Garanta 40% de desconto
🚀 6 ações que subiram +25% no 1º tri selecionadas pela nossa IA. Quais ações vão subir no 2º tri?Não perca a lista completa

Dólar sobe pelo 3º dia influenciado por commodities e se reaproxima de R$5

Publicado 23.02.2024, 17:10
Atualizado 23.02.2024, 17:36
© Reuters. Notas de dólar 
07/11/2016
REUTERS/Dado Ruvic

Por Fabricio de Castro

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar à vista fechou a sexta-feira em alta firme ante o real, pela terceira sessão consecutiva, acompanhando o avanço da moeda norte-americana ante outras divisas de exportadores de commodities, numa sessão marcada pela baixa firme do petróleo no exterior e pela perspectiva de que o Federal Reserve corte juros apenas em junho ou depois disso.

O dólar à vista fechou o dia cotado a 4,9935 reais na venda, em alta de 0,83%. Na semana, a moeda acumulou elevação de 0,52%.

Na B3 (BVMF:B3SA3), às 17:13 (de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 0,60%, a 4,9940 reais.

Como nas duas sessões anteriores, o dólar encontrou certo suporte nesta sexta-feira na avaliação de que o Fed não cortará sua taxa de juros nem em março, nem em maio, considerando os dados econômicos mais recentes.

A manutenção de juros mais elevados nos EUA, por mais tempo, em tese favorece as cotações do dólar ante as demais moedas.

Além das expectativas em torno do Fed, o câmbio reagiu nesta sexta-feira à queda firme do petróleo no mercado internacional, superior a 2%.

“Temos um movimento global de depreciação das moedas emergentes, muito por conta da queda do petróleo e do minério de ferro. Como o Brasil é um exportador de commodities, isso acaba afetando o real”, comentou Matheus Massote, especialista em câmbio da Manchester Investimentos.

O minério de ferro fechou em alta nesta sexta-feira, mas havia cedido nas quatro sessões anteriores.

Neste contexto, o dólar à vista oscilou entre a cotação mínima de 4,9605 reais (+0,17%), às 9h14, e a máxima de 4,9985 reais (+0,93%), às 12h08.

© Reuters. Notas de dólar 
07/11/2016
REUTERS/Dado Ruvic

O dólar futuro para março -- o mais líquido no mercado brasileiro e, no limite, o que acaba por definir as cotações do segmento à vista -- chegou a superar os 5,00 reais, o que levou, como de costume, a um movimento de venda de dólares por parte de exportadores e especuladores, fazendo com que as cotações perdessem um pouco de força.

No exterior, o dólar também seguia em alta no fim da tarde ante várias divisas de exportadores de commodities. A moeda norte-americana se mantinha praticamente estável ante uma cesta de divisas fortes.

Às 17:13 (de Brasília), o índice do dólar --que mede o desempenho da moeda norte-americana frente a uma cesta de seis divisas-- subia 0,01%, a 103,930.

Últimos comentários

mas petroleo e minerio cairam
Quero ver a gestão PT nos combustíveis com dólar acima de 5 e barril voltando pra 90 dólares.
“Temos um movimento global de depreciação das moedas emergentes, muito por conta da queda do petróleo e do minério de ferro. Como o Brasil é um exportador de commodities, isso acaba afetando o real”, comentou Matheus Massote, especialista em câmbio da Manchester Investimentos.
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.