Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

'Nós temos de apostar no País e deixar de mimimi', diz Besaliel Botelho, da Bosch

Ações10.01.2022 18:52
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. 'Nós temos de apostar no País e deixar de mimimi', diz Besaliel Botelh

Besaliel Botelho é uma espécie de sumidade no setor de veículos no Brasil. Afinal, o executivo, de 62 anos, ingressou na Bosch (NS:BOSH) há 37 e passou a dirigir a área de Powertrain em 1987. Sob seu comando, a empresa desenvolveu o sistema bicombustível, que permite que o carro utilize gasolina, etanol ou a mistura de ambos em qualquer proporção. Mais recentemente, a companhia participou do projeto que deu origem ao primeiro veículo 100% elétrico criado e produzido na América Latina: o caminhão Volkswagen (DE:VOWG) e-Delivery, cujas vendas começaram em 2021. Às vésperas de passar o bastão de presidente para o argentino Gastón Diaz Perez, o recifense que foi estudar na Alemanha aos 18 anos e voltou com 25 concedeu a seguinte entrevista ao Estadão.

Em 2021, o setor de veículos foi afetado, além da pandemia, por questões como a alta do dólar e a falta de componentes, sobretudo semicondutores. Como foi o desempenho da Bosch?

Em 2021, tivemos um bom ganho de participação de mercado em todos os segmentos. Criamos novos modelos de negócios e crescemos muito no e-commerce. A indústria de segmentos onde atuamos cresceu. Então, 2021 talvez tenha sido um dos anos de recorde de faturamento para a Bosch. Também enfrentamos vários entraves, como o desarranjo da cadeia de fornecimento, com problemas graves no setor de aço e de outras matérias-primas. A Bosch é uma das grandes fornecedoras de eletrônica embarcada em veículos e utilizamos muitos chips. Seja como for, avançamos muito na digitalização, aplicamos conceitos fortes da indústria 4.0 e conseguimos atingir a neutralidade na emissão de carbono em todas as nossas plantas e nas nossas demais operações aqui no Brasil.

Recentemente, o sr. disse que cada região do planeta vai desenvolver sua própria solução para reduzir as emissões geradas por veículos. O caminho não é a eletrificação?

Não se trata de eletrificação, mas de descarbonização. Ou seja, de reduzir as emissões de CO2 e o efeito estufa. A área da mobilidade é uma das envolvidas, mas não é a maior. E não dá para olhar apenas o que sai do escapamento do veículo. É preciso cobrir toda a cadeia de geração da energia. Com os carros a bateria você resolve o problema nas grandes cidades, mas não descarboniza o planeta. O Brasil atua nessa frente há muitos anos, com o uso de biomassa e do etanol. Mais de 83% da nossa eletricidade e 45% da nossa matriz energética são renováveis. Cada região tem sua especificidade e, no Brasil, creio que ela passa pela biomassa. Antes de chegar a uma solução de carro elétrico puro ou a célula a combustível, o País deverá ter outras que possam ser implantadas mais rapidamente.

Neste ano, haverá eleições para presidente da República. Independentemente de quem for escolhido, o que o governo tem de fazer para desenvolver o País?

Sou muito otimista com relação a 2022. O Brasil é um país muito pujante nos seus potenciais, importância e relevância. Não só pelo que gera nos setores primários e no agronegócio. Temos cabeças brilhantes buscando novos negócios e oportunidades. O atual governo fez mais de 121 licitações, que representam R$ 650 bilhões em investimentos em rodovias, ferrovias. Meu tema não é política, mas olhar o Brasil. Quero ver o País evoluir. Nós precisamos vender bem a imagem do Brasil no exterior, porque assim os investimentos externos vêm. O País é tão forte que, se a política não atrapalhar, ele vai sozinho. A iniciativa privada está bastante comprometida com o País. Precisamos resgatar bons valores e continuar brigando contra a corrupção, que é um câncer no nosso país. Somente com mais empregos, oportunidades de negócio e investimentos, e não distribuindo dinheiro, vamos tirar o povo da miséria. Temos de acreditar e apostar no Brasil, deixar de "mimimi" e empurrar o País para frente.

A maior parte da sua carreira foi em postos de direção na Bosch. Qual foi o momento mais complicado?

Um dos momentos mais difíceis da minha carreira foi em março, abril de 2020. Eu tinha a responsabilidade de atravessar o transatlântico Bosch com 10 mil colaboradores a bordo por uma tempestade que a gente jamais tinha visto. Não havia receita de bolo, e eu não podia pedir ajuda à matriz, na Alemanha, porque a tempestade também estava lá. Havia gente morrendo no mundo todo, contaminação, medidas de restrições... Mas aí veio a medida provisória que permitiu reduzir a jornada e os salários. Tivemos de agir rápido. Em duas semanas, acertamos tudo com os sindicatos e os colaboradores. Só voltei a dormir melhor depois de maio, quando conseguimos equalizar a questão do caixa e dos empregos. Os salários foram recompostos e voltamos a crescer.

Como o sr. avalia sua trajetória na Bosch e o que espera da nova posição, no conselho da companhia?

Investimos cerca de R$ 1,5 bilhão nos últimos dez anos em tecnologia e inovação. Juntamente com nossos clientes, tornamos os veículos mais seguros, conectados e eficientes. O sistema Flex contribuiu para que 500 milhões de toneladas de CO2 deixassem de ser lançadas na atmosfera. Então, eu vejo um balanço muito positivo e um momento bom, com forte crescimento ante 2019. Em pouco tempo, vamos praticamente dobrar o faturamento. No conselho, vou atuar estrategicamente, principalmente em temas ligados à energia e ao futuro da mobilidade. Coordeno o grupo de digitalização da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Além disso, sou presidente da Associação Brasileira de Engenharia automotiva (AEA). Tenho muita coisa para fazer e vou continuar atuando fortemente para contribuir com o Brasil.

Se pudesse mandar um recado para o Botelho que acabava de sair da Universidade Hochschule Karlsruhe (HKA), na Alemanha, em 1985, qual seria?

Eu diria para aquele jovem, naquela época: "Entra na Bosch, é uma boa empresa. Ela vai te ajudar bastante na sua carreira profissional e para ampliar seus conhecimentos."

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

'Nós temos de apostar no País e deixar de mimimi', diz Besaliel Botelho, da Bosch
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (7)
elton szweryda santos
elton szweryda santos 11.01.2022 8:17
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
segundo a esquerda mi-mi-mi, quem poluí, e causa aquecimento global é o peido dos bovinos, rsrs, quando na verdade são os veículos e a atividade industrial, o mundo precisa de gente assim...
welington felix
welington felix 11.01.2022 7:24
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Conforme as idéias de governo e economia errôneas da esquerda, eles só ainda se justificam apenas pela vontade de ter o poder e falta de conhecimento do povo.Este sempre tem o presidente que merece...é uma pena mesmo! Sempre elegem o cara errado tanto no passado,presente e agora no futuro.Sempre tomando na cabeça. lamentável!
Elionai Soares
Elionai Soares 11.01.2022 7:24
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
A solução do Brasil é ter um presidente (político) que venha da iniciativa privada. O mal do Brasil são os políticos, a solução do Brasil é a política.
Francisco Fanine
Francisco Fanine 11.01.2022 6:47
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Contra ou a favor, como criticar um vencedor? Vencer na iniciativa privada alemã é uma tarefa difícil pra caramba, parabéns, Besaliel!
roberto gadioli
roberto gadioli 11.01.2022 3:35
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
esse B.o.s.t.a ajudou a eleger o #governoDeM.E.R.D.A que está aí.
Cleiton Moya de Almeida
Cleiton Moya de Almeida 10.01.2022 21:10
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Com essa elite xucra, Brasil não tem futuro mesmo! O cara acha que tá tudo bem não investir em carros elétricos, continuar importando 100% dos componentes eletrônicos e tecnologias da Alemanha e que reclamar de um governo incompetente, genocida e fascista é mimimi. Típico bolsonarista. Acorda Brasil! Já é o 7o ano que essa direita xucra tá governo, são um fracasso total.
Conceição Santos
Conceição Santos 10.01.2022 21:10
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
A interpretação de texto não é muito executada pelo BR mesmo … PQP!
David Raeder
David Raeder 10.01.2022 20:15
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
disse muita coisa interessante mas manchete e jornalismo é isso: polemizar
Fabio Piloto
Fabio Piloto 10.01.2022 19:32
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Falou certo!!! É muito mimimi contra o Brasil, principalmente de maus brasileiros que denigrem a imagem do próprio país em none de uma ideologia fracassada!
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail