Garanta 40% de desconto
⚠ Alerta de Balanço! Quais ações estão prontas para disparar?
Veja as ações no nosso radar ProPicks. Essas estratégias subiram 19,7% desde o início do ano.
Não perca a lista completa

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta sexta-feira

Publicado 01.03.2024, 05:40
Atualizado 01.03.2024, 08:12
© Reuters

Por Scott Kanowsky e Jessica Bahia Melo

Investing.com – Os investidores digerem novos dados sobre a inflação nos Estados Unidos e observam o caminho a ser seguido pelas taxas de juros do Federal Reserve (Fed, banco central americano).

Segundo informações na mídia, a OpenAI pretende nomear novos membros para o Conselho, no momento em que o grupo de inteligência artificial (IA) por trás do ChatGPT enfrenta o escrutínio das autoridades.

Na Ásia, a atividade industrial da China desacelerou pelo quinto mês consecutivo em fevereiro.

No Brasil, as atenções estão voltadas para a atividade econômica.

CONFIRA: Calendário econômico do Investing.com

1. Futuros em NY operam em queda

Os índices futuros das bolsas de Nova York apontam para uma abertura em baixa nesta sexta-feira, após os recordes registrados na véspera, impulsionados pelos dados benignos de inflação nos EUA, que aumentaram as chances de um corte de juros pelo Federal Reserve em junho.

Por volta das 8h05 (horário de Brasília), o S&P 500 futuros recuava 0,18%, o Nasdaq 100 futuros perdia 0,09%, e o Dow futuros cedia 0,17%.

Na quinta-feira, o S&P 500 e o Nasdaq Composite fecharam em novas máximas históricas, enquanto o Dow Jones Industrial Average avançou 0,1%.

O mercado reagiu ao índice de preços de gastos com consumo pessoal (PCE, na sigla em inglês) - a medida de inflação preferida pelo Fed - que ficou em linha com o esperado em janeiro. O indicador sinalizou que as pressões inflacionárias devem permanecer contidas nos próximos meses, abrindo espaço para o Fed reduzir as taxas em junho.

No noticiário corporativo, a Keurig Dr Pepper (NASDAQ:KDP) (KDP) informou que o grupo de investimentos europeu JAB Holdings vai vender até 100 milhões de ações da companhia americana de bebidas, segundo um comunicado divulgado na quinta-feira.

Em uma operação que equivale a cerca de US$ 3 bilhões pelo preço de fechamento mais recente da KDP, uma subsidiária da JAB pretende se desfazer de quase 87 milhões de ações por meio de uma oferta secundária. A JAB também concedeu ao Morgan Stanley (NYSE:MS), o coordenador da oferta, uma opção para comprar até pouco mais de 13 milhões de ações adicionais. Essa seria a maior oferta secundária de ações de uma empresa listada nos EUA desde 2022, de acordo com o Financial Times.

O CEO da JAB, Joachim Creus, disse que os recursos da venda permitirão que o grupo, que é controlado pela família bilionária Reimann, mantenha sua "meta de alavancagem em linha com nossas políticas financeiras".

"A KDP continuará a ser um de nossos investimentos mais importantes e esperamos continuar a ser um acionista de longo prazo na KDP, com uma participação igual ou superior a 20%", afirmou Creus.

2. OpenAI anuncia novos nomes para o Conselho

A OpenAI planeja anunciar vários novos membros do conselho em março, reportou o The Washington Post na quinta-feira, em meio ao aumento do escrutínio regulatório sobre a empresa de inteligência artificial.

A matéria do Washington Post veio após outros relatos da imprensa sugerirem que a Securities and Exchange Commission (SEC, a comissão de valores mobiliários dos EUA) estava investigando se a empresa enganou os investidores durante uma grande mudança em sua liderança em novembro, que envolveu a demissão e a recondução do CEO Sam Altman.

Na ocasião, a OpenAI reestruturou completamente seu conselho, removendo o grupo de diretores que havia tentado tirar Altman do cargo. Também foi apresentado um novo conselho composto pelo ex-presidente do Twitter, Bret Taylor, pelo ex-secretário do Tesouro, Larry Summers, e pelo CEO da Quora, Adam D'Angelo.

A Microsoft (NASDAQ:MSFT), que é a maior apoiadora da OpenAI, também terá um assento de observação no conselho, sem direito a voto, disse Altman.

CONFIRA: Cotações das ações americanas

3. Indústria chinesa perde fôlego em fevereiro

O ritmo de atividade das fábricas da China diminuiu, conforme previsto, em fevereiro, sem conseguir se beneficiar do aumento da demanda durante o feriado do Ano Novo Lunar, em meio à persistente fragilidade da segunda maior economia do mundo.

O índice oficial de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial ficou em 49,1 em fevereiro, segundo dados divulgados na sexta-feira pelo Escritório Nacional de Estatísticas. O resultado veio em linha com as projeções e abaixo dos 49,2 registrados em janeiro.

O indicador está há cinco meses seguidos abaixo de 50, o que aponta contração da atividade.

A indústria chinesa é um dos principais motores da economia do país e foi o foco de uma recuperação lenta pós-pandemia no ano passado. Pequim adotou uma série de medidas de estímulo monetário nos últimos meses para impulsionar o crescimento. No entanto, elas tiveram um efeito limitado até agora, e os investidores pedem por ações fiscais mais direcionadas.

ENTENDA: Com derrocada do setor imobiliário, qual é a nova China?

4. Petróleo sobe com expectativa de corte de juros pelo Fed

Os preços do petróleo avançavam no mercado europeu na sexta-feira, diante do otimismo generalizado de que a queda da inflação poderia levar o Fed a iniciar a redução das taxas de juros até meados de 2024, sendo parcialmente ofuscado por sinais de maior oferta.

Os preços se mantiveram em uma faixa estreita, depois que os dados mostraram uma produção recorde dos EUA e uma produção elevada da OPEP, o que indicou que os mercados globais de petróleo podem não estar tão ajustados quanto se pensava inicialmente.

Os preços do petróleo Brent futuro com vencimento em maio subiam 1,10%, para US$ 82,81 por barril, enquanto o West Texas Intermediate crude futuro ganhava 1,19%, para US$ 79,19 por barril.

Ambos os contratos caminhavam para registrar ganhos semanais após uma queda expressiva na semana anterior. Embora os preços do petróleo tenham registrado algumas altas em fevereiro, eles permaneceram em grande parte entre US$ 75 e US$ 85 por barril até agora em 2024.

5. PIB brasileiro em foco

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga hoje dados da economia brasileira medida pelo Produto Interno Bruto (PIB). A expectativa consensual é de uma variação positiva de 0,1% no quarto trimestre do ano passado. Assim, a economia brasileira rondaria uma expansão de quase 3% em 2023.

Economistas consultados pelo Investing.com estimam um PIB menor em 2024. “Para este ano, esperamos a continuidade da tendência do processo de arrefecimento da economia brasileira”, reforça a economista da CM Capital, ao projetar uma expansão de 1,5% em 2024. Último Boletim Focus do Banco Central aponta para uma expansão de 1,75% neste ano.

José Francisco de Lima Gonçalves, economista-chefe do banco Fator, destaca a resiliência do mercado de trabalho, mas pondera que o nível de investimento empresarial é preocupante. O economista espera um PIB em torno de 2% em 2024.

Às 8h05 (de Brasília), o ETF (NYSE:EWZ) perdia 0,03% no pré-mercado.

***

Você investe no mercado de ações? Prefere o mercado de ações americano ou brasileiro? Quando e como entrar ou sair?

Use o código INVESTIR e ganhe um desconto adicional de 10% na sua assinatura de um ou dois anos dos planos Pro e Pro+ 2 anos do InvestingPro.

Com a plataforma, você terá acesso a:

  • ProPicks: carteiras de ações gerenciadas por IA com desempenho comprovado.
  • ProTips: informações fáceis de entender para simplificar dados financeiros complexos em poucas palavras.
  • Filtro avançado de ações: Encontre as melhores ações com base em suas expectativas, levando em consideração centenas de métricas financeiras.
  • Dados financeiros históricos para milhares de ações: Para que os próprios profissionais de análise fundamentalista possam se aprofundar em todos os detalhes.
  • E muitos outros serviços, sem falar daqueles que pretendemos adicionar em breve.

Faça parte da revolução do mundo dos investimentos! Não esqueça de usar o cupom INVESTIR na hora de finalizar a compra!

Últimos comentários

Mbly3
PIB brasileiro subiu 2,9%. Que comecem o choro dos alucinados terraplanistas ⚔️🔥🔥🐂💨🐄
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.