Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Aprenda! Quais os Diferentes Tipos de Investimento em Renda Fixa?

Por Carlos Heitor CampaniRenda Fixa16.04.2021 08:32
br.investing.com/analysis/aprenda-quais-os-diferentes-tipos-de-investimento-em-renda-fixa-200441358
Aprenda! Quais os Diferentes Tipos de Investimento em Renda Fixa?
Por Carlos Heitor Campani   |  16.04.2021 08:32
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 

Resolvi escrever a coluna desta semana e a próxima (no dia 30) a respeito dos principais tipos de investimento, respectivamente, em renda fixa e em renda variável. A ideia é dar diversos exemplos de investimentos com bastante informação e conteúdo! Ressalto que nesses dois textos não falarei de derivativos, pois estes merecem um artigo à parte e com explicações mais específicas – podem aguardar!

A primeira coisa importante é diferenciar renda fixa de renda variável, o que já não é algo tão preciso quanto a diferença entre um retângulo e um trapézio. Instrumentos de renda fixa apresentam uma rentabilidade previsível, de acordo com regras pré-estabelecidas. Instrumentos de renda variável não possuem nenhum tipo de regra que defina a rentabilidade futura, mas apenas e, no máximo, previsões de mercado por analistas. Muitos investidores pensam que investir em renda fixa é mais seguro que investir em renda variável, o que muitas vezes é verdade: investir no Tesouro Selic (renda fixa) é bem menos arriscado que comprar ações do IRB (SA:IRBR3) (IRB Resseguradora). Mas, essa regra é também imprecisa pois um swap (derivativo) é considerado um instrumento de renda fixa que, por sua vez, carrega altíssima volatilidade e, portanto, risco. Mesmo os títulos do Tesouro Direto podem ter oscilações bruscas, conforme já expliquei neste artigo.

Uma importante distinção entre investimentos de renda fixa e de renda variável diz respeito ao imposto de renda (IR) a pagar, em que pese haver algumas exceções, as quais explicitarei neste artigo e no próximo. Em linhas gerais, ganhos de capital em renda variável são tributados a 15% do lucro (e 20% em operações de day trade). Já ganhos de capital na renda fixa são tributados segundo a tabela abaixo, que é regressiva em função do prazo de investimento contado em dias corridos:

Tabela de Tributação Regressiva de IR
Tabela de Tributação Regressiva de IR

Exemplo: se você comprar um Tesouro Prefixado (LTN) por R$ 800,00 e vendê-lo 200 dias após por R$ 900,00 terá realizado um ganho de capital de R$ 100,00 e, portanto, pagará R$ 20,00 (20%) de IR. Dessa forma, você resgatará o valor líquido de R$ 880,00. Preste sempre atenção ao prazo na hora de resgatar investimentos de renda fixa: pode valer a pena esperar alguns dias para cair numa alíquota menor de IR. Além do IR, há muitas vezes IOF (imposto sobre operações financeiras) a pagar caso o prazo de resgate seja inferior a 30 dias corridos. A alíquota de IOF é regressiva e se aplica sobre o lucro:

Vamos agora aos principais instrumentos de renda fixa disponíveis no mercado. O foco é para investidores pessoas físicas, já que pessoas jurídicas possuem algumas diferenciações (principalmente tributárias). Ressalto que deixei para semana que vem investimentos tais como: fundos de investimentos em ações (FIA), fundos de investimentos imobiliários (FII), fundos de investimentos multimercado (FIM), fundos cambiais (FC), fundos de investimentos em cotas (FIC) e exchange-traded funds (ETF), dentre outros.

TÍTULOS PÚBLICOS: são os títulos que compramos pelo Tesouro Direto, através dos quais emprestamos dinheiro para o nosso país. A liquidez é diária e o mínimo para se investir é de apenas R$ 30,00. Os impostos seguem as tabelas acima (IR e IOF). Minha dica: procure corretoras que não cobram taxa, de forma que a única taxa a pagar será a da B3 (SA:B3SA3): 0,25% apenas sobre a parcela que exceder R$ 10 mil.

POUPANÇA: investimento simples e sem necessidade de corretora, além de ser totalmente isento de impostos. Os juros são creditados apenas no “aniversário mensal” e períodos menores que 30 dias não rendem juros. Possui garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito) para montantes de até R$ 250 mil por CPF e por instituição. Quem tem dinheiro na poupança antiga (depósitos até 3/5/2012) deve mantê-lo, pois recebe 0,5% + TR ao mês, configurando um excelente investimento para os padrões atuais. Já a poupança nova está limitada a 70% da taxa Selic, além da correção pela TR, que está atualmente zerada. Se por um lado há um IR implícito de 30% em relação ao Tesouro Selic, por outro não há taxas e, a depender da situação do investidor, a poupança pode até compensar.

DEBÊNTURES: são títulos emitidos por empresas para captar empréstimos. O potencial de retorno é maior que em títulos públicos, mas há risco de calote por vezes considerável. Debêntures não têm a proteção do FGC, são isentas de IOF e pagam IR segundo a tabela regressiva acima. Há debêntures incentivadas (para investimentos em infraestrutura): estas são isentas de IR para investidores pessoas físicas. Chamo a atenção para o fato de muitas debêntures sofrerem com falta de liquidez: caso o investidor precise vendê-las antes do vencimento, pode ter problemas ou ser forçado a vender com deságio.

LCI e LCA: letras de crédito imobiliário (LCI) e do agronegócio (LCA). São títulos emitidos por bancos, com a obrigação de utilizarem os recursos para financiamentos imobiliários ou do agronegócio. Há garantia do FGC nos mesmos moldes que na poupança e são isentas de impostos. Podem ser pré ou pós-fixadas e não há taxas de administração, de performance ou de custódia (assim como a poupança).

CRI e CRA: certificados de recebíveis imobiliários (CRI) e do agronegócio (CRA). São títulos emitidos diretamente pelas empresas recebedoras do crédito, através de uma operação de securitização. Contam com a garantia de recebíveis dos emissores, mas não do FGC. São instrumentos também isentos de impostos e podem ser pré ou pós-fixados. Atenção igualmente para a falta de liquidez nesse mercado.

LETRAS HIPOTECÁRIAS (LH): títulos muito semelhantes às LCIs, ou seja, são emitidos por instituições financeiras, mas lastreados por imóveis hipotecados (financiados). Contam com a proteção do FGC e são isentos de IR (mas não de IOF para operações inferiores a 30 dias).

LETRAS IMOBILIÁRIAS GARANTIDAS (LIG): mesmo princípio dos CRIs, com lastro em recebíveis imobiliários, mas emitidas por instituições financeiras pelo prazo mínimo de dois anos. Não contam com a garantia do FGC, mas são isentas de impostos. Pelo longo prazo de investimento e falta de liquidez no mercado, esses instrumentos precisam oferecer taxas mais atraentes para valerem a pena.

CERTIFICADOS DE DEPÓSITOS BANCÁRIOS (CDB): Títulos de dívida emitidos pelos bancos com garantia do FGC e impostos segundo as tabelas acima. Atenção para carências (impossibilidade de resgate por algum período mínimo), muito comuns no mercado atual de CDBs. Os RDBs (recibos de depósitos bancários) são instrumentos muito semelhantes, mas intransferíveis e que também podem ser emitidos por sociedades de crédito.

LETRAS DE CÂMBIO (LC): possuem o mesmo princípio dos CDBs, mas são emitidas pelas “financeiras” (instituições financeiras de menor porte). Em geral, há maior risco de calote, mas as LCs contam com garantia do FGC. Impostos são pagos normalmente. Em geral, possuem carências que devem ser consideradas na hora de comparar rentabilidades prometidas.

LETRAS FINANCEIRAS (LF): muito semelhantes aos CDBs e às LCs, mas com prazo mínimo de dois anos e valor unitário mínimo de R$ 150 mil. Não contam com FGC e pagam impostos normalmente. Gozam de baixa liquidez no mercado.

FUNDOS DE INVESTIMENTO EM RENDA FIXA (FIRF): são fundos que investem em instrumentos de renda fixa (como os apresentados acima). É importante entender a política de investimentos, já que não contam com a garantia do FGC. Atenção à carência na hora do resgate, pois já vi fundos com carência de 30 dias. Pagam impostos normalmente e com antecipação em maio e novembro de 15% de IR sobre ganhos (come-cotas), à exceção dos fundos de debêntures incentivadas, que isentam pessoas físicas do IR. Possuem taxa de administração e podem ter taxa de performance.

FUNDOS DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS (FIDC): são fundos que compram recebíveis de terceiros e, normalmente, possuem créditos de diferentes origens. Para se ter uma ideia, até honorários advocatícios a receber podem ser vendidos por um advogado para um FIDC. Valores disputados judicialmente também podem ser comprados por FIDCs. Muita atenção para o fato de FICDs serem fechados, ou seja, impedem o resgate antes de determinado prazo. O investimento mínimo é de R$ 25 mil, paga-se impostos normalmente e eles não contam com o FGC. Por todo esse contexto, destinam-se atualmente apenas a investidores qualificados.

DICA PARA A DECLARAÇÃO ANUAL DE IR

Cabe ressaltar que TODOS os investimentos analisados têm uma característica positiva em comum: a responsabilidade pelo pagamento do IR é da fonte pagadora. Desta forma, o investidor já recebe os valores líquidos de impostos. No início de cada ano, o investidor deve receber da instituição contraparte um documento para a declaração anual e incluir tais investimentos como “Rendimentos Tributados Exclusivamente na Fonte” ou em “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”, quando for o caso. Tais investimentos jamais geram imposto a pagar ou a restituir, mas mesmo assim devem ser declarados para a Receita Federal.

Espero que o conteúdo acima seja de valor. Escrevo para vocês! Comentem abaixo caso algum investimento importante de renda fixa não tenha entrado na minha lista. Em duas semanas, farei um artigo similar com instrumentos de renda variável. Convido a todos vocês me seguirem nas minhas redes sociais @carlosheitorcampani (instagram, youtube, linkedin, facebook e spotify).

Forte e respeitoso abraço a todos.

* Carlos Heitor Campani é PhD em Finanças, Professor Pesquisador do Coppead/UFRJ e especialista em investimentos, previdência e finanças pessoais, corporativas e públicas. Ele pode ser encontrado em www.carlosheitorcampani.com e nas redes sociais: @carlosheitorcampani. Esta coluna sai a cada duas semanas, sempre na sexta-feira.

Aprenda! Quais os Diferentes Tipos de Investimento em Renda Fixa?
 

Artigos Relacionados

Marcio Correa
Como Eu Vejo o Juros? Por Marcio Correa - 15.06.2021 13

Todos meus conceitos sobre “o preço” do mercado não são baseados somente nos valores fundamentalista, todavia considero a precificação pela oferta e a demanda.   O valor...

Aprenda! Quais os Diferentes Tipos de Investimento em Renda Fixa?

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (21)
Lucas Farias
Lucas Farias 18.04.2021 16:53
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Conteudo e didatica muito boa. Parabens.
Lisetta Guidi
Lisetta Guidi 18.04.2021 11:02
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Muito obrigada pelo artigo.
Lisetta Guidi
Lisetta Guidi 18.04.2021 11:02
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Muito obrigada pelo artigo.
gerson papis
gerson papis 18.04.2021 10:26
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Ótima matéria. obrigado
Volker Dettmer
Volker Dettmer 18.04.2021 10:06
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
muito bom!
Marcelo Machado
Marcelo Machado 18.04.2021 10:05
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Gostei desse artigo e estou disposto a entender melhor cada um. Muito obrigado!
cleonice almeida
cleonice almeida 18.04.2021 9:47
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
ótimo texto!
Leandro Oliveira
Leandro Oliveira 18.04.2021 9:45
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Ótima matéria para apresentar àqueles que nos procuram pedindo dicas de renda fixa. Infelizmente a renda fixa se tornou praticamente apenas uma atualização monetária dos valores ali inseridos.
Leandro Oliveira
Leandro Oliveira 18.04.2021 9:44
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Ótima matéria para apresentar àqueles que nos procuram pedindo dicas de renda fixa. Infelizmente a renda fixa se tornou praticamente apenas uma atualização monetária dos valores ali inseridos.
Leandro Oliveira
Leandro Oliveira 18.04.2021 9:44
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Ótima matéria para apresentar àqueles que nos procuram pedindo dicas de renda fixa. Infelizmente a renda fixa se tornou praticamente apenas uma atualização monetária dos valores ali inseridos.
José Artur Medina
José Artur Medina 16.04.2021 16:13
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Que tristeza com os juros subindo a leitura deste excelente texto é obrigatória.
Fabio Bastos
Fabio Bastos 16.04.2021 15:51
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Campani, mais uma vez um excelente artigo e que deveríamos guardar seu conteúdo para futuras consultas.   Esse mundo da renda fixa é fascinante também e em muitas ocasiões os ganhos podem ser atraentes, vide IPCA, mas isso já outro artigo.
Lucas Oliveira
Lucas Oliveira 16.04.2021 14:19
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
as diferenças sao q um rende 1% aa outro rende -2%aa e o outro mais agressivo rende 2,3% aa
Lc Braz
Lc Braz 16.04.2021 11:48
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Parabéns!!!! Excelente artigo, e contando os dias para renda variável.
Renato Alcoforado
Renato Alcoforado 16.04.2021 11:00
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Este é o tipo de artigo para qualquer investidor salvar e deixar guardado! Excelente professor!
Paulo Avila
Paulo Avila 16.04.2021 10:50
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Gostei muito deste artigo, estou começando agora com alguns investimentos, me sanou algumas dúvidas..
Leandro Vilar Luizi
Leandro Vilar Luizi 16.04.2021 10:13
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Excelente conteúdo. Muitas pessoas deixam de fazer alguns investimentos não porque não podem, mas porque não sabem as suas opções. Ótima didática do Carlos Heitor Campani em explicar isso.
Carlos Heitor Campani
Carlos Heitor Campani 16.04.2021 10:13
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Obrigado demais Leandro.
Carlos Heitor Campani
Carlos Heitor Campani 16.04.2021 9:52
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Muitoo obrigado Varga e Marcelo. Marcelo: sim, eu tb tenho boa parte da minha carteira de renda fixa em CDBs ilíquidos, mas com taxas mais atraentes. Eu apenas tomo o cuidado de respeitar o limite do FGC por instituição para eu ficar bem protegido do calote, pois algumas das maiores taxas estão em bancos que ainda carregam boa dose de risco.
Cezario Dias
Cezario Dias 16.04.2021 9:51
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
parabéns, muito bom como todos que escrevi, só fiquei preocupado sobre a comparação entre IRB rsrsr.
Carlos Heitor Campani
Carlos Heitor Campani 16.04.2021 9:51
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Obrigado meu amigo. Foi só um exemplo mesmo hehehe.
Renato Louzada
Louzadex 16.04.2021 9:51
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Poxa o IRB tá se recuperando kkkk
Marcelo Schmitz
Marcelo Schmitz 16.04.2021 9:50
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Boa explicação Carlos. ultimamente venho aplicando mensalmente em cdb pos com prazo de 3 anos . IPCA + Taxaestou achando txs bem interessantes.Pode me dar sua opinião?obrigado
Antal Varga
Varga 16.04.2021 8:59
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Carlos, parabéns por mais uma iniciativa que visa a educação financeira. Isto é um serviço que você presta à sociedade ainda que muitos haters (um doce para quem adivinhar) não consigam enxergar desta forma. Mas, o tempo lhes mostrará o caminho correto.
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail