Junte-se a +750 mil investidores que copiaram as ações das carteiras dos bilionáriosAssine grátis

Ibovespa fecha em queda com Vale e Treasuries; Petrobras sobe

Publicado 28.05.2024, 17:06
© Reuters. Painel de cotações na B3n06/07/2023nREUTERS/Amanda Perobelli
PETR4
-
VALE3
-
BVSPUSD
-

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou em queda nesta terça-feira, pressionado pelo declínio de Vale e alta dos rendimentos dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos, enquanto Petrobras foi destaque positivo com avanço do petróleo e declarações da nova CEO sugerindo uma estratégia semelhante à seguida nos últimos anos.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa recuou 0,58%, a 123.779,54 pontos, após bater 123.537,03 pontos na mínima e 125.392,39 pontos na máxima. O volume financeiro somou 21,38 bilhões de reais.

Na visão do analista Régis Chinchila, da Terra Investimentos, o investidor está com o "pé atrás" nesta semana, marcada por feriados e expectativa pela divulgação de um dado de inflação nos EUA -- o PCE -- na sexta-feira. "Enquanto isso, o Ibovespa está meio sem rumo, de olho em Nova York."

Nos EUA, os Treasuries reagiram a dados da maior economia do mundo que reforçaram a incerteza em torno do ritmo e do momento do ciclo de flexibilização monetária pelo Federal Reserve, esperado para começar este ano, entre eles uma melhora inesperada na confiança do consumidor norte-americano em maio.

O título de dez anos marcava 4,544% neste final de tarde, de 4,473% na véspera e 4,445% na mínima do dia, mais cedo. No mercado acionário, o S&P 500 fechou próximo da estabilidade, enquanto o Nasdaq encerrou no azul e o Dow Jones, no vermelho.

Mais cedo, o presidente do Fed de Minneapolis, Neel Kashkari, reforçou o tom cauteloso recente de membros da autoridade monetária dos EUA ao afirmar que o BC deve esperar por um progresso significativo na inflação antes de cortar os juros.

De acordo com a sócia e especialista da Blue3 Investimentos Letícia Cosenza, o mercado está com menos liquidez em uma semana marcada por feriados nos EUA e Brasil e cautela antes de dados que podem balizar o rumo da política monetária global.

A agenda macroeconômica no Brasil foi movimentada nesta terça-feira, destacando a alta de 0,44% do IPCA-15 em maio, após aumento de 0,21% em abril, enquanto expectativa em pesquisa da Reuters apontava para avanço de 0,48%. Em 12 meses, acumulou acréscimo de 3,70%, de 3,77% em abril e expectativa de 3,72%.

Dados sobre preços ao produtor em abril, resultado fiscal do governo central e confiança da indústria também ocuparam as atenções no mercado brasileiro.

DESTAQUES

- VALE ON (BVMF:VALE3) caiu 2,16%, pesando negativamente, com os preços futuros do minério de ferro atingindo seu nível mais baixo em uma semana na China, uma vez que a demanda por aço permaneceu fraca no país, apesar dos últimos estímulos imobiliários. O contrato mais negociado na Bolsa de Mercadorias de Dalian devolveu ganhos do começo da sessão e encerrou as negociações do dia em queda de 2,11%, a 882,5 iuanes (121,78 dólares) a tonelada, o menor valor desde 20 de maio.

- PETROBRAS PN (BVMF:PETR4) avançou 2,13%, beneficiada pela alta do petróleo no exterior, enquanto a nova CEO da companhia, Magda Chambriard, afirmou na véspera que a Petrobras será "perfeitamente" capaz de dar retorno a acionistas privados ou à União, que é a controladora. Questionada sobre a remuneração ao acionista, Chambriard disse que trabalhará para isso. "Se tem lucro, vai ter lucro, vamos ter dividendos; queremos ter lucro, queremos ter dividendos." Na visão do BTG Pactual (BVMF:BPAC11), ela sugeriu uma estratégia em que a coerência econômica prevalecerá.

- ITAÚ UNIBANCO PN (BVMF:ITUB4) cedeu 0,54% e BRADESCO PN (BVMF:BBDC4) fechou em baixa 0,08%, sem conseguir sustentar o sinal positivo do começo da sessão.

© Reuters. Painel de cotações na B3
06/07/2023
REUTERS/Amanda Perobelli

- MAGAZINE LUIZA ON (BVMF:MGLU3) terminou com declínio de 6,54%, ampliando a série de quedas para sete sessões, ainda penalizada por preocupações com o crescimento futuro da varejista. CASAS BAHIA ON, que não está no Ibovespa, caiu 0,85%.

- AZUL PN (BVMF:AZUL4) recuou 4,84%, em mais um dia de queda após o salto na última sexta-feira, após anúncio de acordo de codeshare com a rival Gol (BVMF:GOLL4). GOL PN, que não faz parte do Ibovespa, perdeu 5,88%. Ainda no setor de viagens, CVC (BVMF:CVCB3) BRASIL ON encerrou em queda de 3,32%.

- MRV&CO ON avançou 2,2%, tendo no radar que o Tribunal de Justiça de São Paulo atendeu ao pedido da Prefeitura e suspendeu liminar que impedia a realização da licitação do programa habitacional Pode Entrar. A contratação tinha sido suspensa na semana passada.

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.