Últimas Notícias
Investing Pro 0
❤️ Ajude as vítimas do terremoto na Síria e na Turquia Doar

Credit Suisse: um novo Lehman Brothers à vista?

Por Victor BuenoResumo do Mercado18.10.2022 10:40
br.investing.com/analysis/credit-suisse-um-novo-lehman-brothers-a-vista-200452750
Credit Suisse: um novo Lehman Brothers à vista?
Por Victor Bueno   |  18.10.2022 10:40
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
 
CSGN
+0,59%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
CS
-0,83%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
C1SU34
-0,96%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 

Credit Suisse (SIX:CSGN), maior banco da Suíça, está enfrentando a maior crise de sua história com uma série de escândalos, recorde de prejuízos e muitas incertezas.

Apesar de afirmar que sua situação financeira está confortável, o Credit parece ter perdido, definitivamente, a confiança dos investidores — tanto que já está sendo apelidado pelos condados gringos de “Debit Suisse”.  

Mas o que está por trás de toda essa história?

Escândalo atrás de escândalo

Dentre os casos que mancharam a história recente do Credit Suisse, alguns se destacam, a começar pelo da Archegos Capital.

O banco suíço prestava serviços de corretagem para o family office do sul-coreano Bill Hwang, que quebrou ao registrar perdas de US$ 20 bilhões em poucos dias com operações alavancadas.

O problema gerou um rombo de US$ 5 bilhões para o Credit, levando à demissão de sete de seus executivos.  

Outro caso foi o da Greensill Capital, empresa britânica de serviços financeiros que faliu no ano passado.

O Credit Suisse possuía cerca de US$ 10 bilhões investidos em produtos da companhia, o que trouxe grandes prejuízos para os seus clientes.

Para piorar, no início deste ano, mais um escândalo: o banco foi acusado de estar envolvido em crimes de lavagem de dinheiro relacionados a uma quadrilha de tráfico de drogas da Bulgária.

O Credit foi considerado culpado e condenado a pagar 15 milhões de euros ao governo suíço.

“Aposta” na piora do risco de crédito

Esses e outros casos, como vazamento de dados de 30 mil clientes e ligações com oligarcas russos em meio à guerra no Leste Europeu, fizeram com que as expectativas do mercado em relação ao banco se tornassem cada vez menores.

Gráfico apresenta CDS do Credit Suisse.
Gráfico apresenta CDS do Credit Suisse.
CDS do Credit Suisse. Fonte: Bloomberg

Uma das provas de que o mercado não está muito confiante é o CDS do Credit Suisse, que ultrapassou os patamares vistos em períodos drásticos, como em 2008 na quebra do Lehman Brothers, em 2012 na fuga de capital dos Piigs (Portugal, Itália, Irlanda, Grécia e Espanha) e em 2016 na crise na Zona do Euro.

Para quem não está familiarizado com o termo, o CDS é um instrumento derivativo que é utilizado como proteção contra a inadimplência em operações de crédito.

No entanto, atualmente, o CDS acaba sendo mais usado como um indicador para avaliar o risco de crédito de empresas — quanto maior o número, pior é o risco.

Para conter o pânico do mercado e tentar provar que está financeiramente saudável, o banco propôs recentemente a recompra de US$ 3 bilhões em títulos de dívida.

Ações acompanham os resultados

Outra prova da insegurança atual apresentada pelo Credit Suisse está estampada nas ações.

Desde o início dos escândalos, em fevereiro de 2021, o banco já perdeu mais de ⅔ do seu valor de mercado.

Gráfico apresenta ações do Credit Suisse desde jan/21.
Gráfico apresenta ações do Credit Suisse desde jan/21.
Ações do Credit Suisse desde jan/21. Fonte: Bloomberg

“Além dos riscos já apresentados, todos os casos recentes resultaram em fortes quedas dos números reportados em seus balanços. Em pouco mais de um ano, o Credit Suisse reverteu seus lucros bilionários em prejuízos recordes”, aponta Bueno.

Como você já deve estar cansado de ouvir por aqui, as ações acompanham os resultados das empresas (como podemos ver no gráfico abaixo).

Enquanto o Credit Suisse não trouxer mais segurança aos seus investidores e voltar a registrar lucro, dificilmente veremos uma recuperação consistente de seus papéis.

Gráfico apresenta Ações x Lucro do Credit Suisse.
Gráfico apresenta Ações x Lucro do Credit Suisse.
Ações x Lucro do Credit Suisse. Fonte: Bloomberg

Novo Lehman Brothers?

Apesar da situação financeira do banco ainda causar calafrios no mercado, é pouco provável que estejamos diante de um "Lehman Brothers 2.0”.

Em 2008, o extinto banco de investimentos americano estava altamente alavancado e possuía uma grande exposição a empréstimos sem garantias no setor imobiliário (chamados de “subprime”).

Na época, com a elevação de juros nos Estados Unidos, a insolvência (impossibilidade financeira de pagar os empréstimos) da população aumentou e, com isso, o Lehman Brothers acabou quebrando.

Já o Credit Suisse, por outro lado, apresenta uma alavancagem bem inferior atualmente e possui uma sólida carteira de ativos líquidos de alta qualidade — o que afasta os riscos de uma crise semelhante à vista há cerca de 14 anos.

Credit Suisse: um novo Lehman Brothers à vista?
 

Artigos Relacionados

Credit Suisse: um novo Lehman Brothers à vista?

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (2)
pudim bugado
pudim bugado 19.10.2022 13:06
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Se fosse eu, ficaria com um pé na frente e outro atrás. As crises são cíclicas e acontece entre 8 e 12 anos, a última foi em 2008. Atenção!
Laert Lima
Laert Lima 19.10.2022 11:19
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
As opiniões postadas são conflitantes. O efeito final é que veiculação de matérias de igual teor, em nada contribuem de positivo para investidores. Só geram mais preocupações e pânico e quem as produz, está dando um tiro no próprio de pé, principalmente se vive de renda de operações no mercado de capitais.
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail