⌛ Perdeu a alta de 13% da ProPicks em maio? Assine agora e receba mais cedo as ações de Junho.Desbloquear ações

Sindicatos querem apoio do governo em crise da Americanas; ministro cita "irresponsabilidade empresarial"

Publicado 30.01.2023, 14:18
© Reuters
AMER3
-
LAME4
-

SÃO PAULO (Reuters) - As maiores centrais sindicais do país divulgaram comunicado conjunto nesta segunda-feira defendendo a participação direta do Ministério do Trabalho no processo de recuperação judicial da Americanas, ocorrido após a revelação no início do mês de pelo menos 20 bilhões de reais em problemas contábeis.

Em reunião com sindicatos, o ministro do Trabalho, Luiz Marinho, disse que "aparentemente, pode ter havido uma irresponsabilidade empresarial" na crise da Americanas, mas afirmou que "é fundamental a gente conseguir preservar a continuidade da atividade econômica das Lojas Americanas (BVMF:LAME4), independente de quem seja seu controlador".

A Americanas tem entre os principais acionistas os bilionários Jorge Paulo Lemann, Carlos Sicupira e Marcel Telles.

Oito entidades sindicais, incluindo CUT, Força Sindical, UGT, assinaram o pedido apresentado ao ministro nesta segunda-feira. As centrais têm querem preservar empregos na varejista, que têm mais de 44 mil trabalhadores, além de "centenas de milhares" na rede de fornecedores.

"Por esses motivos, as centrais solicitaram ao Ministro do Trabalho e Emprego que o governo participe diretamente do processo com o objetivo de estabelecer diálogo tripartite e total transparência, neste que é um dos maiores processos de recuperação empresarial do país", afirmaram as entidades.

O ministro afirmou que reuniu-se com as centrais sindicais para ouvir as demandas dos trabalhadores e afirmou que o governo "não tem uma saída para apresentar a vocês (trabalhadores) mas queremos pensar juntos com vocês".

"AVES DE RAPINA"

Marinho afirmou que a crise da Americanas "também preocupa a área econômica do governo...Mas os problemas dos bancos não podem ser maiores que os problemas relacionados a trabalho e emprego, com milhares de pessoas e famílias que podem ser atingidos por este impacto", disse.

"É preciso encontrar como responsabilizar os acionistas que devem ter aprontado para dar esse rombo", afirmou o ministro, esperando que os problemas da Americanas estejam limitados à varejista e não ao setor como um todo.

© Reuters. 12/01/2023
REUTERS/Ueslei Marcelino

"Parece que é uma questão isolada das Lojas Americanas que deve ter tido alguma ave de rapina que encontrou uma brecha para aprontar...e para ficar mais bilionários do que já eram", disse Marinho sem citar nomes. "Seguramente os órgãos fiscalizadores...CVM...é preciso observar se não houve fraude."

As centrais convocaram um ato para a sexta-feira no Rio de Janeiro para chamar atenção para a situação dos trabalhadores da rede varejista, que pediu recuperação judicial sob peso de mais de 40 bilhões de reais em dívidas.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Últimos comentários

Carregando o próximo artigo...
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.