Últimas Notícias
0

Após Anos de Estabilidade, a Volatilidade Retorna à Dívida Soberana. Entenda

Por Investing.com (Jason Martin/Investing.com)Renda Fixa08.06.2018 07:05
br.investing.com/analysis/apos-anos-de-estabilidade-a-volatilidade-retorna-a-divida-soberana-a-razao-200221223
Após Anos de Estabilidade, a Volatilidade Retorna à Dívida Soberana. Entenda
Por Investing.com (Jason Martin/Investing.com)   |  08.06.2018 07:05
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
  • A incerteza política europeia fez disparar a volatilidade nos mercados de títulos soberanos e no euro
  • A política monetária agressiva dos mercados emergentes tenta aliviar os estragos na moeda local e as preocupações inflacionárias
  • As possibilidades de resgate do Fed são escassas

Após vários anos de baixas taxas de juros e escassos rendimentos de dívida soberana, o duplo impacto da crescente incerteza política, juntamente com uma política monetária mais restritiva, alimentou o fogo dos mercados financeiros. A corrida está muito perto de ver o que levará a uma maior volatilidade.

A política da Itália e da Espanha aumenta o rendimento dos títulos e pressiona o euro

A Itália ultimamente chamou a atenção em face da incerteza política. Preocupações sobre a formação de um governo antisistema e eurocético impulsionaram a rentabilidade dos títulos para recordes de quatro anos. A venda massiva de títulos italianos de 10 anos — os preços dos títulos se movem inversamente aos jurosoferecidos — acredita que o rendimento da dívida oficial subirá mais de um ponto percentual até 3,388%. A formação de um governo de coalizão dos partidos anti-UE Movimento Cinco Estrelas e Liga Norte levantou preocupações entre os investidores sobre uma possível saída da zona do euro.

Rendimento no título de 10 anos da Itália - Semanal
Rendimento no título de 10 anos da Itália - Semanal

Embora os rendimentos ainda estejam longe da posição anterior de 7% alcançada no auge da crise da zona do euro em 2011, as preocupações políticas continuam a causar grande volatilidade dos mercados italianos. Uma certa sensação de alívio chegou no início desta semana quando o novo ministro da Economia italiano, Giovanni Tria, disse que nenhum dos partidos no país queria deixar a União, diminuindo o rendimento dos títulos da Itália para menos de 2,6%

No entanto, nos últimos dois dias tem havido um aumento no risco depois que o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, prometeu aumentar os cofres do país carregados de dívida, explicando que novos gastos se financiariam através do aumento do crescimento econômico. As dúvidas sobre a viabilidade de seu plano para implementar um sistema de imposto fixo, bem como uma variedade de outras iniciativas populistas de sua agenda, alarmaram os mercados, aumentando os rendimentos dos títulos na direção dos 3%, registrando recordes de intradia na quarta-feira a 2,975%.

Além do efeito de contágio em toda a zona do euro, a Espanha também teve que lidar com sua própria instabilidade política interna na semana passada. Seu então presidente, Mariano Rajoy, enfrentou uma moção de censura depois que uma decisão judicial multou o Partido Popular por um caso de corrupção, apesar de inocentar membros do governo, incluia fraude, evasão fiscal e lavagem de dinheiro.

A incerteza política refletiu-se em um aumento no rendimento dos títulos do Tesouro espanhol que atingiu o pico de 1,6% e alcançou níveis não registrados desde outubro de 2017. O prêmio de risco da Espanha — a diferença entre os títulos de 10 anos do governo espanhol e os títulos de 10 anos da Alemanha — ultrapassou os 140 pontos-base.

A incerteza logo dispersou, contudo, quando o então provável novo primeiro ministro, Pedro Sanchez, prometeu seguir o orçamento aprovado recentemente, assegurando o apoio do partido PNV, do País Basco. Apesar de certa preocupação ainda continuar, a volatilidade nos rendimentos dos títulos espanhóis foi relativamente de curta duração, com as tensões se dissipando.

Rendimento do título de 10 anos da Espanha - 1 hora
Rendimento do título de 10 anos da Espanha - 1 hora

No momento em que escrevo este artigo, o rendimento dos bônus espanhóis de 10 anos caiu para 1,50%, enquanto o prêmio de risco caiu para pouco mais de 100 pontos-base.

EURUSD 60 minutos
EURUSD 60 minutos

A incerteza política na zona do euro, particularmente notável no caso das preocupações sobre a possível saída da Itália do bloco, também pressionou o euro, enviando a moeda única para quase US$ 1,15 em 29 de maio, seu nível mais baixo desde julho de 2017.

Os bancos centrais da Turquia e Argentina lutam para sustentar suas moedas

A política, no entanto, não é o único fator determinante nos pools dos mercados. A política monetária agressiva também colocou os mercados financeiros em uma jornada turbulenta.

Na reunião de urgência promovida em 23 de maio, o Banco Central da Turquia (TCMB) elevou as taxas de juros em 300 pontos-base para 16,5%, uma medida extrema para deter a queda de sua lira que caiu em cerca de 20% em relação ao dólar este ano.

USDTRY Semanal
USDTRY Semanal

A inflação anual da Turquia atingiu um alarmante 12,15%, de modo que o TCMB espera poder fazer outro movimento ao anunciar adecisão de política monetária, programada para quinta-feira.

Para não ficar para trás, o Banco Central da Argentina (BCRA) implementou uma rápida e ligeira trinca de aumentos de taxa — três em apenas oito dias. A partir do final de abril, as taxas de juros da Argentina subiram de 27,25% para 40%, tornando-se as maiores taxas do mundo, em um esforço do BCRA para apoiar a moeda local e reduzir a inflação anual para nova meta do banco central fixada em 15%.

USDARS Semanal
USDARS Semanal

O BCRA decidiu manter as taxas ancoradas em 40% em 22 de maio e explicou que taxas muito altas eram necessárias para conter a pressão inflacionária causada pelo enfraquecimento do peso. O peso argentino registrou baixas históricas de US$ 25,0655 em 3 de junho, caindo cerca de 35% este ano em relação ao dólar.

O Fed virá ao resgate?

Embora a instabilidade política tenha declinado recentemente na Europa, os mercados emergentes — particularmente os países sob estresse econômico, como Turquia e Argentina — estão enfrentando a crescente ameaça do Federal Reserve dos EUA, que insiste em avançar com a retirada gradual de sua política monetária acomodatícia.

Na verdade, o governador do banco central da Índia, Urjit Patel disse na segunda-feira que o Fed deve reduzir o ritmo de correção de seu balanço para limitar o impacto de uma escassez de dólares em mercados emergentes.

"As repercussões globais não se manifestaram até outubro do ano passado, mas estavam se formando desde que o Fed começou a reduzir seu balanço ", escreveu Patel em um artigo para o Financial Times. "Isso é porque o Fed não ajustou e nem mesmo reconheceu explicitamente, o aumento anterior inesperado na emissão de dívida do governo dos EUA. Deve fazê-lo agora", insistiu o chefe da política monetária da Índia.

Patel sugeriu que o Fed poderia recalibrar sua normalização a fim de compensar ou compensar a escassez de dólares causada pela emissão de títulos do Tesouro dos EUA para financiar reduções de impostos. Mas o pedido de Patel é pouco mais que uma ilusão vã. Quase um mês atrás, o presidente do Fed, Jerome Powell, declarou que "o papel da política monetária dos EUA é muitas vezes exagerado".

Em um discurso em 8 de maio, Powell declarou:

"Há boas razões para acreditar que a normalização das políticas monetárias das economias avançadas deve permanecer administrável (para os mercados emergentes). A normalização política do Fed continuou sem perturbação para os mercados financeiros e as expectativas dos participantes do mercado em termos de política monetária parecem razoavelmente bem alinhadas com as expectativas dos responsáveis ​​da mesma contida no Resumo de Previsões Econômicas, indicando que os mercados não devem se surpreender com nossas ações se a economia evolui conforme o planejado".

Dadas as fortes expectativas sobre os novos aumentos das taxas em junho e setembro e os mercados em suspenso aguardando a reunião de política monetária de 12-13 junho para examinar as previsões do banco central dos EUA em busca de alguma possível indicação de outro aumento em dezembro, os outros países deveriam colocar seus próprios assuntos em ordem, em vez de esperar por um resgate do FED.

Após Anos de Estabilidade, a Volatilidade Retorna à Dívida Soberana. Entenda
 

Artigos Relacionados

Após Anos de Estabilidade, a Volatilidade Retorna à Dívida Soberana. Entenda

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias ou ataques pessoais dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Registrar-se com Google
ou
Registrar-se com o e-mail