Últimas Notícias
Garanta 40% de desconto 0
🔎 Confira as ProTips completas de NVDA e descubra riscos e retornos DESCONTO de 40%

Galípolo diz ver pressão do mercado para BC acelerar cortes de juros

Publicado 30.11.2023 15:20 Atualizado 30.11.2023 16:55
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. Sede do Banco Central, em Brasília 22/03/2022 REUTERS/Adriano Machado

Por Bernardo Caram

BRASÍLIA (Reuters) -O diretor de Política Monetária do Banco Central, Gabriel Galípolo, disse nesta quinta-feira que recentemente, diante de um cenário mais benigno, vem sentindo maior pressão do mercado para aceleração dos cortes de juros no Brasil, enfatizando a postura de cautela da autoridade monetária diante de incertezas.

Em evento organizado pelo JP Morgan, o diretor afirmou que uma possível retirada da orientação nas comunicações da autarquia de que o BC manterá o ritmo de cortes na Selic nas “próximas reuniões”, no plural, tem significados diferentes a depender do momento.

"Mais recentemente, num cenário mais positivo e benigno de devolver as taxas, o fechamento das treasuries, eu pelo menos venho sentido nas minhas interlocuções uma certa pressão maior por parte do mercado, de novo, em um sentimento de que existiria espaço para você eventualmente acelerar", afirmou.

“Temos tentado não nos emocionar, especialmente com os dados de alta frequência, e tentar nos beneficiar de que a gente está em um ponto do ciclo que nos permite ver como isso se desenrola”, acrescentou.

A Selic está atualmente em 12,25% ao ano após o BC dar partida no ciclo de afrouxamento monetário, com três cortes consecutivos de 0,50 ponto percentual na taxa e prometer manter esse ritmo à frente.

No seminário, Galípolo afirmou que o BC está bastante atento às expectativas de inflação para que haja uma reancoragem total, argumentando que o tema é desafiador.

O diretor disse que parte dos fatores que impactam as expectativas não diz respeito diretamente à atuação do BC, como questionamentos sobre a trajetória das contas públicas e viabilidade de uma meta de inflação de 3% no Brasil, destacando que esse não é um tema de discussão do BC, a quem cabe apenas perseguir esse objetivo.

"Temos compromisso com a meta de inflação, vamos seguir perseguindo a meta", disse.

Ele argumentou que a observação de dados positivos na própria inflação corrente pode ser a melhor maneira de ancorar as expectativas para o comportamento dos preços à frente.

Galípolo disse ainda que a adversidade no cenário internacional pode tornar o Brasil mais atraente em função de vantagens comparativas, como o estágio da política monetária, o volume de reservas e os resultados positivos da balança comercial.

Segundo ele, o crescimento econômico do Brasil vem surpreendendo positivamente, ao mesmo tempo que inflação tem se mostrado bastante "benigna".

"A maior adversidade do cenário internacional talvez torne o Brasil ainda mais atraente em função de vantagens comparativas que conseguimos reunir ao longo dos anos", disse.

Ao mencionar as surpresas positivas, o diretor afirmou que mesmo com o cenário externo adverso, a cotação do petróleo e a taxa de câmbio "se comportaram muito bem". Ele citou ainda que a agricultura deu um choque positivo significativo na atividade no Brasil, ao mesmo tempo em que ajuda no processo de redução da inflação.

Em uma analogia entre a política monetária e um tratamento médico, Galípolo fez referência ao cenário de incerteza para afirmar que “não seria muito recomendável aumentar muito a dose do remédio nem retirar a dose".

Após o Congresso dar um prazo para que seja encontrada solução para os elevados níveis de juros do rotativo do cartão de crédito, o diretor disse que é muito difícil chegar a uma solução ótima na qual todos os agentes saiam com vantagem.

Galípolo afirmou que o BC conduz as discussões com bancos, varejistas e outros atores na busca por um acordo. Ele enfatizou que se não houver consenso sobre o tema a lei aprovada pelo Legislativo determina o que acontecerá -- em referência ao teto de juros para o rotativo a ser estabelecido caso não haja uma regulação.

(Por Bernardo Caram, em BrasíliaReportagem adicional de Luana Maria Benedito, em São PauloEdição de Pedro Fonseca)

Galípolo diz ver pressão do mercado para BC acelerar cortes de juros
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir esse gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por esse motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (2)
Julius Capri
Julius Capri 30.11.2023 23:35
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
A inflação não está combatida, a atividade está elevada e a, taxa de desemprego baixa, não existe cenário para acelerar ritmo da Selic nem conjuntura internacional, e a, política não pode prevalecer.
Mat Newman
Mat Newman 30.11.2023 16:25
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
127k? 🐀🐄🐀🐃🐀🐂😭😭😭😭 Os militantes do ladrão miliciano estão desesperados e desconsolados na sua torcida contra o próprio país!
 
Tem certeza que deseja excluir esse gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar esse comentário

Diga-nos o que achou desse comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail