📖 Guia da Temporada de Balanços: Saiba as melhores ações escolhidas por IA e lucre no pós-balançoLeia mais

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta sexta-feira

Publicado 24.03.2023, 08:00
© Reuters.
CSGN
-
DBKGn
-
LCO
-
ESU24
-
CL
-
1YMU24
-
NQU24
-
LCc1
-
iBOV
-
UBSG
-
SQ
-

Por Geoffrey Smith e Jessica Bahia Melo

Investing.com -- Os bancos estão novamente no centro das atenções, com a Europa liderando o caminho para baixo após um pico misterioso nos empréstimos do Federal Reserve a outros bancos centrais. A empresa de pagamentos Block é a mais recente a sentir a ira da Hindenburg Research, um vendedor a descoberto, e o petróleo despenca quando a administração Biden diz que levará seu tempo para reabastecer a Reserva Estratégica de Petróleo. No Brasil, Lula adia a viagem à China para domingo.

Aqui está o que você precisa saber nesta sexta-feira, 24.

1. Bancos sob pressão novamente em meio a um pico nos empréstimos do Fed

Os bancos europeus caíram, pois os investidores se assustaram com uma acumulação gradual de evidências circunstanciais que sugerem que os problemas do setor estão longe de ter terminado.

O Federal Reserve informou na quinta-feira um acentuado pico de US$ 60 bilhões em empréstimos sob seu mecanismo de reporte FIMA, o que torna os dólares disponíveis para bancos centrais estrangeiros em situação de emergência. Embora não haja confirmação de qualquer conexão, o período do relatório abrange o acordo apressado de fusão do Credit Suisse (SIX:CSGN) com o UBS (SIX:UBSG), seu rival local mais forte.

As ações do UBS caíram na sexta-feira depois que a Bloomberg informou que tanto ela quanto sua nova aquisição estão sob investigação nos Estados Unidos por suspeita de ter ajudado os oligarcas russos a contornar as sanções ocidentais.

As ações do Deutsche Bank (ETR:DBKGn) também caíram para um mínimo de cinco meses, enquanto seus spreads de swap de inadimplência de crédito aumentaram acentuadamente, sem nenhum gatilho óbvio (além de uma história de duas décadas de má administração imprudente que seu atual CEO parecia ter terminado).

As ações dos Estados Unidos devem abrir em queda mais uma vez, revertendo os ganhos de quinta-feira para colocá-las no rumo certo por uma semana negativa. O foco das atenções estará mais uma vez no setor bancário, embora os bancos regionais que tanto chamaram a atenção nas últimas duas semanas estejam em queda no pré-mercado por muito menos do que seus homólogos europeus. O balanço semanal do Fed mostrou que o total de empréstimos das instalações do Fed foi amplamente estável, embora os bancos tenham transferido mais de seus empréstimos para o novo e mais indulgente programa BTFP.

Às 9h10 (de Brasília), Dow Jones futuros recuava 1,06%, enquanto S&P 500 futuros caía 0,97% e Nasdaq 100 futuros 0,67%.

Sem grandes ganhos devidos, e com o Capitol Hill também prestes a se acalmar após o fogo de artifício de quinta-feira com o CEO da TikTok, Shou Zi Chew, é provável que a negociação seja movida pelo sentimento.

2. Hindenburg golpeia mais um

Acabada de reverberar sua aposta contra o Grupo Adani da Índia, os short-sellers Hindenburg Research desferiram um duro golpe contra Block (NYSE:SQ), a empresa de pagamentos anteriormente conhecida como Square.

A ação recuava 2,55% no pré-mercado, depois de perder 15% na quinta-feira, em resposta ao relatório.

Hindenburg havia acusado a empresa, fundada pelo ex-CEO da Twitter Jack Dorsey, de sistematicamente enganar seus investidores e clientes e evitar a regulamentação. Ele destacou a frequência com que os rappers, em particular, se orgulhavam de utilizar a função Cash App do Block para fins fraudulentos ou ilegais.

Block disse que está considerando uma ação legal. A ação de Hindenburg garantiu a questão de como sustentar as valorizações heroicas de empresas de tecnologia com pouca ou nenhuma rentabilidade em um momento de altas taxas de juros.

3. A economia da zona do euro se fortaleceu em março

A economia da zona do euro retomou em março, com o PMI composto da S&P atingindo seu nível mais alto desde junho. Isso se deveu esmagadoramente ao setor de serviços, que teve um desempenho muito melhor do que o esperado tanto na França quanto na Alemanha.

A manufatura, entretanto, permaneceu em território contracionista, com o fim das interrupções na cadeia de abastecimento significando que as fábricas estão trabalhando através de uma pilha cada vez menor de pedidos em atraso a um ritmo mais rápido.

O PMI do Reino Unido, por outro lado, não foi tão forte quanto a impressão em inflação e a última caminhada do Banco da Inglaterra em taxa de juros pode fazer você acreditar.

4. O petróleo bruto despenca quando os EUA dizem que não se apressará a recarregar reserva

Os preços do petróleo bruto caíram novamente depois que o governo dos EUA se afastou de sua intenção de reabastecer imediatamente a Reserva Estratégica de Petróleo, que havia se esgotado no ano passado para aliviar o aumento dos preços mundiais da energia.

Às 9h10 (de Brasília), os futuros do petróleo dos EUA recuavam 3,44% US$67,55 por barril, seu menor valor em uma semana, enquanto os do brent estavam em baixa de 3,21% a US$73,47 por barril.

A administração pretende comprar barris para o SPR em torno de US$70, mas a Secretária de Energia Jennifer Granholm disse ao Congresso na quinta-feira que será "difícil para nós aproveitarmos" a atual fraqueza do mercado, acrescentando "continuaremos a procurar esse preço baixo no futuro porque pretendemos poder economizar os dólares dos contribuintes".

5. Viagem de aproximação do Brasil com a China

Diagnosticado com pneumonia leve, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) adiou a viagem à China que iria ocorrer neste sábado, 25, para o dia seguinte, no domingo, 26.

A expectativa é de estreitar os laços com o gigante asiático e, até o momento, a comitiva já obteve conquistas, como a suspensão do embargo à importação de carne bovina brasileira após a ocorrência do caso do mal da vaca louca, que foi identificado como atípico. Além disso, a China habilitou mais frigoríficos brasileiros para a venda do produto e a viagem pode abrir os mercados para novos produtos.

Ainda, a previsão é de que Lula visite a gigante tecnológica Huawei e de que o Brasil firme acordo para parcerias em tecnologias de semicondutores, inteligência artificial, 5G, 6G e células fotovoltaicas.

Às 9h10 (de Brasília), o Ibovespa Futuros subia 0,30%.

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.