⌛ Perdeu a alta de 13% da ProPicks em maio? Assine agora e receba mais cedo as ações de Junho.Desbloquear ações

Bolha no mercado? Saiba como investir de forma defensiva e lucrar

Publicado 25.03.2024, 13:41
US500
-
JP225
-
MSFT
-
LLY
-
GOOGL
-
AAPL
-
AMZN
-
NVDA
-
MA
-
V
-
UNH
-
TSLA
-
IXIC
-
META
-
GOOG
-
  • No artigo a seguir, vamos investigar por que nem o mercado em geral nem as "7 Magníficas" estão em uma bolha especulativa.
  • Apresentarei uma estratégia de investimento defensiva, juntamente com exemplos práticos.
  • Abril se destaca como o mês mais promissor para as ações do setor energético. Vamos explorar como aproveitar as oportunidades nesse segmento.
  • Invista com o poder da inteligência artificial (IA) e os melhores dados financeiros com o InvestingPro. Use o cupom INVESTIR e aproveite um desconto adicional nos planos de 1 e 2 anos do Pro e Pro+! Saiba mais >>>
  • O S&P 500 apresentou um aumento de +9,7% nos primeiros 56 dias úteis de 2024, marcando o 15º melhor começo de ano desde 1928.

    Segue uma análise desses anos e os ganhos correspondentes nos primeiros 56 dias:

    • Ano de 1930: +13,2%.
    • Ano de 1931: +16,6%.
    • Ano de 1936: +12%.
    • Ano de 1943: +12,4%.
    • Ano de 1961: +11,3%.
    • Ano de 1967: +12,3%.
    • Ano de 1975: +21,6%.
    • Ano de 1976: +11,7%.
    • Ano de 1986: +10,4%.
    • Ano de 1987: +24,4%.
    • Ano de 1991: +11%.
    • Ano de 1998: +13,9%.
    • Ano de 2012: +10,7%.
    • Ano de 2019: +11,7%.
    • Ano atual (2024): +9,7%.

    Interessante notar que, desses 14 anos, em 11 ocasiões o S&P 500 continuou a acumular ganhos após o excelente início.

    Somente nos anos de 1930, 1931 e 1987 observou-se um cenário diferente. Nos demais anos, houve uma significativa valorização, com incrementos desde o menor em +2,4% (2012) e +4,3% (1986) até o mais expressivo em +15,4% (2019) e +14,8% (1936).

    Isso nos conduz à questão de se estamos ou não diante de uma bolha especulativa, um questionamento comum entre muitos investidores.

    Em particular, a preocupação gira em torno das "7 Magníficas" (Apple (NASDAQ:AAPL), Microsoft (NASDAQ:MSFT), Meta (NASDAQ:META), Amazon (NASDAQ:AMZN), Alphabet (NASDAQ:GOOGL), Nvidia (NASDAQ:NVDA) e Tesla (NASDAQ:TSLA)).

    Antes de mergulharmos nesse debate, é crucial entender o que caracteriza uma bolha especulativa e revisitar alguns exemplos históricos. Em seguida, abordaremos diretamente a questão.

    Uma bolha especulativa ocorre quando os preços no mercado sobem de forma significativa e acelerada, ultrapassando o valor intrínseco do mercado. Isso não significa que o aumento dos preços seja injustificado, mas indica uma ascensão excepcionalmente rápida.

    Quando a demanda robusta se esvai de repente, geralmente resulta no estouro da bolha, com os preços caindo vertiginosamente (com a mesma intensidade da subida), frequentemente anulando todos os ganhos acumulados.

    As bolhas são alimentadas pela falsa percepção de que os preços sempre subirão, uma crença irracional que leva os investidores a realizar compras cada vez mais arriscadas que não considerariam sob circunstâncias normais.

    Dentre as bolhas mais famosas, temos:

    • - A bolha das tulipas, no século 17, quando uma mania por tulipas exóticas na Holanda fez os preços atingirem níveis absurdos.
    • - A Bolha do Mar do Sul, no início do século 18, envolveu a Companhia dos Mares do Sul e sua rápida valorização acionária baseada em expectativas infundadas.
    • - As bolhas ferroviárias dos anos 1840, um período de excessos especulativos em torno de investimentos em companhias ferroviárias.
    • - A bolha de 1929, antecedendo o maior crash da história de Wall Street nos anos 1920, viu uma febre especulativa que atraiu milhares para o mercado de ações.
    • - A bolha da internet entre 1997 e 2000 testemunhou um aumento nas ações relacionadas à internet. No entanto, em março de 2000, o índice Nasdaq atingiu 5132 pontos antes de desabar, levando a encerramentos, falências e perdas significativas para os investidores.
    • - A crise do subprime de 2008 originou-se de bancos dos EUA emitindo empréstimos de alto risco para pessoas sem estabilidade financeira. Esses empréstimos foram agrupados em produtos financeiros complexos e vendidos, desencadeando eventualmente uma crise econômica global.
    • - Os preços chegaram a cair mais de 90% e raramente se recuperaram ou podem levar décadas para se recuperar. Levou 40 anos para o índice Nikkei do Japão voltar a novos altos, enquanto muitas ações da bolha tecnológica nunca recuperarão suas perdas.
    • - Durante a bolha de tecnologia, empresas simplesmente adicionavam ".com" aos seus nomes e viam seus preços das ações dispararem sem qualquer justificativa racional para tais aumentos, muito menos para comprar a preços tão exorbitantes.

    Por outro lado, quando olhamos para as 7 Magníficas hoje, observamos que essas empresas estão gerando lucros significativos. Com isso, a alta demanda por suas ações é compreensível, dada a forte performance corporativa.

    Outro aspecto que reflete a realidade atual é a Relação Preço/Lucro (P/L). Durante a bolha da tecnologia, muitas empresas apresentavam índices P/L de 100 ou mais.

    Em contraste, hoje, a relação P/L de 12 meses para o S&P 500 está em 26. Além disso, a média de 5 anos é 23, e a média de 10 anos é 21. Isso indica que, embora o S&P 500 esteja um pouco mais caro do que o usual, está longe de estar em uma bolha.

    Estratégias para investir de forma defensiva

    Acabamos de constatar que, embora o mercado não esteja em uma bolha especulativa, isso não elimina a preocupação de muitos investidores em adquirir ativos em um patamar elevado.

    Não há problema, para cada situação existe uma estratégia. Adotar uma postura defensiva é uma solução viável. Eis um método tradicional para tal:

    Considere aplicar recursos em companhias que demonstraram um aumento constante em seus dividendos ao longo dos últimos cinco anos, sinalizando robustez operacional e fundamentos sólidos. Seguem alguns exemplos:

    • Microsoft
    • Eli Lilly (NYSE:LLY)
    • Visa (NYSE:V)
    • UnitedHealth (NYSE:UNH)
    • Mastercard (NYSE:MA)
    • Sentimento dos Investidores (AAII)

    - O sentimento positivo, que reflete a expectativa de valorização das ações nos próximos seis meses, está atualmente em 43,2%, acima da média histórica de 37,5%.

    - Em contrapartida, o sentimento negativo, que pressupõe uma queda nos preços das ações no semestre seguinte, situa-se em 27,2%, abaixo da média histórica de 31%.

    Abril é um mês muito bom para ações de energia

    Estamos às vésperas de abril, o mês mais propício do ano para as ações de energia nos Estados Unidos.

    Historicamente, nos últimos 33 anos, abril tem sido o mês de destaque para o setor, com ganhos médios de quase +2% em relação ao S&P 500.

    Setembro e fevereiro aparecem em seguida, com avanços de cerca de +1% e +0,75%, respectivamente, enquanto novembro, julho e agosto são os menos favoráveis.ETF Energy Select Sector SPDR Fund

    Para investir neste setor, uma das alternativas é o Energy Select Sector SPDR Fund, um ETF que replica o desempenho do setor de energia do índice S&P 500. Com gestão de mais de US$ 26 bilhões em ativos, ele se apresenta como uma opção acessível para quem deseja ter exposição ao setor energético.

    ***

    Tenha mais sucesso nas suas estratégias com ações de tecnologia dos EUA e do mundo usando o ProPicks!

    Institucionais e bilionários já estão usando a inteligência artificial (IA) para se destacar no mercado, e você?

    Agora, você também pode fazer o mesmo com ProPicks, nova ferramenta de seleção de ações baseada em IA do InvestingPro.

    Com as nossas seis estratégias, incluindo a campeã "Titãs da Tecnologia", que rendeu incríveis 1.427,8% a mais que o mercado nos últimos dez anos, você terá acesso às melhores ações do mercado todo mês.

    Garanta um desconto adicional em sua assinatura aqui, não se esqueça de inserir o cupom INVESTIR e comece agora a investir como os profissionais!

    Aviso: este artigo tem fins meramente informativos e não constitui qualquer oferta ou recomendação de investimento.

Últimos comentários

Carregando o próximo artigo...
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.