Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Fed indica plano para redução do programa de compra de títulos

Dados Econômicos13.10.2021 16:05
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. Fachada do Federal Reserve, em Washington 31/07/2013 REUTERS/Jonathan Ernst

Por Ann Saphir

WASHINGTON (Reuters) - Os formuladores de política monetária do banco central dos Estados Unidos sinalizaram que podem começar a reduzir o suporte à economia adotado em meio à crise em meados de novembro, embora permaneçam divididos sobre o tamanho da ameaça que a inflação alta apresenta e sobre o quão cedo podem precisar começar a elevar os juros em resposta, mostrou nesta quarta-feira a ata da reunião de 21 e 22 de setembro do Federal Reserve.

"Nenhuma decisão de avançar com uma moderação das compras de ativos foi tomada na reunião, mas os participantes em geral avaliaram que, desde que a recuperação econômica permaneça nos trilhos, um processo gradual de redução de estímulo que seja concluído em torno de meados do próximo ano deve ser adequado", mostrou o documento.

As autoridades discutiram cortar as compras de Treasuries em 10 bilhões de dólares por mês e as de títulos lastreados em hipoteca em 5 bilhões por mês, disse a ata, embora "vários" participantes preferissem uma redução mais rápida.

Se a decisão de começar a reduzir o estímulo acontecer no encontro do Fed de 2 e 3 de novembro, o processo pode começar em meados de novembro ou meados de dezembro, segundo a ata.

Com a economia a caminho de crescer este ano em seu ritmo mais rápido em décadas, a inflação disparando bem acima da zona de conforto do Fed e o mercado de trabalho curado da devastação da pandemia do coronavírus, o chair do Fed Jerome Powell e colegas querem começar a cortar os 120 bilhões de dólares em compras mensais de ativos que o banco central tem desembolsado para estimular a recuperação econômica.

FOCO EM JUROS

Com a redução iminente das compras de ativos, a atenção agora passa para o momento das altas futuras de juros.

O Fed prometeu manter os juros em seus níveis atuais perto de zero até que a economia alcance o pleno emprego e a inflação tenha não apenas alcançado sua meta de 2% mas esteja a caminho de permanecer moderadamente acima desse nível por algum tempo.

O banco central determinou esses parâmetros quando a inflação vinha há anos abaixo de 2% e o maior desafio era considerado elevá-la e não contê-la.

Mas agora o problema oposto pode estar surgindo, com a demanda reprimida do consumidor alimentando gastos na reabertura da economia e as empresas, afetadas por gargalos de oferta, em dificuldades para responder a isso.

Em previsões apresentadas com o comunicado da reunião de setembro, metade das autoridades do Fed acreditava que uma alta de juros seria necessária antes do fim do próximo ano, sendo que apenas um não projetava uma primeira alta antes do fim de 2023.

Determinante para os investidores-- e para os milhões de norte-americanos que não conseguem encontrar empregos-- é a questão sobre se as autoridades precisarão antecipar ainda mais as altas dos juros para impedir que a inflação dispare, potencialmente sacrificando ganhos no mercado de trabalho nesse processo.

Powell tem minimizado a possibilidade de ser forçado a ficar nessa posição desconfortável.

Mas os dados podem ficar contra ele. Os preços ao consumidor nos Estados Unidos subiram 5,4% nos 12 meses até setembro, informou o governo nesta quarta-feira, e operadores de juros futuros ampliaram suas apostas de que o Fed terá que iniciar o aumento dos juros até setembro próximo.

Segundo a ata, "várias" autoridades acreditam que as condições econômicas provavelmente justificariam manter os juros perto de seu nível atual "nos próximos anos".

Alguns, entretanto, sentiram que os juros precisariam subir a taxa até o fim do próximo ano porque acreditam que o pleno emprego teria sido alcançado. Alguns também disseram que a inflação permanecerá elevada com riscos para cima, mostrou a ata.

Fed indica plano para redução do programa de compra de títulos
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (2)
Mamoru Uehara
Mamoru Uehara 13.10.2021 18:32
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
tipo isso ou aquilo. tem que reduzir bem aos poucos. nao adianta reduzir rapido...como querem. pq vai mexer nos numeros que for sairem. 120bi de uma vez seria um crash -5% de uma só vez.
Edson Pedrosa
Edson Pedrosa 13.10.2021 17:36
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Enquanto isso, inflação explodindo no mundo todo, inclusive nos EUA. Mas tá tudo bem, tá tudo lindo, céu azul, maravilhoso! Não... não tem nada pra ver aqui. Vamos todos olhar pro céu azul. TÁ TUDO BEM!!!!!
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail