Últimas Notícias
Garanta 40% de desconto 0
🔎 Confira as ProTips completas de NVDA e descubra riscos e retornos DESCONTO de 40%

Taxas de DIs curtos caem após fala de Galípolo

Publicado 30.11.2023 17:01
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Ministério da Fazenda
 
JPM
-0,36%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 

SÃO PAULO (Reuters) - As taxas dos contratos futuros de juros de curto prazo fecharam a quinta-feira em baixa, após o diretor de Política Monetária do Banco Central, Gabriel Galípolo, afirmar que existe “maior pressão” do mercado para que o Banco Central acelere o processo de cortes da taxa básica Selic, enquanto as taxas longas terminaram em leve alta, em sintonia com o exterior.

A manhã foi marcada por nova bateria de números nos EUA que, mais uma vez, mantiveram a percepção de que o Federal Reserve tende a não subir mais os juros no atual ciclo de política monetária, podendo iniciar o processo de cortes de juros ainda no primeiro semestre de 2024.

A inflação medida pelo índice PCE ficou em zero em outubro, depois de ter subido 0,4% em setembro. Já o núcleo do PCE -- bastante observado pelo Fed -- subiu 0,2% em outubro, ante alta de 0,3% em setembro.

Já os gastos do consumidor, que respondem por mais de dois terços da atividade econômica dos EUA, aumentaram 0,2% no mês passado, em linha com a expectativa de economias ouvidos pela Reuters, após um ganho não revisado de 0,7% em setembro, informou o Departamento de Comércio.

Além disso, os contratos de compra de casas usadas nos EUA caíram 1,5% em outubro, para 71,4, de um valor revisado de 72,5 no mês anterior, de acordo com o Índice de Vendas Pendentes de Moradias da Associação Nacional de Corretores de Imóveis. Esse foi o valor mais baixo desde que a associação lançou o índice em 2001. Economistas esperavam por um declínio de 2,0%.

Embora os números corroborassem a expectativa de uma política monetária menos apertada nos EUA, os rendimentos dos Treasuries subiam nesta quinta-feira, o que também dava certa sustentação às taxas dos DIs (Depósitos Interfinanceiros) no Brasil, em especial entre os vencimentos mais longos.

Durante a tarde, porém, o movimento perdeu força, com a curva a termo reagindo às declarações de Galípolo em evento organizado pelo JPMorgan (NYSE:JPM).

O diretor afirmou que uma possibilidade de retirada da orientação de que o BC manterá o ritmo de cortes na Selic nas “próximas reuniões”, no plural, teria significados diferentes a depender do momento. Além disso, destacou que recentemente, diante do cenário mais benigno, vem sentindo maior pressão do mercado no sentido de que há espaço para o BC acelerar os cortes de juros.

A fala de Galípolo acabou por definir a queda das taxas futuras de curto prazo, enquanto as longas ainda encerraram em leve alta, sustentadas pelo exterior.

No fim da tarde a taxa do DI para janeiro de 2025 estava em 10,315%, ante 10,42% do ajuste anterior, enquanto a taxa do DI para janeiro de 2026 estava em 9,97%, ante 10,037% do ajuste anterior. A taxa para janeiro de 2027 estava em 10,085%, ante 10,101%.

Entre os contratos mais longos, a taxa para janeiro de 2028 estava em 10,35%, ante 10,341%. O contrato para janeiro de 2031 marcava 10,76%, ante 10,722%.

Perto do fechamento a curva a termo precificava em 100% as chances de o corte da Selic em dezembro ser de 0,50 ponto percentual, como vem sinalizando o BC. As chances de corte de 0,75 ponto percentual estavam em zero.

Às 16:49 (de Brasília), o rendimento do Treasury de dez anos --referência global para decisões de investimento-- subia 7,50 pontos-base, a 4,3457%.

Taxas de DIs curtos caem após fala de Galípolo
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir esse gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por esse motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (6)
Ricardo Pwnujeg
Ricardo Pwnujeg 01.12.2023 11:32
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Enquanto isso no gadoverso o país está um horror, daqui a pouco vão dizer que a bolsa nas alturas é coisa de comunista, pior que acreditam
Silvano Santos
UNISEVEN 01.12.2023 5:26
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
As pessoas acham que o Banco central aumenta a taxa de juros porque quer… É o governo que cria condições para ela cair… nesse caso dela cair agora e pelos motivos errados é que o governo criou tanto imposto que a economia esta estaguinada e não porque o governo esta fazendo o dever de casa e reduzindo a máquina pública.
Patty Faria
Patty Faria 30.11.2023 20:11
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
O futuro presidente do BC está de bem com a vida e com jornalista da CNN também ❤️🐇
Maura Carvalho
Maura Carvalho 30.11.2023 17:57
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
O setor produtivos e os cofres públicos são as maiores vítimas da Selic, que voltou a ter os maiores juros reais do mundo. Um aperto monetário que só destrói o crescimento do país.
Mat Newman
Mat Newman 30.11.2023 17:33
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Inflação caindo, desemprego caindo, bolsa subindo, dolar caindo e o gado chorando. Tem também as empresas quebrando graças ao pilantra do BC e o maior juro real do mundo que esta voltando agora a normalidade.
Pedro Fernandes
Pedro Fernandes 30.11.2023 17:31
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
kkkkkk piada desse petista sfado.... déficit explodindo seus bandidos
 
Tem certeza que deseja excluir esse gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar esse comentário

Diga-nos o que achou desse comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail