Garanta 40% de desconto
🚀 6 ações que subiram +25% no 1º tri selecionadas pela nossa IA. Quais ações vão subir no 2º tri?Não perca a lista completa

Suzano lucra R$4,52 bi no 4° tri e reverte prejuízo anterior; anuncia novo CEO

Publicado 28.02.2024, 18:15
Atualizado 28.02.2024, 20:25
© Reuters.

Por Patricia Vilas Boas

SÃO PAULO (Reuters) - A Suzano (BVMF:SUZB3) registrou lucro líquido de 4,52 bilhões de reais no quarto trimestre, versus prejuízo de 729 milhões de reais no trimestre anterior e lucro de 7,46 bilhões de reais no mesmo período um ano antes.

Analistas, em média, esperavam lucro líquido de 2,85 bilhões de reais, conforme dados da LSEG.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado apurado foi de 4,51 bilhões de reais no período, queda de 45% ante o último trimestre de 2022, informou a companhia nesta quarta-feira.

As vendas de celulose, principal negócio da Suzano, ficaram estáveis no trimestre em relação ao ano anterior, em 2,76 milhões de toneladas, enquanto o preço médio líquido do material caiu 31% no mercado externo, a 572 dólares a tonelada.

A Suzano afirmou em relatório de resultados que houve uma melhora significativa no sentimento de mercado principalmente na segunda metade do ano, "apesar de um primeiro semestre desafiador marcado pela queda do preço da celulose".

As vendas de papel, considerando os resultados da unidade de bens de consumo (tissue), somaram 386 mil toneladas no quarto trimestre, aumento de 14% na base anual. O preço médio líquido do papel, por sua vez, caiu 5% ano a ano, para 6.732 reais a tonelada.

A Suzano concluiu a aquisição do negócio de tissue da Kimberly-Clark (NYSE:KMB) no Brasil em junho do ano passado, no valor de 1,1 bilhão de reais, conforme balanço. Com a operação "o segmento de bens de consumo passou a ter desde o terceiro trimestre de 2023 maior representatividade nos resultados do negócio de papel", disse a Suzano.

A fabricante de papel e celulose também anunciou, em paralelo, que seu conselho de administração aprovou João Alberto Fernandez de Abreu como futuro CEO da empresa, em substituição a Walter Schalka, que deixará a posição a partir de 1º de julho.

O processo de sucessão entre os executivos começará em 2 de abril, conforme fato relevante encaminhado pela Suzano à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

João Alberto possui passagens na Shell (NYSE:SHEL), Raízen (BVMF:RAIZ4) e é diretor presidente da Rumo (BVMF:RAIL3), cargo que será ocupado por Pedro Marcus Lira Palma, atual diretor vice-presidente comercial da operadora ferroviária.

A saída de João Alberto se tornará efetiva a partir de 29 de março, de acordo com fato relevante da Rumo.

(Reportagem de Patricia Vilas Boas)

Últimos comentários

essa empresa pode chegar no 100 e desdobrar fácil
Muitos esperam um aumento expressivo da ação, mas acertar o timing não é fácil.
Se começar pagar dividendos bate nos 80 merreis
O siri no bolso deve ter saído
A linha de produtos para higiene pessoal 🧻🧻🧻 garante o setor.
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.