📖 Guia da Temporada de Balanços: Saiba as melhores ações escolhidas por IA e lucre no pós-balançoLeia mais

Ibovespa tem alta marginal após apresentação do texto de regra fiscal

Publicado 18.04.2023, 17:05
© Reuters
GS
-
JNJ
-
LCO
-
CL
-
IBOV
-
BBDC4
-
B3SA3
-
CSNA3
-
FLRY3
-
PRIO3
-
ITUB4
-
LREN3
-
MGLU3
-
PETR4
-
RENT3
-
USIM5
-
VALE3
-
DCIOU4
-
PARD3
-
RRRP3
-
RDOR3
-

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou marginalmente no azul nesta terça-feira, com investidores digerindo a apresentação do texto do novo arcabouço fiscal a ser enviado ao Congresso.

Petrobras e Vale foram as maiores influências positivas ao índice, enquanto Localiza (BVMF:RENT3) e B3 (BVMF:B3SA3) ficaram na ponta oposta. O setor de varejo e construção também pesou negativamente.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa fechou com alta de 0,14%, a 106.163,23 pontos. O volume financeiro somou 21 bilhões de reais.

O governo apresentou no final desta tarde o texto oficial do novo arcabouço fiscal. Até então já haviam sido divulgadas as regras gerais da nova âncora fiscal do país, mas sem o efetivo projeto de lei que tramitará no Congresso.

O texto mantém a estrutura apresentada anteriormente de que as despesas podem crescer até 70% do aumento observado nas receitas recorrentes, definindo limites mínimos e máximos para a alta dos gastos. A proposta não cria gatilhos específicos para correção de rumo e redução de despesas, cabendo ao governo em exercício decidir politicamente quais áreas sofrerão cortes caso necessário.

Além disso, há uma lista com mais de dez tipos de desembolsos que não serão contabilizados nos limites anuais, como a capitalização de estatais e gastos em situações de emergência. Algumas receitas, como as com dividendos, também ficaram de fora.

"Investidores estavam de olho (nas exceções), justamente porque era incerto quais itens deveriam ficar de fora da regra fiscal", disse Fabrício Gonçalvez, presidente da Box Asset Management, observando que o mercado já havia precificado parte das medidas pela manhã após notícias sobre o assunto.

"Há a boa notı́cia de que receitas não recorrentes não serão utilizadas para o cômputo do gasto estimado. Além disso, abriu-se o espaço para contingenciamento dos gastos em diferentes momentos do ano", escreveu Sergio Vale, da MB Associados, em relatório.

"Entretanto, surgiram exceções à regra que não existiam no anúncio oficial, quando se deu a entender que apenas o Fundeb e o piso de enfermagem estariam fora. Não está claro se haverá espaço para o governo usar essas exceções para fazer política fiscal fora da regra", completou ele.

Em Wall Street, os três principais índices acionários fecharam praticamente estáveis, com reações a balanços financeiros de Goldman Sachs (NYSE:GS) e Johnson & Johnson (NYSE:JNJ), bem como atenção a pistas sobre o futuro da política monetária do Federal Reserve.

Destaques

- PETROBRAS PN (BVMF:PETR4) ganhou 2,55%, a 27,39 reais, marcando a sétima alta seguida, mesmo com petróleo Brent estável no exterior. No setor, PRIO ON (BVMF:PRIO3) caiu 2,35% e 3R PETROLEUM ON (BVMF:RRRP3) cedeu 2,02%, estendendo tombo da véspera após anúncio inesperado de aumento de capital.

- VALE ON (BVMF:VALE3) subiu 0,86%, a 78,54 reais, encerrando sequência de quatro quedas, apoiada em parte em dados que mostraram crescimento da economia da China em um ritmo de 4,5% no primeiro trimestre em relação a um ano antes, maior que o esperado. O contrato de minério de ferro mais negociado para setembro em Dalian, China, encerrou as negociações diurnas com alta de 2,08%, a 784 iuanes (114,04 dólares) a tonelada. Do outro lado, o Citi cortou a recomendação da ação da Vale para "neutra". A empresa divulga relatório de vendas após o fechamento do mercado.

- LOJAS RENNER ON (BVMF:LREN3) caiu 4,12%, a 16,05 reais, e MAGAZINE LUIZA ON (BVMF:MGLU3) perdeu 3,28%, a 3,54 reais, em sessão negativa para varejistas em geral com efeitos da alta dos juros futuros por fatores fiscais e da decisão do governo de voltar atrás e manter a isenção para encomendas internacionais de até 50 dólares entre pessoas físicas.

- CSN ON (BVMF:CSNA3) aumentou 1,91%, a 14,96 reais, também ajudada pelo cenário na China, a maior consumidora de aço do mundo, bem como expectativa pelos balanços do setor siderúrgico. USIMINAS PNA (BVMF:USIM5) avançou 0,93%, a 7,61 reais. A Usiminas divulga resultado na quinta-feira.

- BRADESCO PN (BVMF:BBDC4) perdeu 0,66%, a 13,64 reais, enquanto ITAÚ UNIBANCO PN (BVMF:ITUB4) fechou com variação negativa de 0,08%, a 25,94 reais.

- REDE D'OR ON (BVMF:RDOR3) valorizou-se 3,5%, a 22,77 reais, após três quedas seguidas. Analistas do Itaú BBA projetaram um aumento na taxa de ocupação da empresa nos três primeiros meses do ano frente o trimestre imediatamente anterior, conforme relatório divulgado na véspera.

- FLEURY ON (BVMF:FLRY3) cedeu 0,76%, a 14,43 reais. Na véspera, a companhia de medicina diagnóstica afirmou que a combinação dos negócios com a rival Hermes Pardini deve gerar um incremento de Ebitda anual de 200 milhões a 220 milhões de reais. O valor é maior que os 160 milhões de reais a 190 milhões de reais anuais estimados anteriormente pelas companhias. PARDINI ON (BVMF:PARD3), que não faz parte do Ibovespa, recuou 0,55%.

 

(Por André Romani)

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.