Garanta 40% de desconto
⚠ Alerta de Balanço! Quais ações estão prontas para disparar?
Veja as ações no nosso radar ProPicks. Essas estratégias subiram 19,7% desde o início do ano.
Não perca a lista completa

Com menor produção de grãos, armazenagem deve ser menos pressionada este ano

Publicado 27.02.2024, 16:17
Atualizado 22.11.2023, 15:35

Em junho do ano passado publicamos neste espaço alguns dados sobre a evolução da capacidade de armazenagem no Brasil e a relação desta com a produção de grãos.

A chegada da safrinha 2022/23 impactou fortemente os preços, escancarando o déficit de armazenamento que temos no Brasil.

Trouxemos alguns dados sobre o cenário atual, usando as projeções de fevereiro para a safra brasileira de grãos, segundo a Conab. Em relação à soja, as expectativas ainda apontam para ajustes negativos da produção.

Para o milho, com a boa evolução da semeadura da segunda safra e o enfraquecimento do El Niño, que deve dar espaço a um cenário de neutralidade a partir do trimestre iniciado em abril, o risco de quebra mais relevante na produtividade vai diminuindo.

Aqui cabe uma observação, de que mesmo sem quebras maiores, o balanço projetado pela Conab no mercado do milho não está folgado, ainda que projetando queda relevante nas exportações (42% entre os ciclos 2022/23 e 2023/24). A relação entre o estoque final e a demanda total (já considerando exportações em queda) deve ficar em 5,6%, o equivalente a 20 dias. Essa relação estava em 17 dias no ciclo 2022/23, até mais apertada, no entanto, já oscilou em mais de 50 dias ao final dos ciclos 2019/20 e 2020/21. E se as exportações “caírem menos” o cenário fica ainda mais justo.

Esse equilíbrio é um ponto a ser acompanhado, ainda que a situação projetada para a segunda safra tenha melhorado do ponto de vista produtivo.

A possível redução de área com milho nos Estados Unidos também deve ser monitorada.

Dito isso, considerando os dados de capacidade de armazenagem da Conab e a sua última estimativa de safra, de fevereiro, calculamos a evolução do déficit de armazenagem, considerando apenas soja e milho.

Figura 1. Déficit de armazenagem no Brasil, considerando apenas as produções de soja e milho.

Fonte: Conab / Elaboração: HN AGRO

Como estamos falando de uma safra 8,2% menor para milho+soja, a pressão sobre o armazenamento também será menor.

Aqui cabe a ressalva de que os dados referem-se à capacidade estática, e não considera outras formas, como silos bolsa. Outro ponto é que, como estamos no começo do ano, as capacidades de 2023 e 2024 estão iguais na série da Conab (201,4 milhões de toneladas) e os dados de 2024 serão atualizados ao longo do ano.

Em outras palavras, o “aperto menor” este ano, em relação ao armazenamento, se deve simplesmente à redução projetada para a produção e não a um salto de capacidade.

Mais uma ponderação é que a comparação foi feita apenas com a safra daquele ciclo, sem considerar estoques anteriores. De toda forma, como a mesma análise foi feita para série toda, podemos assumir que o armazenamento em si deve ter menos peso que no ciclo anterior, no cenário do mercado. Isso quer dizer que essa variável deve pesar menos este ano, não que ela será mais importante que as demais na precificação.

A figura 2 mostra a relação entre a capacidade de armazenagem e a produção de milho e soja.

Figura 2. Produção de milho e soja, armazenagem e relação entre a armazenagem e a produção. Gráfico, Histograma

Descrição gerada automaticamente

Fonte: Conab / Elaboração: HN AGRO

Considerações

Apesar de uma situação de “menos déficit” (quase uma “despiora”) que em 2023, pela produção menor, o viés tem sido de aumento da lacuna de armazenagem no Brasil.

Entre o ciclo 2013/14 e o projetado para 2023/24, a capacidade de armazenamento aumentou em 39,6 milhões de toneladas, uma média de 2,2% ao ano, enquanto a produção de grãos aumentou 106,1 milhões de toneladas (4,5% a.a.), ou 96,9 milhões, considerando apenas soja e milho (+4,7% a.a.).

Isso, já considerando uma redução de produção de 6,3% entre 2022/23 para grãos em geral e de 8,2% para soja+milho, usando as estimativas de fevereiro como referência.

Quanto mais justa é a capacidade de armazenagem, menor é o poder de negociação do vendedor e isso é mais um fator, dentre muitos, que impactam o mercado.

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.