Garanta 40% de desconto
🚀 6 ações que subiram +25% no 1º tri selecionadas pela nossa IA. Quais ações vão subir no 2º tri?Não perca a lista completa

Gerdau acelera "readequação" de tamanho no Brasil e culpa demora do governo em defesa comercial

Publicado 21.02.2024, 11:45
Atualizado 21.02.2024, 14:56

SÃO PAULO (Reuters) - A Gerdau (BVMF:GGBR4) está acelerando planos para readequar o tamanho de suas operações no Brasil diante do que avalia como demora do governo federal em tomar medidas de defesa comercial contra importações de aço da China e outros países da Ásia, afirmou o presidente-executivo da companhia, Gustavo Werneck, nesta quarta-feira.

"Estamos estudando como concentramos a capacidade em menos usinas e deixamos temporariamente algumas capacidades fechadas", disse o executivo, em entrevista a jornalistas, após a companhia divulgar na noite da véspera queda de 45% no lucro líquido do quarto trimestre sobre um ano antes.

O executivo afirmou que a Gerdau tomou na semana passada a decisão de demitir mais 100 funcionários de uma unidade fabril da companhia em Pindamonhangaba (SP), cidade natal do vice-presidente da República e ministro do Desenvolvimento (Mdic), Geraldo Alckmin.

"Essas pessoas tiveram seus contratos encerrados por essa dificuldade do governo federal em implantar as medidas", disse o executivo, acrescentando que nos últimos meses a empresa demitiu cerca de 1.000 trabalhadores no Brasil.

Apesar da pressão das importações de aço sobre os negócios no país, a companhia não pretende alterar sua política de dividendos aos acionistas, que determina distribuição de 30% do lucro líquido, afirmou o vice-presidente financeiro, Rafael Japur.

Em 2023, a Gerdau distribuiu aos acionistas 2,6 bilhões de reais, o que representou 44% do lucro líquido da companhia no ano.

Em 2024, a empresa projeta investimento de 6 bilhões de reais, com metade indo para manutenção de instalacões e o restante para iniciativas de "competitividade", disse Werneck, com Japur citando que a maior parte dos recursos será destinada ao projeto de mineração da empresa em Minas Gerais.

O montante previsto de investimento pra este ano representa ligeira elevação sobre os 5,7 bilhões de reais aplicados pela companhia no ano passado, algo que surpreendeu alguns analistas que esperavam uma cifra menor.

Werneck afirmou que os recursos programados para este ano são destinados a resultados no médio e longo prazos. "Uma dificuldade como essa (importações de aço) não é motivo para cancelar ou reduzir programa de investimento. Vamos continuar mesmo com essa dificuldade criada pela importação crescente de aço da China", disse o executivo.

Mas ele afirmou que a Gerdau está avaliando alterar o destino dos investimentos principais da empresa nos próximos anos para outros países, como o México, cujo setor industrial tem recebido impulso do processo de aproximação ou internalização da produção dos Estados Unidos, o chamado "reshoring".

"O México se tornou uma plataforma muito importante de exportação para os EUA. Estamos debatendo com bastante profundidade se o Brasil deve ser um país que devemos priorizar em nossos investimentos ao longo da próxima década", disse Werneck, citando o contexto de demora do governo federal em tomar medidas de defesa comercial contra importações chinesas.

"Existem outras geografias que parecem mais atrativas num horizonte de 10 anos. O México está claro para nós que vai aproveitar de maneira mais intensa o fenômeno do reshoring", disse o presidente da Gerdau.

A companhia e outros produtores de aço do Brasil como Usiminas (BVMF:USIM5) e CSN (BVMF:CSNA3) defendem que o país imponha tarifa de 25% sobre as importações de aço da China, citando que outras regiões como EUA e Europa já tomaram essa medida.

Questionado sobre o nível de demanda por aço no mercado interno, Werneck afirmou que continua "estável" e que a construção civil, por exemplo, continua apresentando desempenho "sólido, com números de canteiros de obra muito resilientes".

"O problema é que as importações bateram recorde no ano passado e os primeiros números de 2024 mostram que isso continua acontecendo."

© Reuters. Logo da Gerdau 
03/05/2022
REUTERS/Dado Ruvic

A Gerdau opera atualmente com nível de utilização de sua capacidade no Brasil de cerca de 64%, nível considerado "muito baixo" por Werneck ante um patamar saudável de 80%.

Segundo o executivo, não "tem ambiente adequado nesse momento" para se falar em aumentos de preços de aço no Brasil e que a melhoria dos resultados da empresa no país deverá se dar gradativamente por meio de medidas de redução de custos.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Últimos comentários

TODOS GOVERNOS BRASILEIROS TEM CULPA pelo ALTO CUSTO BRASIL. Aprovam zilhoes de medidas Populistas e vão naturalmente aumentar impostos pra isso. Fazer o simples no Brasil nunca foi opção, e O MInTO também fez exatamente isso.
Os poderes do país vão acabar com as empresas, os impostos altos nunca conseguirão suprir com a corrupção sistêmica, haja impostos.
Custo Brasil. Duvidas, falar com o Taxadd.
Antes de usar a tática de taxar a importação, deveriam explicar porque o aço produzido aqui no Brasil é 50% mais caro do que a média mundial.
Pergunta ao Haddad sobre os impostos existentes e os novos. Custo Brasil.
Persona non grata
Quando dá bom é iniciativa privada e quando vai ruim é culpa do PeTe. Simples assim...
Esse governo so defende bandido ! Quem trabalha que se vire !!
A concorrência sempre é benéfica quando praticada de boa-fé. Assim, é muito melhor o país incentivar a produção interna c9m programa de empréstimos e subsídios, que bloquear produtos estrangeiros.
Resultado ruins … mas papel sobe Kkkkkk porque muito saben que não a mal que dute para sempre . Quem sober aproneitar esta ai !
essa foi boa! kkkkkkkk
O sucesso é meu, mas a culpa do fracasso é dos outros
Livre mercado. Não somos comunistas.
Se continuar assim, a empresa vai fechar as fábricas aqui e deixar no México e nos EUA, é pior para quem ESTUDOU e queria trabalhar em empregos de maior qualificação, vai ficar sem trabalho. Mas tudo é uma questão de ESCOLHA, um governo que está mais preocupado com discurso antissemita do que em trabalhar dá nessas coisas aí.
Com a crise imobiliária da china, o governo está subsidiando o aço de lá; ainda com o agravante da produção de lá ter menor custo. Lá a produção de aço polui 10X mais que no Brasil. Parece concorrência justa?
diagnóstico correto!!
É dumping mesmo.
são ramos totalmente diferentes....geral produz aço....weg produz equipamentos industriais de elevado valor agregado....motores elétricos, conversores de frequência e toda uma gama de produtos p automação industrial. Não dá para comparar....são nichos distintos...
Td mundo torcendo pro PT ganhar e proteger a indústria nacional, mas ninguém tinha BOLAS para assumir isso antes das eleições. Agora tbm não acho que o governo tem que ter pressa alguma para fazer isso…. A CONCORRÊNCIA TE FAZ MELHOR, GERDAU!
A Gerdau passou da hora de se diversificar como a WEG faz por exemplo
qual é a empresa que irá operar com prejuízo? o aço chinês está chegando aqui pela metade do preço porque o governo chinês está subsidiando a produção por que o setor de construção lá está saturado. Portanto, se não reduzir custos aqui, a empresa irá pagar p trabalhar...
A tartaruga da minha vó tbm acelerava
culpam governo lixos. aumentaram a tarifa de importação e depois eles subiram o preço do aço kkk. ai do que adianta taxad importados se depois eles aumentam os preços internos. nem deveria subir preço pra ficar mais em conta e vender pra dentro
o governo não dá oq eles querem, eles penalizam os trabalhadores. está parecendo até que é uma forma de protesto.
Não é protesto, a empresa não pode trabalhar no prejuízo, ela quebra. A demissão dos trabalhadores é pq está havendo dumping do aço chinês, é insustentável e a empresa (local) precisa se ajustar.
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.