Últimas Notícias
Investing Pro 0
💎 Acesse ferramentas de mercado usadas por milhares de investidores Iniciar

Juros americanos, S&P 500 e os 'natural born killers'

Por Felipe MirandaResumo do Mercado15.05.2023 19:04
br.investing.com/analysis/juros-americanos-s500-e-os-natural-born-killers-200457217
Juros americanos, S&P 500 e os 'natural born killers'
Por Felipe Miranda   |  15.05.2023 19:04
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
 
XAU/USD
-0,87%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
US500
-0,27%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
Gold
-0,75%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
CL
-1,02%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 

Dizem por aí que há duas formas de ir para o inferno. A primeira seria aquela coisa conhecida: você se comporta como um mau menino durante a vida, morre e depois vai passar uma longa temporada naquele calorzinho desagradável. A segunda ocorreria ainda durante sua estada neste plano, sem que precisasse falecer, bastando “shortear" (vender) o S&P 500 para encontrar semelhante sensação.

Em longo prazo, o principal índice de ações norte-americano é, talvez, o melhor investimento do mundo, de tal modo que apostar contra ele implicaria um viés de nadar contra a corrente. 

Então, ainda que muitos possam concordar com um valuation caro para a bolsa norte-americana, sua predileção seria observar de fora, sem uma posição vendida, tipicamente muito custosa. A bolsa dos EUA seria cara e sempre pareceria cara.

Permanecendo nessa temática, me lembro da frase atribuída a Dante: “os lugares mais quentes do inferno estão reservados àqueles que escolheram a neutralidade em tempos de crise.” Numa abordagem mais bem humorada, recorro a Mark Twain: “prefiro o céu pelo clima, o inferno pela companhia.”

O short pode ser desagradável e penoso, mas isso não significa que não deva ser montado, principalmente quando se encaixa bem dentro da construção de portfólio. Os índices de ações têm negociado numa faixa surpreendentemente estreita por bastante tempo. Ainda que possam voltar a subir a partir da superação do ciclo de aperto monetário, a assimetria não parece nada convidativa para uma posição comprada.

Entre os pontos de maior dificuldade da ciência econômica (e também da política econômica), está a determinação exata dos efeitos das mudanças na taxa básica de juro sobre a atividade e a inflação. Isso é particularmente problemático porque os impactos, necessariamente, ocorrem com defasagem e, na vida real, jamais, sob a preservação da hipótese de ceteris paribus. Em outras palavras, você mexe no juro de curto prazo hoje e milhões de outras variáveis continuam mudando. O efeito do aperto monetário só vai ser visto lá na frente, sem que possamos identificar exatamente o que decorreu, de fato, das mudanças na taxa básica de juro. Muitas vezes, confundimos correlação com causalidade. E sem querer tornar a discussão excessivamente técnica, a econometria associada a esse tipo de teste, normalmente ligada a exercícios de causalidade de Granger e funções de resposta a impulso, também funciona apenas sob premissas bastante restritivas.

O velho problema das ciências sociais: não conseguimos isolar num laboratório todas as demais variáveis do mundo real e fazer somente a taxa de juro mudar, esperar 12 meses e ver o que acontece com o PIB, o desemprego e a inflação.

Niall Ferguson costuma recorrer à Filosofia da História para apontar dificuldades em afirmações como: “a revolução francesa teve como causa uma seca história no ano anterior.” Isso implica dizer, em alguma medida, que, se não houvesse a seca, a Bastilha não teria sido tomada. Mas não conseguimos voltar no tempo e fazer o teste da hipótese alternativa. Quando não podemos falsear determinadas afirmações ou hipóteses, ainda assim estaríamos fazendo ciência? E se não fazemos ciência quando falamos de Economia, então do que dispomos?

Larry Summers é um dos que reconhecem o problema. Não somente existe uma grande dificuldade em identificar qual a defasagem média entre a mudança de juro e a reação das variáveis reais, como também há grande variância em torno dessa resposta. Em alguns momentos, ela se dá mais rápida e intensa. Em outros, demora e vai morosa.

De ordem mais prática, os formuladores de política econômica se deparam com um grave problema (antes de criticá-los, tente se imaginar sentado naquela cadeira): você identifica um processo inflacionário. Então, amparado no modelo da autoridade monetária, começa a subir a taxa de juro. Ocorre que as variáveis reais não respondem de imediato. Você continua, portanto, subindo o juro básico. Em determinado momento, as variáveis reais começam a reagir ao aperto do torniquete monetário feito meses antes. Mas, então, ainda precisam reagir a toda a alta mais recente dos juros, realizada nesse intervalo de tempo. Os Bancos Centrais, se soubessem exatamente o período e o tamanho da defasagem, teriam de parar antes dos efeitos da política monetária serem sentidos na inflação e nas expectativas de inflação, o que, por definição, seria não observável e implicaria, portanto, um risco enorme.

Daí deriva uma espécie de tendência natural ao “overkill" ou “overtightening”, uma inclinação de aperto excessivo das condições monetárias que leva as economias à recessão. E é também por isso que acreditar num pouso suave dos EUA parece presumir uma habilidade quase sobre-humana do Fed, capaz de levar a taxa de juro ao ponto exato em que a inflação desacelera sem que incorramos numa recessão mais severa. Relatório recente da BCA foi explícito ao apontar essa tendência histórica para o Banco Central Europeu, como demonstra o gráfico abaixo:

Nos EUA, já há indicadores antecedentes importantes apontando para uma desaceleração mais intensa. As vendas de caminhões estão reduzindo o ritmo de maneira destacada; o preço das ações de transporte tem tido uma performance média inferior ao S&P 500 (o que costuma ser sinal de piora na economia) e o petróleo caiu muito, enquanto o ouro está perto da máxima. As condições de crédito seguem se deteriorando e, conforme identificou o JP Morgan em relatório de estratégia de ações nesta manhã, “o risco retorno para as ações em nível global se deteriorou, com uma provável fraqueza na segunda metade do ano.”

Na tradicional Sohn Conference deste ano, o lendário gestor Stanley Druckenmiller fez um bom resumo da situação: "quando você tem dinheiro de graça (cenário de juros zero e muita liquidez), as pessoas fazem coisas estúpidas. Quando você tem dinheiro de graça por 11 anos, as pessoas realmente fazem coisas estúpidas. Então, há coisas sob a superfície e algumas delas estão começando a emergir. Obviamente, tivemos os bancos regionais agora. Mas eu assumiria que há outros corpos que podem aparecer boiando.” 

Druckenmiller alertou para o risco de um pouso forçado para a economia norte-americana, que envolveria uma queda de, pelo menos, 20% dos lucros corporativos, uma alta na taxa de desemprego para 5% e um aumento dos pedidos de falência. "Não estou prevendo algo tão dramático quanto 2008, mas seria ingênuo não ter a mente aberta para a possibilidade de um efeito mais pronunciado”, concluiu. 

Seguimos em boa companhia. “Pegar fogo nunca foi atração de circo, mas, de qualquer maneira, pode ser um caloroso espetáculo.” Estamos com saudade da Rita Lee e short em S&P 500.

 

Juros americanos, S&P 500 e os 'natural born killers'
 

Artigos Relacionados

Rocpaurio Santos
Hoje é final de campeonato!   Por Rocpaurio Santos - 29.09.2023

Call de Abertura Entrando em Ação! 29/09/2023 Bem, amigos, bom dia! Como estão vocês, tudo bem?   Não há mal que dure para sempre e ontem finalmente tivemos um alívio significativo...

Juros americanos, S&P 500 e os 'natural born killers'

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir esse gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por esse motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (9)
Alessandro Reis
Alessandro Reis 17.05.2023 8:00
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
esse cara é do vídeo da palhaça do TC né ?
joao guilherme
joao guilherme 16.05.2023 18:56
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
De toda forma, assumir que algo proximo a derrocada do setor imobiliário americano de outrora possa acontecer, é no minimo plausível, pois , “ a maquina de imprimir dinheiro “ dos EUA pode estar ficando cansada, e com sua fadiga, demonstrando fragilidade para o estão povo norte- americano ( que sem duvidas, acham que estao acima das leis naturais ) e com essa demonstracao clara da crescente taxa de juros americana , com o indice de desemprego subindo, e, fora os corpos que já boiaram, o indice do medo esta jogando a economia da nação estado-unidense para baixo. Com o titanic afundando, só me resta apreciar a sonata do diabo e acumular, no fundo desse oceano que está demorando pro navio chegar .
Vítor Mello
Vítor Mello 16.05.2023 17:52
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Quer mostrar que é cultinho e só coloca investidores iniciantes em furada!
Robson Ramos
Robson Ramos 16.05.2023 14:10
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
America faliu
Ricardo Kishiyama
Ricardo Kishiyama 16.05.2023 9:12
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
é pra ficar fora do S&P então?
Julio Silva
Julio Silva 16.05.2023 8:26
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Gista de escrever este Felipe heim!!!
Antonio Salviano
Antonio Salviano 16.05.2023 8:18
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Esse é um relatorio top swhoo. Mostrando a cituação desagradavel de uma forma agradavel. Bom dia.
Jose luiz Burato
Jose luiz Burato 16.05.2023 7:42
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Muito bom !
Edgard Martins
Edgard Martins 16.05.2023 7:32
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Por falar em inferno hein Sr Felipe, estao te esperando por lá!
 
Tem certeza que deseja excluir esse gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar esse comentário

Diga-nos o que achou desse comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail