Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Commodities podem amortecer baque da guerra na Ucrânia para o Brasil, mas inflação preocupa, dizem economistas

Economia 02.03.2022 20:15
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. Homem aponta para quadro de cotações de índices de mercado da B3, em São Paulo 28/10/2021 REUTERS/Amanda Perobelli

Por José de Castro

SÃO PAULO (Reuters) - A eclosão da guerra entre Rússia e Ucrânia e seus desdobramentos no mundo podem impor mais um vento contrário à economia do Brasil via canal de inflação e juros mais altos, mas o salto dos preços de algumas commodities exportadas pelo país pode servir de contraponto e até mesmo proteger a atividade de impactos mais severos, avaliaram economistas nesta quarta-feira.

Os profissionais ressalvaram que ainda é cedo para se determinar efeitos precisos da guerra na Europa, num momento em que as cadeias de abastecimento ainda seguem prejudicadas pela pandemia de Covid-19.

Mas com os mercados russos se juntando à lista de emergentes problemáticos, que inclui Turquia, o Brasil pode atrair ainda mais as atenções de investidores ávidos por retornos, movimento já em curso desde o começo do ano e que pode ganhar um pouco mais de fôlego diante do atual contexto.

Uma métrica do menor "estresse" da comunidade financeira --o que indicaria, por ora, menor urgência de mudança de projeções-- poderia ser o comportamento dos preços dos ativos no Brasil.

Depois de dois dias fechados por causa do Carnaval, os mercados domésticos até esboçaram reação mais negativa na volta dos negócios nesta quarta-feira, num aparente ajuste inicial à turbulência vista nos dias anteriores. Mas logo o dólar, que chegou a saltar 1,32%, passou a cair, fechando em queda de 0,9%. O Ibovespa saltou 1,8%.

"Fica mais difícil ter certeza de um resultado líquido dos impactos da guerra considerando que o Brasil tem muitos setores 'commoditizados'. A renda, o lucro desses setores pode se beneficiar", disse Ivo Chermont, economista-chefe da Quantitas, fazendo contraponto ao tradicional choque de oferta e todo o impacto potencialmente negativo na atividade mundial que um evento como uma guerra traz.

No fim do ano passado, pouco mais de 40% do total exportado pelo Brasil teve origem nas indústrias extrativa e agropecuária, conforme dados do governo. No Ibovespa, Vale (SA:VALE3) e Petrobras (SA:PETR4) puxaram quase sozinhas o índice para cima nesta sessão.

"Até agora, o Brasil vem se beneficiando. O fluxo de capital estrangeiro para ações brasileiras atingiu 25 bilhões de reais em fevereiro (parcial), acumulando 58 bilhões de reais no ano --mais da metade dos ingressos do ano passado. Investidores estrangeiros têm migrado para o Brasil em busca de exposição a commodities e múltiplos ainda atrativos", disse a XP (SA:XPBR31).

Um impulso adicional nas exportações poderia aumentar os ingressos de recursos ao país, elevando a liquidez em moeda estrangeira e, assim, ajudando a baixar o dólar. Mesmo diante do nervosismo global por causa do conflito bélico, o real tem mostrado resiliência.

Estudo do UBS mostra que os spread entre a previsão do banco e a taxa embutida em contratos a termo é de apenas -3,3%, enquanto no caso do rublo russo chega a -48%. O UBS, contudo, considera que mais posições favoráveis ao câmbio precisam de melhores pontos de entrada.

No geral, os entendimentos de uma performance mais resistente dos ativos locais são válidos, segundo os analistas, considerando que o mundo não deve viver uma crise financeira.

"A Rússia não tem peso relevante no PIB global", disse Stephan Kautz mailto:stephan.kautz@eqiasset.com.br, economista-chefe da EQI Asset. Kautz pontuou, no entanto, que uma queda no PIB russo da ordem de 7% --como, segundo ele, algumas casas já estão prevendo-- puxaria a economia mundial para baixo, o que poderia afetar o Brasil.

Uma medida dos fluxos Brasil-Rússia, a conta de comércio entre os dois países somou 7,3 bilhões de dólares em 2021, contra 138,3 bilhões de dólares com a China, maior parceiro comercial brasileiro.

GUERRA, COMMODITIES, JURO, INFLAÇÃO

Uma das consequências da guerra entre Rússia e Ucrânia poderia ser mais visível do lado da inflação e seus impactos consequentes nos juros e na atividade.

Kautz, da EQI Asset, disse que sua estimativa de expansão do PIB brasileiro em torno de 1,5% para 2023 já entrou em viés de baixa à medida que o cenário da casa passou a ser de juro perto de 12,5% por mais tempo --a EQI Asset antes via espaço para cortes da Selic entre o fim deste ano e o início do próximo.

"Juros mais altos neste ano afetam crescimento do ano que vem. O impacto (do cenário geral) será na inflação em 2022 e na atividade em 2023", afirmou. Para 2022, o economista calcula variação perto de zero para a economia.

Ele vê chances "em algum momento" de aumentos de preços dos combustíveis pela Petrobras à medida que o spread entre o barril do petróleo no exterior --que já supera 110 dólares-- e os preços aqui já se aproxima de 18%, contra média de 12% dos últimos 15 dias.

Além disso, os custos de commodities como trigo, milho e soja também estão em alta e podem impactar toda a cadeia alimentícia.

O economista Otto Nogami, do Insper, também vê viés altista para a inflação com a guerra e estima que a Selic terá de ir para além de 12,5% no novo ambiente de commodities em forte alta e de câmbio que, em sua avaliação, tende a desvalorizar com a continuidade do conflito.

"Na última ata o Banco Central já sinalizava uma redução no nível de aumento da taxa de juros e acredito que agora, em função desse novo cenário, ele vai ter que manter a mesma dosagem para a próxima reunião", afirmou.

Ele pondera que, ainda que o país possa ter ganhos com a valorização de produtos importantes de sua pauta de exportação, a dependência externa de derivados de petróleo e do trigo vai falar mais alto, e o efeito líquido será desfavorável, inclusive sobre o crescimento.

O índice CRB de commodities --uma referência global-- dispara 24,4% em 2022, depois de saltar 38,5% em 2021. O índice está nos picos desde setembro de 2014, depois de apenas nesta semana subir 9,3%, em meio ao agravamento da guerra na Ucrânia.

"Embora alguns setores (no Brasil) possam se beneficiar do cenário de nova alta preços das commodities, o aumento da aversão global ao risco e o potencial de piora das condições financeiras, problemas adicionais na cadeia de suprimentos e inflação ainda mais alta (portanto, menor renda familiar real) nos levam a manter a projeção de taxa de crescimento nula para o PIB de 2022", disse a XP em relatório.

(Reportagem adicional de Isabel Versiani)

Commodities podem amortecer baque da guerra na Ucrânia para o Brasil, mas inflação preocupa, dizem economistas
 

Artigos Relacionados

PIB deve crescer 1,8% este ano, prevê Ipea
PIB deve crescer 1,8% este ano, prevê Ipea Por Agência Brasil - 30.06.2022

Agência Brasil - O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro deverá atingir crescimento de 1,8% este ano, chegando a 1,3% de crescimento em 2023. A estimativa é do Instituto de...

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (2)
Guido Costa
GMACO 03.03.2022 11:07
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Depois que ocorre aparecem os Analistas de Previsões Passadas!!! vir agora falar de Commodities.....há um mês atrás estavam afundando com Mineradoras...fala do que Minério.ia desabar!!!! Analistas fracos que só comentam o que já ocorreu!!! Vão estudar e aprender sobre Mercados e Economia Global!!!
Mamoru Uehara
Mamoru Uehara 02.03.2022 19:20
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
estão comprados ate o talo. pq se fosse antes do ibov virar pra compra...estaria afundando. so que nem todos os papeis subiram. só vale petr e siderúrgicas.
Romildo Coelho Rocha Rocha
Romildo Coelho Rocha Rocha 02.03.2022 19:20
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Boa noite
Adriano Galle Dal Prá
Adriano Galle Dal Prá 02.03.2022 19:20
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail