Garanta 40% de desconto
🚀 Ações escolhidas por IA em alta. PRFT com alta de +55% em 16 dias. Não perca as ações de junho!Acessar lista completa

China registra crescimento sólido do PIB no 1º trimestre mas dados de março mostram que demanda ainda é fraca

Publicado 16.04.2024, 07:33
© Reuters. Trabalhador em local de construção em Pequim
090/04/2024. REUTERS/Tingshu Wang
USD/CNY
-

Por Joe Cash e Kevin Yao

PEQUIM (Reuters) - A economia da China cresceu mais rápido do que o esperado no primeiro trimestre, segundo dados divulgados nesta terça-feira, oferecendo um certo alívio às autoridades que tentam sustentar o crescimento diante da fraqueza prolongada do setor imobiliário e do aumento da dívida dos governos locais.

Entretanto, uma série de indicadores de março divulgados juntamente com os dados do PIB - incluindo investimento imobiliário, vendas no varejo e produção industrial - mostrou que a demanda interna continua frágil e está retardando o impulso geral.

O governo revelou uma série de medidas de políticas fiscal e monetária em uma tentativa de atingir o que os analistas descreveram como uma meta ambiciosa de crescimento do PIB em 2024, de cerca de 5%, observando que a taxa de crescimento de 5,2% do ano passado foi provavelmente favorecida por uma recuperação de um 2022 afetado pela Covid.

O Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 5,3% entre janeiro e março em relação ao ano anterior, mostraram dados divulgados pelo Escritório Nacional de Estatísticas, confortavelmente acima da expectativa dos analistas em uma pesquisa da Reuters de um aumento de 4,6% e um pouco mais forte do que a expansão de 5,2% nos três meses anteriores.

"O crescimento forte no primeiro trimestre contribui muito para que a China atinja sua meta de "cerca de 5%" para o ano", disse Harry Murphy Cruise, economista da Moody's Analytics.

"A produção industrial também foi sustentada durante o trimestre, mas os dados fracos de março são motivo de preocupação. Igualmente preocupante é o fato de as famílias da China continuarem a manter suas carteiras fechadas."

Na comparação trimestral, o PIB cresceu 1,6% no primeiro trimestre, acima da previsão de 1,4%.

A segunda maior economia do mundo tem enfrentado dificuldades para conseguir uma recuperação forte e sustentável pós-Covid, sobrecarregada por uma prolongada queda no setor imobiliário, dívidas crescentes dos governos locais e gastos fracos do setor privado.

Na semana passada, a Fitch reduziu a perspectiva da recomendação de crédito soberano da China para negativa citando riscos para as finanças públicas, uma vez que Pequim canaliza mais gastos para infraestrutura e manufatura de alta tecnologia.

O governo está recorrendo ao trabalho em infraestrutura para ajudar a impulsionar a economia, uma vez que os consumidores estão cautelosos em relação aos gastos e as empresas não têm confiança para expandir.

DADOS FRACOS DE MARÇO

A economia teve um início sólido este ano, mas os dados de março sobre exportações, inflação ao consumidor, preços ao produtor e empréstimos bancários mostraram que o ímpeto pode vacilar novamente e reforçaram os apelos por mais estímulos para sustentar o crescimento.

De fato, dados separados sobre a produção industrial e as vendas no varejo, divulgados juntamente com o relatório do PIB, destacaram a persistente fraqueza da demanda doméstica.

© Reuters. Trabalhador em local de construção em Pequim
090/04/2024. REUTERS/Tingshu Wang

Em março, a produção industrial cresceu 4,5% em relação ao ano anterior, em comparação com um aumento previsto de 6,0% e um ganho de 7,0% no período de janeiro a fevereiro.

O crescimento das vendas no varejo, um indicador do consumo, aumentou 3,1% na comparação anual em março, contra uma previsão de aumento de 4,6% e marcando uma desaceleração em relação ao ganho de 5,5% no período de janeiro a fevereiro.

O investimento em ativos fixos cresceu 4,5% ao ano nos primeiros três meses de 2024, contra as expectativas de um aumento de 4,1%. Ele cresceu 4,2% no período de janeiro a fevereiro.

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.