Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Atualize já

Vendas de veículos sobem 3,7% em julho contra julho de 2021, diz Fenabrave

Economia 02.08.2022 12:49
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. Vendas de veículos sobem 3,7% em julho contra julho de 2021, diz Fenabrave
 
GM
-3,52%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
VOWG
-3,46%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
TM
-2,59%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
7267
-3,95%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
GMCO34
-2,95%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
HOND34
-2,92%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 

As vendas de veículos subiram 3,7% em julho frente a igual período do ano passado, marcando o primeiro crescimento de um mês no comparativo interanual em 12 meses. Na margem - ou seja, de junho para julho -, as vendas subiram 2,2%, conforme mostra balanço divulgado nesta terça-feira pela Fenabrave, a associação que representa as concessionárias.

No total, 182 mil unidades foram vendidas no mês passado, entre carros de passeio, utilitários leves, caminhões e ônibus. Os problemas de abastecimento que paralisam as fábricas, sobretudo pela falta de componentes eletrônicos, persistem. Porém, a reabertura do porto de Xangai, cujo fechamento provocou um caos no transporte internacional de mercadorias entre abril e maio, permitiu um fluxo menos irregular no fornecimento de componentes, levando a uma maior oferta de carros nas lojas.

O presidente da Fenabrave, José Maurício Andreta Jr., considerou o desempenho das vendas de carros em julho um "ótimo resultado", tendo em conta o crédito mais caro e seletivo. A avaliação é que, com a ampliação, desde ontem, no corte do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) - de 18,5% para 24,75% -, as vendas de carros de passeio e utilitários leves possam surpreender e fechar 2022 com alta superior a 4%, para mais de 2 milhões de unidades. A previsão oficial da Fenabrave, revisada no mês passado, segue apontando, contudo, para estagnação - ou seja, crescimento zero - do setor no ano.

"Se a produção retornar à sua normalidade, e com mais esse estímulo do governo, talvez consigamos atingir esse patamar", comentou o presidente da Fenabrave. No acumulado desde o primeiro dia do ano, as vendas de veículos mostram queda de 12%, somando 1,1 milhão de veículos vendidos entre janeiro e julho.

Só no segmento de carros de passeio e utilitários leves, as vendas, um total de 169,1 mil unidades em julho, subiram 4,1% na comparação com igual período do ano passado e 2,2% frente a junho. O resultado reduz para 12,7% a queda no acumulado de 2022.

Líder do mercado, a Fiat é a marca de 21,8% dos 1 milhão de carros e utilitários leves vendidos no País desde o começo deste ano. Na sequência, aparecem General Motors (BVMF:GMCO34) (NYSE:GM) (14,1%), Volkswagen (ETR:VOWG) (12,1%) e Toyota (BVMF:TMCO34)(NYSE:TM)(10,5%).

No mercado de caminhões, as vendas, de 11,3 mil unidades no mês passado, caíram 1,3% no comparativo interanual, mas subiram 4,3% na passagem de junho para julho. Já as vendas de ônibus repetiram o volume de igual período do ano passado (alta de 0,1%). Em relação a junho, houve queda de 9,8% dos emplacamentos de coletivos, que chegaram a 1,6 mil unidades no mês passado.

Motos

As vendas de motos tiveram queda de 4,4% em julho frente ao volume de igual mês do ano passado, somando 107,6 mil unidades. Na comparação com junho, a queda foi de 11%, informou a Fenabrave.

A entidade cita a baixa oferta de produtos, na esteira das férias coletivas de meio de ano nas montadoras do polo industrial de Manaus, e restrições de crédito ao explicar o resultado do mês passado. Segundo José Maurício Andreta Jr., a demanda segue aquecida, porém os bancos estão aprovando menos de 30% dos pedidos de financiamento para compra de motocicletas.

Nos sete primeiros meses do ano, 744,3 mil motos foram vendidas no Brasil, o que corresponde a uma alta de 18,2% frente a igual período de 2021. O desempenho é puxado pela expansão dos serviços de entrega (delivery) e pela demanda por veículos não só mais baratos do que os carros, como também mais econômicos, dado o aumento nos preços dos combustíveis, aliviado agora pelos cortes de impostos estaduais e federais.

Líder com folga desse mercado, a Honda (BVMF:HOND34)(TYO:7267) respondeu por 76,3% de todas as motos vendidas no Brasil entre janeiro e julho. Vice-líder, a Yamaha ficou com 16,3% do mercado.

Vendas de veículos sobem 3,7% em julho contra julho de 2021, diz Fenabrave
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (2)
roberto gadioli
roberto gadioli 02.08.2022 22:03
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
volta LulAlckmin 13 para as superar seu recorde: 4.200 milhões de veículos 🚗. vamos todos digitar LulAlckmin 13 em 02/10/2022 e finalizar essa bagaça no primeiro turno. assim a gente economiza tempo e dinheiro
Allan KI
Allan KI 02.08.2022 13:17
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Subiu, mas continua caindo...kkkk
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail