Garanta 40% de desconto
⚠ Alerta de Balanço! Quais ações estão prontas para disparar?
Veja as ações no nosso radar ProPicks. Essas estratégias subiram 19,7% desde o início do ano.
Não perca a lista completa

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta sexta-feira

Publicado 28.07.2023, 07:04
Atualizado 28.07.2023, 08:04
© Reuters.

Por Scott Kanowsky e Jessica Bahia Melo

Investing.com -- Os futuros das ações dos EUA sobem depois que o Dow interrompe sua sequência de quase duas semanas de vitórias. Em outros lugares, a Intel, fabricante de chips dos EUA, volta a ter lucro no segundo trimestre, com a diminuição do excesso de estoques, enquanto os investidores também aguardam os lucros de grandes marcas como ExxonMobil e Procter & Gamble. No Brasil, Vale registra queda anual de 78% no lucro no segundo trimestre, mas anuncia pagamento bilionário de dividendos

1. Futuros americanos apontam para cima; vendas de chips para PC da Intel melhoram

Os futuros das ações dos EUA subiram na sexta-feira, com os investidores aguardando a divulgação do indicador de inflação preferido do Federal Reserve e uma nova rodada de resultados corporativos.

Às 7h59 (de Brasília), o contrato Dow futuros subia 0,22%, o S&P futuros acrescentava 0,42%, e o Nasdaq 100 futuros ganhava 0,60%. Todos os principais índices fecharam no vermelho na quinta-feira, com o Dow Jones Industrial Average, em particular, encerrando uma sequência de 13 dias de vitórias.

A leitura de junho do índice de gastos com consumo pessoal (PCE), uma medida de inflação que é observada de perto pelos formuladores de políticas do Fed, deverá ser divulgada mais tarde nesta sessão. Os economistas preveem que o chamado núcleo do índice, que remove itens mais voláteis, como alimentos e energia, desacelerou para 0,2% em relação ao mês anterior e 4,2% ao ano.

A contenção da inflação tem sido o foco central da recente campanha de aumentos das taxas de juros do Fed. O banco central retomou o aperto no início desta semana, elevando os custos dos empréstimos em mais 25 pontos-base, e sinalizou que as futuras decisões sobre as taxas provavelmente dependeriam da evolução dos dados econômicos, como o núcleo do PCE.

Em relação aos lucros, as ações da Intel (NASDAQ:INTC) saltaram nas negociações do pré-mercado depois que o grupo de semicondutores dos EUA disse que o declínio nas vendas de seus principais chips de computador pessoal no segundo trimestre não foi tão acentuado quanto os analistas haviam previsto.

O excesso de estoques da Intel mostrou sinais de redução no segundo trimestre, já que a gigante norte-americana da fabricação de chips foi impulsionada pelo ressurgimento da demanda no mercado de PCs.

As vendas de seus principais chips para PCs caíram 12% nos três meses encerrados em 1º de julho, chegando a US$ 6,8 bilhões, embora isso ainda tenha superado as expectativas de uma queda de 21%, sugerindo que uma recuperação incipiente na demanda por processadores de uso geral fabricados pela Intel pode estar em andamento.

O mercado havia caído nos últimos meses, recuando de um clamor por produtos de computação doméstica durante a pandemia da covid-19. O declínio levou os fabricantes a deixar os chips em suas prateleiras, uma tendência que pesou muito sobre a Intel. O grupo sediado em Santa Clara, Califórnia, caiu para dois trimestres consecutivos de perdas, incluindo o pior déficit de US$ 2,76 bilhões nos primeiros três meses de 2023.Os analistas estimaram que a Intel relataria outra perda no segundo trimestre, mas a empresa se recuperou, registrando um lucro de US$ 1.5 bilhão.

No entanto, os ventos contrários permanecem para a empresa. O excesso de estoque ainda deve afetar a Intel pelo resto do ano, enquanto muitos de seus clientes de data center devem transferir seus gastos para unidades de processamento gráfico, ou chips necessários para alimentar cálculos de inteligência artificial - um espaço atualmente dominado pela rival da Intel, a Nvidia (NASDAQ:NVDA).

2. Principais empresas de petróleo dos EUA em destaque nos resultados de hoje

Uma semana movimentada de resultados corporativos deverá ser encerrada hoje pelos grupos petrolíferos ExxonMobil (NYSE:XOM) e Chevron (NYSE:CVX), bem como pela gigante de bens de consumo Procter & Gamble (NYSE:PG).

No caso da Exxon e da Chevron, os investidores estarão atentos para ver se elas foram afetadas pela recente queda nos preços do petróleo, que prejudicou os lucros trimestrais de seus pares europeus Shell (LON:SHEL) e TotalEnergies (EPA:TTEF).

Os preços do petróleo bruto subiram após a eclosão da guerra na Ucrânia, gerando grandes retornos para as principais empresas de petróleo e gás. Mas essa era pode estar chegando ao fim, com os preços caindo em meio a taxas de juros mais altas nos EUA e a uma recuperação pós-pandemia na China.

O petróleo brent caiu cerca de 13% no acumulado do ano até 30 de junho, de acordo com a Reuters, embora o benchmark global possa receber apoio nos próximos meses dos cortes de produção planejados pela Arábia Saudita e pela Rússia.

Em outro lugar, a Procter & Gamble, a maior fabricante de produtos domésticos do mundo, apresentará seus lucros do quarto trimestre fiscal. Os investidores provavelmente estarão ansiosos para descobrir como os gastos dos consumidores, que se curvaram sob pressões inflacionárias e custos elevados de empréstimos, moldaram os retornos da empresa.

3. Promotores dos EUA ampliam acusação contra Trump

O ex-presidente dos EUA, Donald Trump, enfrenta agora mais acusações criminais em um processo movido contra ele por promotores federais sobre o manuseio de documentos confidenciais após deixar a Casa Branca.

As novas acusações do Departamento de Justiça (DoJ) alegam que Trump, seu assessor pessoal e um gerente de propriedade em sua propriedade em Mar-a-Lago, na Flórida, tentaram apagar as imagens de vídeo de vigilância para evitar que fossem entregues a um grande júri.

A medida amplia o escopo de uma acusação feita por um grande júri da Flórida contra Trump no mês passado, que alegou que ele manteve documentos confidenciais que não deveria ter, tentou compartilhá-los com outras pessoas e tentou obstruir os esforços das autoridades para recuperá-los.

Trump também enfrenta acusações federais ligadas ao seu papel nos esforços para impedir a certificação da vitória de Joe Biden na eleição presidencial de 2020 nos EUA.

Em uma postagem nas redes sociais na quinta-feira, Trump, que também está em campanha para ser eleito presidente novamente em 2024, disse que seus advogados haviam dito ao DoJ que ele não havia feito "nada de errado".

4. Banco do Japão afrouxa o controle da curva de juros

O Banco do Japão (BoJ) disse na sexta-feira que adotará uma abordagem mais flexível para controlar os rendimentos dos títulos, permitindo que eles flutuem além de sua faixa-alvo.

Embora o banco central tenha mantido suas taxas de juros negativas, a medida de sexta-feira gerou incertezas sobre se o BoJ estava dando um passo potencial para acabar com sua postura ultra-dovish, especialmente porque está lutando para domar a alta inflação japonesa. O crescimento dos preços básicos no país superou o dos EUA pela primeira vez em oito anos no mês passado. Posteriormente, os rendimentos dos títulos de referência do Japão atingiram seu nível mais alto em quase uma década.

A decisão do BoJ encerra uma semana de importantes anúncios de políticas dos bancos centrais, incluindo aumentos separados das taxas pelo Fed na quarta-feira e pelo Banco Central Europeu um dia depois.

5. Balanço da mineradora Vale

A mineradora Vale (BVMF:VALE3) reportou na noite desta quinta-feira, 27, um lucro líquido de US$892 milhões no segundo trimestre deste ano, contra US$4,093 bilhões no mesmo período do ano passado e de US$1,837 bilhão no 1T23.

O lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda) ajustado das operações continuadas totalizou US$3,874 bilhões no mesmo período, contra US$5,254 bilhões de mesmo intervalo de 2022 e US$3,576 nos primeiros três meses deste ano.

vale

Além disso, em fato relevante, a Vale informou que o Conselho de Administração aprovou a distribuição de juros sobre o capital próprio (JCP) no valor total bruto de R$ 8,276 bilhões, ou R$1,917 por ação, para quem tiver ações em 11 de agosto. A record date para os detentores de American Depositary Receipts (ADRs) negociados na New York Stock Exchange (NYSE) será 15 de agosto. Os proventos serão pagos em 1º de setembro e os titulares de ADRs receberão o pagamento por meio do Citibank a partir de 9 de setembro.

Às 8h (de Brasília), as ADRs da Vale (NYSE:VALE) subiam 0,07% no pré-mercado.

O ETF EWZ (NYSE:EWZ) apresentava elevação de 0,97%.

Ações vencedoras: como escolher os melhores papéis antes do corte da Selic? Confira no vídeo:

Últimos comentários

Evito comentar política, não sou nem petista, nem suporto o Bozo e a familicia dele, mas Mantega na Vale e F…só no Brasil a incompetência tem leniência e, neste caso, é premiada.
Mantega na Vale, Caio Paes na PBR, Pazuello na Saude, Dilma no Brics, a lista é grande. O pior é o povo defendendo o populismo corrupto do Bozolulismo.
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.