, juntamente com a rápida adoção de veículos elétricos, exigirá grandes quantidades de cobre, níquel e outros metais.

China: Contrapeso para aumentos de preços?

Por outro lado, a desaceleração da economia chinesa pode servir de contrapeso para manter os preços das matérias-primas sob controle. A China é o maior importador de matérias-primas, consumindo mais da metade dos suprimentos mundiais de minério de ferro, carvãoe cobre.

A estreita relação comercial da China com a União Europeia também pode expor o país a uma recessão na Europa se a guerra na Ucrânia se prolongar. Além disso, a China está enfrentando um novo surto de infecções por COVID-19 que pode prejudicar ainda mais a economia se o governo decidir impor novas restrições a viagens e atividades de lazer.

“Mesmo antes do último surto de Covid, a economia chinesa estava desacelerando, ou pelo menos se estabilizando em uma taxa de crescimento muito baixa”, disse Stephen Green, economista asiático do Capital Group. "A situação provavelmente piorará antes de melhorar, e uma recessão suficientemente forte pode fazer com que os preços das commodities caiam."

O banco central da China provavelmente cortará as taxas de juros em breve, diz Green, enquanto a maioria dos outros bancos centrais ao redor do mundo estão se movendo na direção oposta.

Implicações de Investimento: Hedge Contra a Inflação

Independentemente da direção que os mercados tomem, a recente alta dos preços confirma mais uma vez que as commodities são uma proteção eficaz contra a inflação. Isso não surpreende, uma vez que essas commodities, como gás e petróleo, por exemplo, influenciam muitos aspectos da economia mundial e podem ajudar a impulsionar a inflação, que atualmente está no nível mais alto dos últimos 40 anos.

Em termos históricos, a energia, e principalmente o petróleo, tem evoluído em linha com a inflação, segundo o índice de preços ao consumidor norte-americano. O petróleo costuma ser um componente importante dos índices relacionados a commodities, portanto, há uma forte correlação de longo prazo entre os preços das commodities e a inflação.

No entanto, também é importante notar que existem grandes diferenças entre as principais categorias de matérias-primas. Petróleo e gás, metais, alimentos e produtos agrícolas geralmente seguem seus próprios ciclos.

Os investidores que procuram se proteger contra a inflação devem ter isso em mente, diz Jared Franz, economista do Capital Group. "Tudo depende da fonte da inflação", diz ele.

"É claro que o setor de energia é favorecido pelo aumento da inflação, pois o aumento dos preços da energia, especialmente da gasolina, pode ser repassado rapidamente aos consumidores", conclui Franz. "Isso não acontece com outras matérias-primas, onde os aumentos de preços podem ser absorvidos à medida que avançam na cadeia produtiva."

A atual recuperação dos preços das commodities é sustentável?
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (1)
FABIO PILOTO
FABIO PILOTO 27.04.2022 16:52
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
A Vale está barata, fato!
Gustavo Bonbonatte
Gustavo Bonbonatte 27.04.2022 16:52
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Vale, Cmin, Gerdau, Usiminas estao baratas
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail