Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Últimas Notícias

Visa anuncia Nuno Lopes Alves como novo presidente no Brasil

ESG: No aniversário do Acordo de Paris, entenda como foi 2020 e o que está por vir

Ações12.12.2020 14:44
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters.

Por Ana Julia Mezzadri

Investing.com - Há exatos cinco anos, 195 países se reuniam para aprovar o Acordo de Paris, que desenhou uma série de medidas para reduzir o aquecimento global. Após um número mínimo de países assinarem o acordo, muito foi feito desde a entrada em vigor em 4 de novembro de 2016.

No Brasil, 2020 foi um ano importante para o ESG, sigla para Environmental, Social and Governance ("ambiental, social e governança”, em tradução livre), que são critérios de conduta para empresas. 

O ano começou com “um impulso no coração do capitalismo”, nas palavras de Celso Lemme, professor da Coppead: na abertura do World Economic Forum foi apresentada uma série de estudos sobre o tema, como um mostrando as conexões entre as questões ambientais e o desempenho econômico e financeiro das empresas e outro sobre as métricas para monitorar desempenho ambiental e social nos mais diversos setores de negócios, lembra o professor.

O tema, que há muito tempo está em voga na academia e entre um público mais preocupado com essas questões, finalmente chegou de vez aos mercados. Maurício Lima, gerente de produtos da Western Asset, diz perceber isso na prática: “O interesse dos investidores, não só pessoa física, mas mesmo institucionais, tem crescido. Eles têm se mostrado mais interessados no assunto, têm questionado nossa abordagem ao ESG”, relata.

O forte avanço em 2020, segundo Lemme, veio da uma convergência dessas fortes manifestações do setor econômico e financeiro tradicional com o aumento gradativo da pressão dos consumidores, dos investidores e da regulação pública sobre as empresas.

Para além dos analistas e investidores, também as empresas têm sentido um aumento de pressão para agir. 

“O investidor está preocupado com a última linha, mas não só. Ele quer saber como a empresa está obtendo essa última linha. É a um custo ambiental muito alto? A um custo social muito alto? Sem ética, sem transparência? Isso não cabe mais nas empresas hoje em dia”, diz Raphael Lafetá, diretor executivo de Relações Institucionais e de Sustentabilidade da MRV (SA:MRVE3).

Para além da implicação, mais óbvia, de que o tema agora faz parte dos critérios de escolha de investimentos, a pressão, segundo Celso Lemme, também vem sendo feita de outra forma: “Muitos fundos e grandes investidores têm assentos nos conselhos das empresas. Então eles podem começar a atuar nesses conselhos, forçando a agenda de sustentabilidade”, explica.

Edmar Lopes, CFO da Movida (SA:MOVI3), ressalta que uma preocupação com o ESG também traz valor para empresas em termos financeiros. “No final das contas, o conjunto da obra é um conjunto de geração de valor. Ser (SA:SEER3) uma empresa melhor, com menos risco, com mais visibilidade das coisas e mais alinhada com os anseios dos clientes e da sociedade em geral ajuda a companhia no longo prazo”, explica. 

“Houve um aumento no valor de ativos intangíveis, como marca e reputação, cada vez mais considerados como fonte importante de valor e cada vez mais impactados por essas questões de sustentabilidade”, completa Lemme. Nesse sentido, ter uma empresa alinhada a objetivos ESG fortalece a marca perante aos consumidores e também a seus colaboradores, permitindo a atração de novos talentos, segundo Lafetá.

E a tendência não deve se reverter. “Acho que isso deve perdurar porque é um desenvolvimento de mercado. Estamos hoje em uma trajetória que deve se consolidar nos próximos anos”, diz Maurício Lima. “No fim do dia, os millennials vão começar a ter mais dinheiro para investir, vão determinar as agendas dos fundos que, por sua vez, vão ter que escolher melhor as empresas. Isso tudo vai gerando um efeito positivo”, completa Edmar Lopes.

Celso Lemme dá ainda mais uma razão para acreditar que esse movimento deve crescer. “Esse movimento hoje é mais forte, naturalmente, nas grandes empresas, que têm mais acesso a esse conhecimento e têm mais recursos. Mas o movimento que as grandes empresas estão fazendo vai na direção da cadeia de valor, causando um efeito indutor da agenda de sustentabilidade sobre as pequenas e médias empresas”, explica

Outros vetores de crescimento apontados por Lemme são a articulação setorial por meio das entidades de classe, a articulação com o poder público, pressionando as autoridades por regulação, e uma aproximação entre empresas e investidores e o terceiro setor.

“A gente trabalha muito com a ideia de intersetorialidade. A questão social e sustentável do nosso país não vai ser resolvida se deixarmos só nas mãos do poder público. Deixar só na mão do terceiro setor não vai resolver também. Acho que o segundo setor tem que entrar nesse jogo, fornecendo recursos financeiros e incentivando”, finaliza Raphael Lafetá.

ESG: No aniversário do Acordo de Paris, entenda como foi 2020 e o que está por vir
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (10)
Mn nov
Mn nov 13.12.2020 17:00
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Agora ele aumenta a conta de luz pq não tem chuva no Sul. Quando for tarde demais os Bozoloides do mundo todo vão fazer a dança da chuva.
Mateus KFJ
Mateus KFJ 13.12.2020 14:19
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Gado quer crescer o pibinho com garimpos e madeireiras. Isto só estimula a evasão de capitais estrangeiros. Ninguém pensa nas futuras geraçōes. Preferem relinchar
Carlos Wagner Barros
CarlosWagner 13.12.2020 11:44
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
O problema nunca será este posicionamento do politicamente correto, é sim o que se faz para sempre ter uma falácia nova a fim de criar um novo paradigma, baseado em sustentações frágeis e apavorar é obrigar a todos sentirem medo.o que houve com o buraco negro na camada de ozônio? Se fechou de uma hora para outra.O que houve com as geleiras, derreterem? Não aumentaram sua extensão.O que houve com a Amazônia, ardeu em chamas? Nada, continua o ciclo normal da natureza.
Tiago Menegatti
Tiago Menegatti 13.12.2020 10:36
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
tudo lula livre pelo que vi aqui hahahahahhaha, chora chora chora ladrão.
Mn nov
Mn nov 13.12.2020 10:36
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Pois é, tem bandido que gosta de desmatar e bandido que tenta preservar. Mas no fim, tudo faz parte da mesma quadrilha que.continua saqueando o país com suas rachadinhas e esquemas
Francisco Rodrigues da Silva
Francisco Rodrigues da Silva 13.12.2020 3:05
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Tem que ser cego ou masoquista pra achar que o pateta é mito em algo
Mateus KFJ
Mateus KFJ 13.12.2020 2:11
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Gado sertooo! E o mundo errado. É o retrato do brasileiro que relincha e odeia educação
Rodrigo Alex
Rodrigo Alex 12.12.2020 20:57
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
os europeus e americanos destruíram suas florestas e agora querem dar palpite sobre a Amazônia? não caiam nessa eles não estão preocupados com índios florestas ou animais silvestres eles querem o que tem em baixo da florestas metais e minérios ultra preciosas eles não podem mover uma ação militar diretamente pois somos uma democracia então eles vão plantar a falsa narrativa do clima em suas populações locais pra obterem apoio numa invasão acordem o causa aquecimento global são as algas nos oceanos, a uma agenda que precisa se cumprir até 2030 e o Brasil faz parte dessa agenda pois a internacionalização da Amazônia está nela felizmente muitos brasileiros estão acordando sobre a questão da defesa pois sentem que a falsidade nessas narrativas
Sérgio Costa
Sérgio Costa 12.12.2020 19:25
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Quem destrói a Amazônia é o atual governo. Are pq, militar foi feito pra destruir, ou vcs não tão vendo como o rei da logística não sabe comprar uma seringa?
Ricardo Gomes
Ricardo Gomes 12.12.2020 17:14
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Destruíram o mundo todo e agora querem salvar a Amazônia. Sei... A Greta escreveu essa matéria ?
Mn nov
Mn nov 12.12.2020 17:14
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Verdade, foram burros e continuaremos sendo burros. O mundo está sendo dominado pelos idiotas, não pela qualidade, mas pela quantidade. NR
Maycon Deivis Ferrari
Maycon Deivis Ferrari 12.12.2020 15:49
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
querem roubar ainda mais da amazonia ????...a bala vai comer
Marco Mr
MarcoMr 12.12.2020 15:49
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Ignorante e sem sentido com o texto seu comentário.
Cadu Gomes da Silva
Cadu Gomes da Silva 12.12.2020 15:49
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
abrir livros que não seja de pseudo filósofos de araque, faz bem viu!
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail