😎 Promoção de meio de ano - Até 50% de desconto em ações selecionadas por IA no InvestingProGARANTA JÁ SUA OFERTA

China pode abrir portas para mais carne suína sul-americana em meio a disputa comercial na UE

Publicado 17.06.2024, 18:23
© Reuters.
USD/CNY
-
TSN
-
USD/CNH
-

Em meio à escalada das tensões comerciais entre a China e a União Europeia, fornecedores de carne suína de regiões como América do Sul e Estados Unidos podem ver um aumento na participação de mercado no mercado chinês. Essa possível mudança ocorre quando o Ministério do Comércio da China iniciou uma investigação antidumping sobre a carne suína europeia e seus subprodutos na segunda-feira. A investigação é uma resposta direta à imposição pela UE de taxas anti-subsídios sobre carros elétricos fabricados na China.

Embora o impacto total nas exportações da União Europeia possa levar tempo a manifestar-se, com a investigação a durar potencialmente mais de um ano, os fornecedores alternativos estão preparados para preencher eventuais lacunas. De acordo com Pan Chenjun, analista sênior do Rabobank em Hong Kong, países como Brasil, Argentina e Estados Unidos estão bem posicionados para aumentar suas exportações de carne suína e miudezas para a China caso as importações europeias enfrentem restrições. A possibilidade de um imposto antidumping poderia acelerar ainda mais essa transição.

No entanto, a carne suína dos EUA está atualmente sujeita a uma taxa retaliatória de 25% pela China, uma consequência de tarifas anteriores sobre aço e alumínio. Isso levou a alguma incerteza sobre o posicionamento competitivo da carne suína dos EUA em relação às suas contrapartes europeias. Joe Schuele, vice-presidente de comunicações da Federação de Exportação de Carne dos EUA (USMEF), reconhece essa incerteza, mas também observa oportunidades potenciais para as carnes suínas dos EUA na China.

A Smithfield Foods, uma subsidiária da WH Group Ltd, listada em Hong Kong, é uma dessas empresas americanas que já experimentou o impacto das tarifas chinesas sobre a carne suína dos EUA. O porta-voz Jim Monroe expressou que o alívio dessas tarifas seria bem-vindo.

A imposição de direitos antidumping pode afetar particularmente a Europa, já que as importações da China da região geralmente incluem partes de carne suína menos consumidas por humanos na Europa, como pés, orelhas e miudezas, que normalmente são usadas em alimentos para animais de estimação. Apesar disso, Pan Chenjun acredita que qualquer restrição às importações da UE teria um efeito limitado no mercado local da China, uma vez que as importações de carne suína e miudezas representam apenas 5% do consumo total do país.

A China, como maior consumidor e produtor de carne suína do mundo, importou US$ 6 bilhões em carne suína e miudezas em 2023, de acordo com dados alfandegários. O país viu recentemente uma flexibilização no excesso de oferta doméstica de carne suína, após um período de redução do abate de suínos para reforçar o mercado.

O Brasil, que já é um importante parceiro comercial agrícola com a China, é considerado altamente competitivo em termos de preços e poderia facilmente expandir sua participação de mercado em caso de interrupções no comércio da UE. Da mesma forma, a Rússia, que começou a exportar carne suína para a China em fevereiro, tem ambições de capturar uma parcela significativa das importações de carne suína da China nos próximos anos. Sergey Dankvert, chefe do órgão de vigilância agrícola russo Rosselkhoznadzor, indicou que a Rússia poderia exportar até 100.000 toneladas de carne suína para a China em 2024. Além disso, Viktor Linnik, chefe da Miratorg, um dos principais fornecedores de carne suína da Rússia, afirmou a prontidão da empresa para fornecer cerca de 40.000 toneladas de carne suína para a China até o final do ano.

A Reuters contribuiu para este artigo.

Essa notícia foi traduzida com a ajuda de inteligência artificial. Para mais informação, veja nossos Termos de Uso.

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.