📖 Guia da Temporada de Balanços: Saiba as melhores ações escolhidas por IA e lucre no pós-balançoLeia mais

Ata do Copom: Mercado estará atento a detalhes do cenário alternativo

Publicado 24.06.2024, 18:47
USD/BRL
-

A última reunião do Copom foi menos polêmica do que o encontro de maio, mas a ata que será divulgada amanhã merece atenção devido a novidades adicionadas no comunicado da decisão.  

O principal ponto de atenção é o detalhamento do cenário alternativo citado no comunicado. Isso é importante porque está ligado com as projeções de inflação do Copom para 2024 e 2025. 

No cenário de referência, a estimativa do IPCA para 2024 é de 4% e de 3,4% para 2025.  No cenário alternativo, com a taxa Selic mantida no atual patamar de 10,5% até meados do ano que vem (período do horizonte relevante da política monetária), as projeções do  IPCA situam-se em 4% para este ano e 3,1% para 2025.

O mercado vai avaliar se a manutenção da taxa Selic no atual patamar possa reduzir a inflação no ano que vem terá relação com: 

1. Eventual queda do dólar, já que o cenário de referência aponta um dólar a R$  5,30. Taxa Selic mantida em dois dígitos em meio a possível início de corte de  juros nos EUA eleva o diferencial de juros entre as economias brasileira e americana, atraindo capital estrangeiro para ativos de renda fixa local e, logo,  aumentando a oferta de dólar, reduzindo sua cotação.

2. Desaceleração do mercado de trabalho, com ao menos estabilidade da massa salarial e da taxa de desemprego. O Copom está monitorando se há uma relação  entre o aumento de emprego no setor de serviços intensivo em trabalho e alta nos  preços. 

3. Uma combinação de ambos os fatores. 

Por fim, a política fiscal ganhou os holofotes nas últimas semanas, o que elevou o  prêmio de risco na curva de juros brasileira. Mesmo com a saída de estrangeiros do mercado brasileiro em junho devido a uma saída de recursos generalizada de mercados emergentes, a incerteza quanto à trajetória do gasto público e seu impacto na dívida  adicionou a aversão a risco no mercado brasileiro.  

O esgotamento de um ajuste fiscal pelo lado da receita sem uma contrapartida de contenção de gastos ou de reformas estruturais intensificou o debate de a taxa de juros neutra, aquela que estimula o crescimento sem pressionar a inflação, tenha subido.  

A taxa neutra está atualmente em 4,5% ao ano, de acordo com o último Relatório Trimestral de Inflação, mas há projeções no mercado indicando sua elevação para até 6,5%, o que reduziria a margem para o Copom reduzir a taxa de juros. Neste caso, o mercado estará atento se o atual risco fiscal, com um mercado de trabalho dinâmico  em meio a uma atividade econômica atual acima das projeções, além da dificuldade da “última milha” da desinflação na economia mundial, será mencionado na ata e se pode ter alterado a taxa de juros neutra.

Últimos comentários

Carregando o próximo artigo...
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.