🚀 Ações escolhidas por IA em alta. PRFT com alta de +55% em 16 dias. Não perca as ações de junho!Acessar lista completa

Entenda a eleição na Índia, a maior na história da democracia

Publicado 21.04.2024, 10:05
Entenda a eleição na Índia, a maior na história da democracia
NSEI
-

A Índia se prepara para organizar maior votação da história da democracia no mundo. As eleições locais, que começaram na última 6ª feira (19.abr.2024), irão contar com a participação de 969 milhões de votantes. O processo eleitoral de 2024 terminará no dia 4 de junho, quando os resultados serão divulgados.

No sistema político indiano, o primeiro-ministro é apontado pelo partido que conquistou a maioriadas cadeiras do Lok Sabha, a câmara baixa do parlamento. O atual premiê, Narendra Modi, que ocupa o cargo desde 2014, é o grande favorito para consolidar um possível 3º mandato.

Na véspera do pleito, a rede India TV divulgou uma pesquisa de opinião que aponta que a aliança liderada pelo partido de extrema-direita do primeiro-ministro, o BJP (Partido do Povo Indiano), deve conquistar 393 cadeiras, o que garantiria a sua reeleição.

LEIA MAIS: Como as ações indianas podem reagir aos resultados da eleição no país?

Como funcionam as eleições na Índia

As eleições indianas de 2024 serão realizadas durante 44 dias e em 7 etapas. Cada fase representa uma data de votação de determinada região, contabilizando uma contagem gradual de votos. A primeira fase, que marcou o inicio do pleito, ocorreu em 19 de abril. As últimas regiões a votar irão às urnas no dia 1 de junho. O resultado final será divulgado no dia 4 de junho.

O processo eleitoral na Índia é feito com urnas portáteis eletrônicas. O doutor em ciência política da Universidade de Louvain, João Nicolini, afirma que há grande cuidado na contagem da grande quantidade de votos. “A Índia tem um processo eleitoral muito bem estabelecido”, pontua.

A votação definirá os novos parlamentares que ocuparão 543 das 545 cadeiras da Lok Sabha. Quando apontado pelo partido vencedor, o primeiro-ministro eleito escolherá 2 políticos para ocupar as vagas restantes.

Coligação I.N.D.I.A

No ano passado, foi formada a coligação de oposição I.N.D.I.A (Aliança Inclusiva para o Desenvolvimento Nacional Indiano), liderada por Raul Gandhi. O principal objetivo por trás da união era derrotar o BJP e aliados nas eleições deste ano, o que não é provável, dado o histórico de divergências dentro da I.N.D.I.A.

Joana Lopes, internacionalista da Universidade de Évora, afirma que um dos problemas enfrentados pela oposição é a junção de diferentes partidos, que têm posições ideológicas distintas. Ela relembra o envolvimento de membros da I.N.D.I.A em escândalos de corrupção, fator que enfraqueceu muito a coligação na disputa por cadeiras no parlamento.

A pesquisa da India TV afirma que a coligação de oposição deve conseguir menos de 100 cadeiras na Lok Sabha.

Popularidade de Modi

Mesmo com crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) que estabelece a Índia, dona de uma economia trilionária, como 5ª maior economia do mundo, o atraso social do país ainda chama atenção.

De acordo com a UNDP (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do país é considerado médio, pontuando 0.644. O mesmo órgão divulgou que a expectativa de vida ao nascer na Índia é de apenas 67 anos.

Apesar dos marcadores negativos, Modi é muito popular no país. Nicolini atribui o renome do primeiro-ministro ao seu forte discurso hinduísta. As lideranças do BJP são marcadas por um discurso religioso muito forte, responsável por conquistar grande parte do eleitorado indiano.

O partido do primeiro-ministro é acusado de perseguir grupos islâmicos, que são parte da população que é frequentemente marginalizada no país. Uma das principais propagandas da campanha do partido foi a construção de um tempo hindu em cima da antiga mesquita Babri, na cidade de Ayodhya.

Taís Leite, doutoranda da USP que estuda na capital Delhi, relata que para os apoiadores de Modi, os muçulmanos substituíram as baixas castas da Índia como uma “figura inimiga”.

Sistema de castas

O forte hinduísmo na Índia sustentou por séculos um sistema de castas, que foi abolido formalmente em 1950. Nesta organização, que ainda existe na prática, há 4 castas: Brahmins, Kshatriyas, Vaishyas e Shudras. Os sem-casta, chamados de Dalits ou “intocáveis”, historicamente sofrem muito preconceito.

Leite conta que presenciou discriminação contra os Dalits. “Muitas vezes pessoas de posição social mais alta se recusarem a frequentar as mesmas universidades, compartilharem quartos ou até mesmo usarem os mesmos talheres”, diz.

O casamento entre castas diferentes ainda é um tabu para os indianos.

João Nicolini explica que o próprio Modi, que veio de uma casta baixa, apela para a esperança de mudança de vida no sistema: “Modi é uma pessoa que diz que saiu da pobreza e conseguiu superá-la. Por trás desse discurso, há uma ideia de que os indianos podem progredir socialmente”.

Crescimento da Índia

O país tem crescido economicamente por investir em polos de tecnologia hospitalar, espacial e de ponta. Além disso, os setores de serviço têm investimento externo significativo.

“A Índia é um país que fala inglês, então muitas empresas norte-americanas e britânicas entram no mercado do país para utilizar um mão-de-obra mais barata. É fundamental lembrar que há uma forte diáspora indiana no mundo, pessoas donas de grandes empresas que tendem a ampliar o comércio do país com outras potências”, afirma Nicolini.

Modi prometeu que a Índia será um país desenvolvido até 2047, centenário da independência.

Nicolini entende a afirmação como um discurso político, que não é executável na prática. Já Lopes acredita que é o desenvolvimento social no país é possível: “Em 2047 a Índia será uma superpotência”.

Leia mais em Poder360

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.