Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Atualize já

Como a Crise Energética na Europa Pode Impactar o Petróleo?

Por Ellen R. Wald, Ph.D.Commodities18.08.2022 09:03
br.investing.com/analysis/como-a-crise-energetica-na-europa-pode-impactar-o-petroleo-200451470
Como a Crise Energética na Europa Pode Impactar o Petróleo?
Por Ellen R. Wald, Ph.D.   |  18.08.2022 09:03
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
 
PBR
+2,83%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
LCO
-0,24%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
CL
-0,24%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
PRIO3
+0,99%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
PETR3
+2,95%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
PETR4
+3,41%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar a uma lista de Favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 

Com a chegada do fim do verão aqui nos EUA, vale a pena que os investidores do petróleo comecem a prestar atenção à situação energética na Europa. Muito embora a maior parte das preocupações se concentre na disponibilidade e nos preços do gás natural, o mercado petrolífero pode ser impactado de forma atípica se a crise se intensificar no próximo inverno.

Contexto

Em seus esforços para cortar as emissões de carbono, muitos países europeus decidiram queimar gás natural em vez de carvão. Alguns países, como a Alemanha, cortaram simultaneamente a geração de energia nuclear, retirando de operação usinas bem-sucedidas e aumentando ainda mais sua dependência ao gás natural barato fornecido pela Rússia

que, em 2019, foi responsável por fornecer 40% para a Europa. Tudo parecia estar indo bem, até que a Rússia resolveu invadir a Ucrânia, provocando uma resposta da Europa Ocidental e dos EUA na forma de sanções. Desde então, os países europeus vêm tentando desesperadamente diminuir sua dependência ao gás natural de forma geral e, em particular, ao gás da Rússia.

Visão geral da atual situação

O preço da eletricidade teve uma alta astronômica na Europa. Isso se deve a um conjunto de fatores, porém o mais significativo foi o fato de o gás natural mais do que quadruplicar de valor. As ondas de calor do verão também aumentaram a demanda, sem o apoio das usinas eólicas, devido ao baixo fluxo de ventos na região.

Desde o fim de julho, a Rússia também reduziu a quantidade de gás natural que costuma enviar para a Alemanha através do gasoduto Nord Stream, restringindo o abastecimento a 20% da capacidade usual. A Rússia atribuiu o corte a questões técnicas, mas a Alemanha alega motivação política. Esse declínio não poupou os preços da eletricidade em outros países europeus que recebem o gás natural russo ou energia elétrica através da Alemanha.

Ao mesmo tempo, a União Europeia está pressionando os membros a reduzir seu consumo de energia para que possam aumentar os estoques de gás natural para o inverno. No início de agosto, as reservas do produto no Velho Continente equivaliam a 71% da capacidade, cerca de 80% da meta que a UE espera alcançar até novembro.

As instalações de gás da Alemanha estavam 75% repletas. Porém, mesmo que a maior economia da zona do euro preencha todas as suas instalações de armazenamento, só terá um quinto do gás natural que geralmente consome, ou cerca de 2,5 meses da demanda para calefação, indústria e eletricidade. É por isso que os órgãos reguladores do setor energético do país estão pressionando as autoridades a reduzir o consumo de energia em 20%, o que também explica a corrida em busca de cargas de GNL de fornecedores estrangeiros para os meses de inverno. De certa forma, têm obtido sucesso nesse sentido.

Perspectiva para o futuro

A Alemanha e a Itália serão os países mais afetados, se a Rússia cortar completamente os fluxos de gás natural ou não houver um abastecimento suficiente do produto para atender a demanda. O governo alemão se comprometeu a fornecer a calefação residencial, portanto a indústria do país será durante impactada pela escassez de gás natural neste inverno, mesmo com o racionamento de energia em vigor neste momento.

As instalações industriais do país não teriam gás natural para fabricar aço ou outros produtos, e as pessoas não conseguiriam aquecer suas residências. A Alemanha seria jogada em uma recessão, assim como outras economias do continente que dependem dos produtos manufaturados alemães. Não temos uma ideia clara de quais empresas e indústrias seriam as primeiras a perder acesso à energia, na medida em que os órgãos reguladores do país ainda estão tentando determinar quais segmentos industriais são considerados “relevantes sistematicamente”, retornando ao mesmo debate ocorrido em 2020.

Se não houver um aumento do fluxo de gás natural da Rússia, a economia da Alemanha irá sofrer, como já está ocorrendo neste momento por causa dos preços elevados da energia. A escassez só acelerará uma recessão.

Como os mercados petrolíferos serão impactados

Uma crise econômica na Alemanha poderia desaguar em outras economias do continente. Demissões em massas e fechamentos de fábricas em toda a Europa provocariam uma queda na demanda de petróleo. No entanto, se os preços do produto recuarem significativamente, pode ser que mais usinas de energia recorram à sua queima, desde que consigam fazer as compensações de carbono exigidas pela UE, o que estimularia a demanda do mercado. Os investidores não devem assumir que uma recessão provocada pela crise energética necessariamente gerará uma reação do mercado similar às crises de energia do passado. Os preços e o uso da energia romperam padrões históricos tanto nos EUA quanto na Europa, devido à superdependência ao gás natural e, devido a isso, pode ser que a demanda petrolífera não caia tanto quanto durante uma recessão típica.

Publicado originalmente em inglês em 18/08/2022

Como a Crise Energética na Europa Pode Impactar o Petróleo?
 

Artigos Relacionados

Scot Consultoria
Alta na cotação do boi gordo em São Paulo   Por Scot Consultoria - 06.10.2022

Por Julia Zenatti e Rodolfo Silber Em São Paulo a cotação do boi gordo subiu R$2,00/@. Paralelamente, a cotação da novilha gorda na praça paulista caiu R$1,00/@.  Sul de Goiás Na...

Como a Crise Energética na Europa Pode Impactar o Petróleo?

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (5)
César Ferreira
César Ferreira 08.09.2022 13:18
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Só espéculou o óbvio
vladimir herzog
vladimir herzog 07.09.2022 0:26
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
vai cair e depois vai subir ... nao nao vai subir e depois vai cair ... eu entendi mas depois não entendi ... fiquei com mais dúvida agora mto obrogado.
ka hh
ka hh 30.08.2022 22:48
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
excelente artigo ... explicação maravilhosa
Bruno Moretto
Bruno Moretto 18.08.2022 13:28
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Falou tudo, mas nao disse nada.
Antonio Ferreira
Antonio Ferreira 18.08.2022 13:28
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
É porque ela tá escrevendo para ignorante.
Robert Pavuna
Robert Pavuna 18.08.2022 12:52
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
👎👎
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail